Bauru despacha Brasília e é o primeiro finalista do NBB8

11/05/2016

No confronto mais equilibrado da série, o Bauru teve tranquilidade para fechar o jogo com vitória, por 85 a 78, e se garantir novamente na final do Novo Basquete Brasil. Para carimbar a vaga a equipe contou com participação decisiva de Paulinho Boracini que anotou 22 pontos, sendo 4 deles nos minutos finais.

 

A vitória não garantiu somente a vaga à final aos comandados de Demétrius, como também a classificação à Liga das Américas, competição que Bauru venceu em 2015, e terminou com o vice nessa temporada. 

 

O comandante considera que a chave para a equipe varrer Brasília, foi o trabalho defensivo: "Viemos de um playoff muito duro contra o Pinheiros, que acabou sendo uma preparação excelente para o nosso balanço defensivo, e conseguimos contra o Brasília, que tem o segundo melhor ataque, fazer um trabalho melhor."

 

Demétrius avaliou o ganho que a equipe pode ter, com o tempo extra que terá, já que o outro finalista ainda não foi definido. "Teremos tempo para descansar alguns jogadores, mas ao mesmo tempo ganhar fisicamente e na parte tática também, então o tempo será bom para ajustar mais ainda e fazer a equipe chegar na ponta dos cascos na final."

 

 

O JOGO

 

Jogando para um Panela de Pressão lotado e a uma vitória da decisão do NBB8, o Bauru começou a partida com muita intensidade. Atento na defesa, e com movimentação ofensiva, Bauru abriu 6 a 0. Depois de três minutos sem pontuar, o Brasília contou com boas articulações de Fulvio, que mesmo no sacrifício foi para o jogo. O armador encontrou Pilar e Ronald, que descontaram.

 

A defesa candanga melhorou e tirou a tranquilidade dos mandantes que cometeram quatro desperdícios em sequência. Assim, a equipe da capital federal encontrou espaços no contragolpe e encostou, 13 a 10. O desafogo bauruense veio com tiros certeiros de Robert Day, saindo de bloqueios, e de Jefferson, em contra-ataque, 22 a 10. No final, os armadores Jefferson Campos e Fulvio, descontaram, dando números finais ao primeiro quarto, 22 a 14.

 

O segundo quarto começou com o mesmo panorama do primeiro. Bauru, logo de cara, com Paulinho (foto) on fire, abriu 7 a 0. O armador levava ampla vantagem na individualidade perante Fulvio. Artur e Cipolini, em imponente cravada, descontaram, mas Wesley Sena devolveu na mesma moeda em jogada iniciada por Jefferson, no high low, 33 a 20. A vantagem caiu, quando Fulvio encontrou Ronald, por duas vezes, entrando na cabeça do garrafão. 

 

 

O equilíbrio deu as caras no interior paulista, na metade do período. Com Hettsheimeir bem no trabalho de costas para a cesta do lado bauruense, mas com Giovannoni superior a média distância. O desempenho do ala pivô na parcial, fez sua equipe se aproximar no marcador, 40 a 31.

Nem mesmo o tempo pedido por Demétrius fez a defesa bauruense encaixar a marcação na área pintada. Ronald e Giovannoni, que juntos anotaram 20 dos 26 pontos de sua equipe na parcial, seguiram levando vantagem, e assim recoloram Brasília na cola dos mandantes, 42 a 40. Detlhe para a boa marcação dos atuais campeões sulamericanos no perímetro, limitando Bauru, que é especialista nas bolas de três, a apenas uma no período.

 

Logo no início da etapa complementar Brasília chegou a virada, e justamente na arma que não tinha funcionado na primeira etapa, a bola de três, com Deryk. A bola serviu de combustível para os visitantes progredirem, e com uso dos pivôs colocar 9 a 2 na parcial, dilatando a vantagem, 49 a 44. A recuperação bauruense veio com os alas Meindl e Day, que recolocaram o dragão na dianteira em infiltrações, 51 a 49.

 

Depois de ataques desperdiçados pelos dois lados, quando aceleram muito a jogada e acabaram não aproveitando situações de vantagem numérica, Bauru voltou a desgarrar no marcador. Bem postado, saiu em velocidade, e em bandeja de Jefferson, chegou a 61 a 52. Brasília, que ficou 4 minutos sem pontuar, chegou a cesta com Jefferson, mas Bauru foi para os últimos dez minutos vencendo por 65 a 54.

 

 Brasília não conseguia encontrar espaços para trabalhar no perímetro devido a forte marcação individual.

 

Precisando tirar a vantagem bauruense para não dar adeus a competição, os candangos tiveram um bom início de quarto, com arremessos certeiros de Deryk e Giovannoni. Bauru, tirando proveito da defesa zona do rival, calibrou a mão nos três pontos, e chegou a colocar 73 a 59.

 

O placar parecia indicar um final de jogo tranquilo para os mandantes, mas Brasília se recuperou, anotou seguidas bolas no poste baixo, e em bola de Fulvio, de longa distância, colou no marcador, 74 a 70. Bauru, não sentiu a pressão e com Paulinho chamando a responsabilidade, voltou a aumentar a margem a seu favor, 80 a 73. O armador cometeu sua quinta falta, mas Meindl capturou importante rebote defensivo para assegurar a classificação à final do Novo Basquete Brasil.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags