Minas e Mogi saem na frente

05/04/2016

Mantendo o equilíbrio das oitavas de final, Pinheiros e Mogi das Cruzes, conseguiram no minuto final, do tempo normal e da prorrogação respectivamente, largar na frente nos playoffs, diante do Pinheiros e do Vitória.

 

A situação mais cômoda é da equipe mogiana, que pode selar a vagas às quartas, nos dois compromissos que terá no Hugão. Já o Minas viaja para medir força com o clube da capital paulista, e precisa beliscar uma vitória para decidir no jogo 4 em casa.

 

VITÓRIA COLETIVA

 

Minas e Pinheiros fizeram um primeiro quarto de tirar o fôlego, com muita disputa, e com os mandantes dominando o período desde o começo, mas seguido de perto pelo clube paulista. No segundo tempo, com os reservas locais sendo mais participativos, a equipe abriu curta, mas importante vantagem no marcador, quando viu Ansaloni entrar bem e dominar a área pintada.

 

      Armador do MTC, anotou 8 pontos no último quarto, sendo decisivo para a vitória. / Orlando Bento

 

Precisando reverter a desvantagem, o Pinheiros apostou no 1x1 de Holloway e Lucas Dias, e a estratégia deu sucesso. Com mais velocidade, e no miss match, a equipe foi perfeita na parcial, vencida por 30 a 16. Mas jogando em casa, o Minas não desistiria da vitória, e com Shilton, Coelho e Sosa inspirados, conseguiu a virada em vacilo de Holloway, que até então vinha sendo o destaque. Após sofrer a falta, com 25 segundos por jogar, e vantagem no marcador, o americano deu encontrão em Coelho, que lhe custou uma antidesportiva. O lance mudou o cenário do jogo, e o impecável aproveitamento dos donos da casa na linha do lance livre selaram o triunfo por 83 a 79.

 

CALVO BRILHA, MAS MOGI VOLTA COM VITÓRIA NA MALA.

 

Jogando com o Ginásio Cajazeiro tomado de rubronegros, o Vitória começou implacável. Forte na defesa e saindo em transição, a equipe atropelou o Mogi no primeiro quarto. A equipe conseguiu conter o forte jogo interno do adversário, e contou com quatro bolas do perímetro para impor 26 a 12.

 

Se no primeiro quarto os mandantes abusaram das bolas de três para abrir frente, no segundo foi Mogi quem utilizou do artifício para encostar. O jogo de pernas do Vitória já não era tão intenso, e com isso viu Vitinho e Lucas Mariano entrarem bem e reduzirem a seis pontos ao final do primeiro tempo, a desvantagem que tinha chegado a quinze tentos. No período a equipe de Salvador perdeu Edu, que com suspeita de fissura na costela, seguiu diretamente para o hospital.

 

Os dois últimos quartos foi de equilíbrio e muitas precipitações. O vitória não conseguia movimentar a bola no ataque, e dependia  de Calvo (foto / Francisco Galvão) e dos rebotes ofensivos para pontuar, enquanto que o Mogi forçava muitas jogadas do perímetro, e sem bom aproveitamento, trocava cestas com os mandantes. Assim o jogo terminou empatado e foi à prorrogação.

 

 

No tempo extra os mandantes sentiram o momento de decisão. Após sofrer duas bolas de três pontos, a equipe correu atrás, e teve a chance de virar em falta antidesportiva de Shamell em Kojo, a 25 segundos do fim.

 

Com o placar apontando 74 a 71, os rubronegros tinham a chance de sacramentar a vitória, mas o americano desperdiçou os dois lances livres, e a posse de bola. A equipe foi pontuar somente a 7 segundos do fim, mas já era tarde, 74 a 72.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados