Flamengo larga em vantagem na decisão do NBB8

21/05/2016

    Foi equilibrado, tenso, como deveria ser. E no final, melhor para o tetracampeão do NBB, que valendo-se do bom início de parcial, a cada quarto, conseguiu abrir frente, e conter a reação bauruense, para vencer por 83 a 77.

 

   Outro aspecto determinante para a vitória rubronegra foi a distribuição dos pontos. A equipe de Neto teve contribuição significativa de seis jogadores, enquanto que Bauru, mesmo com o excelente jogo de Jefferson e Hettsheimeir - juntos somaram 49 pontos -, não teve boa ajuda vinda do banco.

 

    Neto, comandante rubronegro comemorou a vitória, mas alertou sobre a necessidade de se pensar jogo a jogo: "Bauru é uma equipe muito briosa, e tudo que construímos precisa ser deixado de lado, para ficar concentrados no jogo 2, onde precisamos ajustar nossa consistência."

 

    O treinador bauruense, Demétrius Ferracciú, seguiu a mesma linha, e lamentando as desatenções no início dos períodos, espera poder contar com Murilo para conter o jogo interno do Flamengo: "É um jogador que nos ajuda muito, que entra e consegue com sua confiança fazer a equipe funcionar, esperamos poder recuperá-lo para o próximo jogo."

 

   Agora a série vai para o Rio de Janeiro, onde a equipe local tem dois jogos (quinta e sábado) diante de sua torcida para superar os paulistas e assegurar o pentacampeonato.

 

 

O JOGO

 

   A partida iniciou com a intensidade e o equilíbrio esperado.  Flamengo e Bauru, melhores equipes da fase de classificação, mostraram seu arsenal logo de cara. Era ataques explorando os pivôs no fideaway, com Olivinha pontuando, bandeja na reversão de Jefferson, depois Ronald Ramon de três virou para o Flamengo, mas Bauru, na mesma moeda, com Day, voltou a dianteira do marcador, 9 a 7.

 

   Do metade da parcial em diante as equipes cometeram algumas precipitações, que fizeram com que o placar se mantivesse baixo. No final, melhor para Bauru, que atento as infiltrações adversárias, conseguiu sair em velocidade e com arremesso certeiro de Alex, e bola de segurança de Day conseguiu desgarrar. No final, Ronald Ramon, terminou o quarto com sete pontos, diminuiu a vantagem bauruense, 19 a 14.

 

   O Flamengo voltou melhor, e explorando a individualidade de JP Batista, que levou vantagem sobre Murilo,  e o bom momento de Ronald Ramon, empatou o jogo em 21 pontos, após corrida de 7 a 2. A virada rubronegra veio no trabalho dos pivôs, de JP para Mineiro. Percebendo a instabilidade da equipe, que após três minutos de parcial não tinha convertido um arremesso de quadra, já que os dois pontos vieram em lances livres, Demétrius parou o jogo.

 

   O tempo surtiu efeito. Mais ligado na defesa, Bauru levou o adversário a dois erros de passe. No ataque se aproveitou do excelendo período de Hettshiemeir, que anotou duas bolas próximo à cesta, seguida de bola de três pontos para virar, 29 a 27. Os finalistas, então, passaram a trocar cestas, até que o Flamengo se aproveitou de desatenção na rotação da defesa zona Bauruense, para colocar bola de fora, e abrir 36 a 32. Mas sabe como é, se tratando dois clubes extremamente talentosos, a vantagem não duraria muito, e Bauru com linda infiltração de Paulinho, e bola de explosão de Alex, foi para o intervalo vencendo, 39 a 38.

 

    Explorando o que tem de melhor, o rubronegro, tratou de tomar a ponta da partida com o bom início de terceiro quarto, quando Olivinha e Mineiro castigaram a defesa bauruense. Encontrando espaços nas costas da defesa, o Flamengo colocou sua maior vantagem na partida até aquele momento, 50 a 43.

 

    Sem Murilo na rotação, Bauru sofreu na área pintada. / Luiz Pires

 

    Porém, o Bauru, mais uma vez, mostrou poder de recuperação, e se aproximou do marcador após bola de Hettsheimeir e de Jefferson, essa, por sinal, após bela assistência de Leo Meindl, 48 a 50. Com as equipes ultrapassando o limite de faltas coletivas, foi comum ver ambas na linha do lance livre. Nos minutos finais da parcial, Jefferson e Ronald Ramon levantaram suas respectivas torcidas com duas bonitas bolas de fora. No final das contas, os mandantes foram para o quarto final vencendo por 62 a 60.

 

   Bauru, no entanto, não soube administrar a vantagem que tinha no marcador, e com um minuto e meio de quarto, viu o adversário virar e abrir, 68 a 62. Bauru, perdido naquela altura, ainda cometeu falta técnica, que levou os visitantes a abrirem 71 a 62.

 

   O cenário começou a mudar quando Hettsheimeir anotou os primeiros pontos de Bauru no período, a 6:01 para o final da partida. O lance soltou o ataque bauruense, que logo em seguida, com Jefferson, em bola do perímetro, diminui, 73 a 67. Com a melhora defensiva, Bauru conseguiu neutralizar o jogo interno dos cariocas, mas viu o adversário, bem no perímetro, manter importante vantagem, 79 a 70.

 

   A tensão aumentou nos minutos finais, com Bauru se aproximando do placar após trabalho de Hettsheimeir, 77 a 79. Coube ao capitão Marcelinho, quando o relógio apontava 17 segundos para o apagar das luzes, nos lances livres, aumentar a vantagem rubronegra, 81 a 77. Na reposição Bauru não converteu o ataque e viu o Flamengo abrir 1 a 0 na decisão do NBB8 após lances livres de Rafa Luz.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags