Em jogo quente, Mogi reverte a vantagem do Carcará.

21/04/2016

Os mais de 9 mil torcedores que compareceram ao Paulo Sarasate, queriam e ficarem próximos de ver o segundo triunfo do Basquete Cearense, sobre o Mogi, na série quartas de final, mas os visitantes fizeram uma última parcial imponente e bateram os mandantes, no último segundo, por 64 a 63.

 

Mais uma vez o Cearense foi melhor, mas assim como no jogo 1, cometeu algumas precipitações na parcial decisiva e não assegurou a vitória. Por outro lado, o Mogi, que mesmo em queda de produção nessa pós temporada, mostrou força de recuperação para vencer, e agora ficar a um triunfo da semifinal. 

 

O jogo desse feriado ficou marcado não só pelo equilíbrio, como também pelo baixo rendimento das equipes, que erraram muitos passes, arremessos, dando vários air balls.

 

 

O JOGO

 

 

Jogo começou quente em Fortaleza.  Na primeira cesta da partida, Tyrone acaba deslocando Davi, que quebra o dente e fica com ferimento próximo ao olho. O lance seria um sinal de que os nervos estariam aflorados na tarde dessa quinta. Anulando as peças do adversário, e selecionando bem os arremessos, seja eles internamente ou nas bolas de fora, o carcará abriu 12 a 4. O adversário mudou a forma de atacar, e atuando mais próximo a cesta, encostou no marcador ao final do primeiro quarto, 15 a 13.

 

O segundo quarto foi o período que as equipes mais erraram. Pouca movimentação, individualidade, arremessos precipitados que nem no aro chegaram... No final, Mogi passou a frente após cinco pontos consecutivos, sendo a bola derradeira de Shamell, de três. Essa, por sinal, foi a primeira convertida por toda equipe após 11 bolas erradas. Mogi foi para o intervalo vencendo por 28 a 24.

 

O intervalo esfriou o Mogi, e ascendeu o Cearense. Com uma verdadeira aplicação defensiva, que rendeu contragolpes, a equipe mandante aplicou 9 a 0, e voltou a comandar o marcador, 35 a 28. O garrafão pesado da equipe mogiana sofria com a leveza do adversário, que pontuava com facilidade. Mogi, na parcial, só anotou em lances livres, em um período amplamente favorável ao carcará - 23 a 7 -.. No final do período uma atitude desnecessária da comissão mogiana que no desespero simulou que um garoto de cerca de 9 anos tivesse atirado uma bola em direção ao banco, na malandragem em prol de uma falta tecnica. A arbitragem não caiu na malandragem e seguiu o jogo, enquanto o garoto ficou aos prantos na arquibancada.

 

            Mogi, que sofre com a forte marcação adversária, vem se superando. / LC Moreira

 

A larga vantagem de 13 pontos a dez minutos do fim, não fez bem a equipe de Bial. Os mogianos, agora focados na partida, apostaram no trio americano para voltar ao jogo. As bolas de três começaram a cair, e a vantagem que chegou a quinze pontos foi caindo rapidamente. Jimmy marcava forte, enquanto que Davi e Duda não tinham espaços para contruir as ações. A 27 segundos o relógio apontava igualde em 61 pontos. Davi recebeu falta, converteu os dois lances. Mas, com 1 segundo no relógio, Filipin, que não vinha fazendo uma boa partida, acertou uma bola do perímetro para sacramentar o triunfo.

 

 

Após o final da partida, a confusão ganhou novo capítulo. Bial foi em direção ao assistente técnico do Mogi, e no túnel do vestiário a confusão teve sequência.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados