Bauru domina Flamengo, quebra o tabu no Neusa Galetti, e força quinto jogo!

04/06/2016

       O Bauru cumpriu com maestria o seu dever de casa. Depois de duas derrotas - a primeira na final da temporada passada, e a segunda no Jogo 1 desse ano -, o Bauru finalmente venceu em Marília. A equipe de Demétrius dominou amplamente a partida, sendo superior em todos os fundamentos de quadra, e assim, aplicou o placar mais elástico ao longo da série, com o triunfo dessa tarde por 94 a 81. 

 

       Robert Day acabou como cestinha da partida com 24 pontos, seguido de perto por Jefferson, que terminou com 22 pontos, sendo 16 deles anotados no primeiro tempo, quando o ala-pivô teve aproveitamento de 100%.

 

       A partida, porém, teve um incidente triste para o basquete. Um princípio de confusão marcou o terceiro quarto, mas dessa vez, sem qualquer interferência no resultado da partida. Marquinhos reconheceu os méritos bauruenses, mas saiu do Neusa Galetti reclamando:

 

      "O Flamengo não teve um bom desempenho, defensivamente, no primeiro quarto, a equipe pecou muito, e Bauru soube aproveitar. Mas o show, tem que ser dos jogadores, o que o segurança fez com o Ricardo não pode acontecer."

 

      Alex, ressalta o bom jogo bauruense, mas alerta para o limite entre vontade e equilíbrio, no jogo cinco:

 

      "Tem que ter concentração, estar focado, não se descontrolar em nenhum motivo, nem com alguma atitude do adversário, e fazer nosso jogo, como fizemos hoje. Se ir para o Rio com esse pensamento, voltamos com o título."

 

      O próximo e definitivo jogo será no próximo sábado, às 14:10, na Arena Carioca 2.

 

PROTESTOS

      

     Torcida bauruense inflamou o Neusa Galetti. / Pedro Sacardo

 

      Antes da laranja subir o que se viu foi um clima de muita indignação por parte da torcida bauruense, que com faixas e gritos, expressaram a sua insatisfação com a arbitragem. Vale lembrar que na partida 3, na Arena Carioca 2, Bauru, que vinha se recuperando dentro da partida após um terceiro quarto ruim, foi prejudicado após Chiconato marcar bola pressa, em lance inexistente.

 

O JOGO

 

      Empurrado por mais de seis mil torcedores, Bauru começou avassalador. Com dois minutos de jogo, a equipe de Demétrius emplacou quatro bolas do perímetro, sendo duas de Jefferson e duas de Day, abrindo 14 a 2 no marcador. O Flamengo, chegou a pontuar com Marquinhos, mas atordoado, viu a equipe paulista converter outra bola de fora, agora com Hettsheimeir, aumentando a vantagem, 17 a 4.

 

      Neto, sentindo o momento adverso, rotacionou a equipe, e os reservas responderam bem ofensivamente. Marcelinho foi o responsável por anotar a primeira cesta de três do tetracampeão brasileiro, enquanto que JP Batista foi bem internamente. Mas a equipe continuava sofrendo defensivamente com a velocidade dos mandantes, que apresentaram uma constância sem igual até aqui na série, e distribuindo bem os ataques (seis bolas convertidas de fora, e cinco internas), fecharam o quarto em 28 a 13.

 

      O Bauru começou melhor o segundo período, não com tamanha disparidade, é verdade, mas a dupla Hettsheimeir e Jefferson, que nessa altura já tinham juntos 20 pontos, anotaram na área pintada, forçando Neto pedir tempo, 32 a 13. Nem as orientações do professor foram suficientes para ajustar a defesa, que viu Jefferson, anotar duas bolas consecutivas da zona morta, e colocar a diferença na casa dos vinte pontos, 38 a 16.

 

     Jefferson deixou a quadra com duplo duplo, 22 pontos e 12 rebotes. / JUMP LNB

 

       Marquinhos chamou para si a responsabilidade, e em duas infiltrações, reduziu a frente bauruense, 40 a 22. Mas o dragão cuspia fogo, e Leo Meindl, em contragolpe rápido levantou a torcida com uma enterrada sobre Marquinhos. Nos instantes finais da primeira etapa as equipes, em bom momento de Day (Bauru) e Mineiro (Flamengo), trocaram cestas, e os paulistas foram o intervalo vencendo por 51 a 30.

 

       Diferentemente dos quartos anteriores, dessa vez foi o rubronegro quem começou melhor. Pelas mãos certeiras de Ronald Ramon, que estava bem anulado até então, o Flamengo anotou os sete primeiros pontos da parcial, cortando a vantagem bauruense para quatorze pontos, 51 a 37. Alex, deu os primeiros pontos do Bauru na parcial, mas foi Day, quem equilibrou a parcial com crossover desconcertante em cima do próprio Ronald Ramon, 61 a 44.

 

         Depois de um bom início de parcial, com os finalistas mostrando o por que estão disputando acirradamente o título do NBB, o jogo esquentou, e muito! Tudo começou em um fundo de bola, que Mineiro e o banco rubronegro reclamaram muito com a arbitragem, e foram punidos com falta técnica. Logo depois, Ricardo Machado, fisioterapeuta do Flamengo, reclamou, foi desqualificado e na saída, se envolveu em confusão com torcedores do Bauru. Foram cerca de cinco minutos de muita tensão, com aglomerações em cima de Ricardo, e por parte das duas torcidas, mas, felizmente, sem agressões.

 

      Precisando tirar 20 pontos de desvantagem - 77 a 57 -, o Flamengo veio para o último período com a defesa bem postada. Cortando as infiltrações e atento as sobras, os cariocas saíram em transição, e após quatro pontos de JP, colocaram 8 a 3 na parcial, 80 a 63.

 

       Bauru respondeu com Leo Meindl, na zona morta, mas Olivinha, que fez um bom quarto, anotou em jogada de três pontos.  O Flamengo seguia melhor, especialmente no jogo interno, com Marquinhos e Olivinha, além dos tiros certeiros de Marcelinho, mas Bauru conseguiu suster a margem na liderança com a boa prestação de Robert Day.  Assim, Bauru teve tranquilidade para sacramentar a vitória, de ponta a ponta, por 94 a 81, e forçar a quinta e derradeira partida no Rio de Janeiro, no próximo sábado, às 14:10.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags