Bauru embarca para Venezuela sem saber se contará com Hettsheimeir

08/03/2016

Atual campeão da Liga das Américas e vice campeão do NBB, o Bauru Basket embarca nessa terça para Barquisimeto, onde luta pelo inédito bicampeonato internacional. O campeão da Liga das Américas ganha vaga para a disputa do Mundial de Clubes, frente ao campeão da Euroliga.

 

Se não bastasse os qualificados adversários, o dragão pode não contar com Hettsheimeir. O pivô, que faz tratamento intensivo e será testado minutos antes da partida, lidera as esatísticas de rebotes, com média de 7 sobras por jogo, além de contribuir com 15 pontos, que faz dele o quinto cestinha do torneio.

 

     Com 3 sessões de fisioterapia por dia, Hettsheimeir corre contra o tempo. / Caio Casagrande

 

Demétrius ressalta a força do elenco, mas já adianta que a equipe está preparada para suprir uma possível ausência do camisa 30: "A gente não pode ficar lamentando o que não a gente não tem, temos que valorizar o que nós temos. Nós estamos prontos para qualquer situação, e o mais importante é termos um leque de opção para além de atacar bem, defender bem."

 

Quem deve ganhar mais minutos e volume de jogo ofensivo, é Jefferson. O ala-pivô que desfalcou a equipe na decisão da temporada passa em virtude de uma grave lesão dimensiona o que o Final Four representa: "Estou muito feliz de viver esse momento, sonhei muito e quero demais vivenciar isso. Eu gosto dessa sensação de decisão, dessa adrenalina que vivemos durante a partida. Esse Final Four é especial para mim e principlamente para o time, que estamos em busca do bi, um feito jamais realizado."

 

 

Murilo Becker (foto) também deve ganhar espaço. O pivô, que passou por problemas de ordem familiar na temporada e foi responsável por levantar o troféu de forma emocionante no Maracanãzinho, atua mais próximo a cesta, e terá como missão conter Meynsee e JP Batista na área pintada.

 

 

Velhos conhecidos

 

O duelo não coloca a frente apenas duas equipes que se conhece. Líderes de suas equipes, os armadores Fischer e Rafael Luz, já atuaram juntos na conquista da medalha Panamericana de Toronto 2015.

Para Ricardo, o que se pode esperar é um confronto duro: "Ele vai tentar me tirar da posição, que é fazer o time jogar, eles sabem que nós só temos um marcador, então eles vão tentar tirar meu poder de organizar o time. Vai ser um confronto um confronto muito bom."

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags