Cearense atropela o Mogi, e empata a série.

Vencendo todos os quartos, em um jogo que teve defesa sólida, transição e bom aproveitamento, o Basquete Cearense não tomou conhecimento do Mogi. A vitória de 76 a 55 refletiu o domínio do Carcará, que em nenhum momento teve o triunfo ameaçado.


Apesar do bom desempenho de Toledo no começo do jogo, da regularidade de Davi, e das boas contribuições de Rashaum e Tiagão, que vieram do banco, o grande destaque fica para o jogo coletivo dos mandantes.


O Mogi, por sua vez, não funcionou como equipe. Com muita dificuldade na movimentação ofensiva diante da boa defesa do adversário, forçou inúmeros arremessos de três pontos - tentou 19 e converteu irrelevante um -. Somente com Paulão, a equipe levou vantagem próximo a cesta.

O JOGO

Os primeiros três minutos reservaram o pouco equilíbrio que seria visto na noite. Gerson dominava a área pintada, enquanto que Davi guiava sua equipe, para um empate em quatro pontos. Duas movimentações ofensivas certeiras, encontraram Toledo livre na zona morta. O ala não perdoou e colocou 11 a 4 no marcador. A defesa sólida e boa distribuição continuaram em um quarto amplamente dominado pelo carcará, 20 a 10.


Depois de um bom começo do Cearense, que aplicou seis a zero, elevando a vantagem para 16 pontos, o Mogi apostou nas dobras. A mudança não deu resultado. A equipe melhorou, conseguiu aplicar contragolpes após recuperar algumas bolas, mas viu o adversário aproveitar os espaços para fechar o primeiro tempo em vantagem, 34 a 21.


Os cinco primeiros pontos da segunda metade foram de Filipin, que até aquele momento estava zerado. O início mogiano deu falsa impressão de que o segundo tempo pudesse ser equilibrado. Mas não. Contando com Audrei inspirado no perímetro, os comandados de Bial aplicaram corrida de 10 a 4, para voltar a colocar treze de frente. Do meio para o final do quarto, as equipes trocaram cestas. Mogi pontuava com ganchos de Paulão, enquanto que Rashaum costurava a defesa dos visitantes. No final, uma bola de Tiagão, deu números finais ao terceiro quarto, 53 a 34.


Titulares do Mogi ficaram limitados a 28 pontos. / LC Moreira


A dissonância evidenciada pelo placar, ficou ainda melhor. Com duas bolas de fora logo no primeiro minuto do período final, o carcará colocou 25 de vantagem, sua maior diferença na partida. A partir dali, o jogo ganhou ares de preparação para o jogo 3, com equipes mais soltas, com peças alternativas, mas que podem surpreender em um jogo parelho, que deve ser a tônica dos demais jogos da série.

Postagens Recentes
Arquivo
Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados