No ritmo da torcida, Bauru bate Malvin.

20/02/2016

 

Empurrado pela vibrante torcida que compareceu ao Ginásio Panela de Pressão, Bauru não tomou conhecimento da equipe do Malvin no começo de jogo.  A primeira bola que encontrou o barbante foi de Alex, para três, mas foi internamente, com Hettsheimeir, que o dragão abriu 9 a 3 e obrigou Pablo Lopez parar o jogo. Com intensidade defensiva e guiado pela boa articulação de Fischer nos contragolpes, Bauru deslanchou nos tiros certeiros de Robert Day para fechar o primeiro quarto com impediosos 26 a 14.

 

O jogo parou, mas Bauru não. Com boa entrada de Wesley e Murilo, e manutenção de Day, Bauru abriu 11 a 5 e o placar apontava vantagem na casa dos 20 pontos para os donos da casa. O ritmo avassalador só foi quebrada com a entrada Hoskin, que incomodou a defesa bauruense e  reduziu a vantagem bauruense para 42 a 32, obrigando Demetrius a pedir tempo. A ação deu certo, e no minuto final Bauru aplicou 6 a 2 para virar o tempo vencendo por 48 a 34.

 

          Jovem pivô levantou a torcida com enterrada! / Pedro Sacardo

 

Se o destaque da partida vinha sendo Day, com suas quatro bolas de fora que morreram na cesta, no segundo tempo brilhou a estrela de Hettsheimeir. O pivô bauruense anotou 10 pontos, com duas bolas de fora, e duas no jogo interno (sendo uma delas uma bela enterrada após assistência de Fischer). Do outro lado Winston e Hoskin tentavam reduzir a larga vantagem bauruense com jogo de velocidade e uso de bloqueios. Os americanos tiveram auxílio de Mazzarino e Martinez nas bolas longas para bolas longas diminuir o placar, 72 a 53.

 

             Tischer, contratado as pressas, sequer tinha tênis de basquete. / Pedro Sacardo 


Os uruguaios voltaram dispostos a aplicar uma blitz final, e como se trata de um torneio de tiro curto, e que possibilita um duplo, ou até triplo empate, o Malvin tratou de reduzir para apenas 6 pontos a vantagem de Alex e companhia em quarto que limitou o ataque adversário a apenas 17 tentos. Demetrius parou o jogo para não mais manter a diferença no marcador, como também garantir a vitória, algo que parecia certo e estava sob risco. Jefferson em bola longa matou o jogo, e garantiu o triunfo que poderia e deveria ser mais dilatado.do que apenas 89 a 77.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags