Com último quarto arrasador, Brasília despacha o Paulistano.

26/04/2016

Aplicando 36 a 20 no último período, o Brasília se recuperou após um segundo e terceiro tempo ruim, e bateu o Paulistano por 83 a 78, para, assim, carimbar passaporte a semifinal do NBB8. Na parcial, Cipolini, vindo do banco, anotou 15 pontos e foi o destaque da classificação.

 

Brasília sentiu muito ao longo da partida a ausência de Fúlvio, que sentiu lesão com dois minutos de jogo. A dificuldade muito se deve também a boa marcação da equipe de Gustavinho. Gruber foi a principal arma defensiva do sistema defensivo.

 

Ficou também claro a melhor opção da equipe candanga, que mais uma vez se sobressaiu nas bolas de três. Foram 10 bolas, sendo quatro delas somente na última parcial, contra as mesmas quatro do adversário ao longo do duelo.

 

O Brasília aguarda, agora, o vencedor da série entre Bauru e Pinheiros - Bauru lidera por 2 a 1. Já o Paulistano, se despede do NBB8, com a quinta melhor campanha.

 

O JOGO

Entrando em quadra para fazer valer o mando de quadra e avançar a semifinal, o Brasília começou quente a partida. Com Fulvio distribuindo bem o jogo e a equipe encontrando Deryk e Giovannoni, que nas dobras ficaram livres, a equipe abriu 6 a 0 com bolas do perímetro. A lesão sofrida por Fulvio fez com Brasília perdesse a armação clássica, e passasse por momentos de dificuldade. O Paulistano, mais agressivo virou a partida, com boas infiltrações de Valtinho, 11 a 8. A melhora dos mandantes se deu nos contragolpes, quando a equipe, com Jefferson Campos fechou a parcial com vantagem, 20 a 15.

 

Sem seu principal comandante em quadra, Brasília sofreu no segundo período. Deryk, deslocado para a armação se comprometia mais com a distribuição, e assim o Brasília perdeu volume no perímetro. O Paulistano se aproveitou e explorou o jogo interno. Valtinho e Dawkins infiltravam com facilidade, enquanto que Caio Torres levava vantagem no poste baixo. A vantagem que chegou a oito só caiu quando os candangos, empurrados por Pilar, carimbaram três bolas de fora, 37 a 35.

 

                  Brasília mostra força ao bater adversário melhor classificado. / Reprodução

 

Na segunda etapa o cenário se manteve. O brasília encontrava dificuldades para enfrentar a boa defesa do adversário, que tinha Gruber como principal figura defensiva. O ala pivô cavou faltas de ataque, que acabaram pendurando jogadores importantes dos mandantes. Com alguns rebotes ofensivos capturados por Germerson e Guilherme, a equipe de Gustavinho conseguia pontuar em segunda chance. A vantagem foi crescendo conforme os atuais campeões sulamericanos cometiam faltas, que rendiam aos paulistas lances livres. A equipe de Gustavinho foi perfeita no quesito, e fechou o período com grande vantagem, 60 a 47.

 

A vantagem do Paulistano escorreu pelo ralo com o excelente começo de quarto período do anfitrião. Com uso de pick and roll seguido de movimentação procurando o lado oposto, o Brasília aplicou 14 a 4, com sete pontos de Cipolini e sete de Jefferson Campos, para encostar no marcador, 61 a 65. A bola de Valtinho e o rebote ofensivo de Gruber dariam respiro aos paulistas, mas foram rapidamente repreendidas por bola de fora de Cipolini e bola de segurança de Giovannoni.

 

As equipes passaram a trocar cestas, com o Brasília mais solto e confiante, enquanto que o Paulistano buscava um jogo de mais contato que rende-se jogo próximo à cesta para um contra um ou lances livres. A bola de três de Deryk, acompanhada de bola de Giovannoni deu aos candangos cinco pontos de frente, 78 a 73. Valtinho respondeu em infiltração, quando Gustavinho voltou a usar dois armadores para melhora os cortes em direção a cesta.

 

Na reposição um erro da arbitragem seguido de descontrole do treinador culminaram com a classificação do Brasília e consequente eliminação do Paulistano. Na dobra a arbitragem apontou falta inexistente de Dawkins, quando a bola voltava para os paulistas. Na reposição Deryk anotou dois pontos, 80 a 75. Gustavinho recebeu falta técnica após muita reclamação, e assim o Brasilia, a 11 segundos do fim, carimbou o triunfo por 83 a 78, após mais uma falta técnica de cada banco.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags