Mogi e Brasília largam na frente. Franca também se destaca

23/06/2016

     Pós temporada é momento de pausa, descanso, não é mesmo? Bom, só se for para os jogadores, que sem dúvida alguma são os principais atores do basquete. Mas engana-se quem pensa que esse período é de calmaria. Muito pelo contrário. Há quem diga, até com uma grande parcela de razão, que é nessa época em que os favoritos começam a surgir.

     É bem verdade que os dirigentes tratarão de propiciar as melhores condições dentro da limitações dos seus clubes, mas com o calendário inchado do basquete nacional, seria simplista relevar questões relativas a aspectos físicos, para já apontar qual equipe levantará o caneco ao final do ano.

     Mas sem dúvida nenhuma quem larga na frente até o momento é a equipe de Mogi das Cruzes, que agora é comandada por Guerrinha. Se a equipe sofria com a falta de um jogador que fechasse as partidas mais importantes, algo que sobrecarregava Shamell e facilitava a marcação do adversário, agora encontrou uma saída muito interessante. A equipe acertou a vinda de Caio Torres, que dividiu o garrafão com Hettsheimeir na seleção do NBB8.

 

     Caio Torres em ação pelo seu ex-clube, o Paulistano.  

 

     Claro que pesa as saídas de Wagner e Paulão, que ajudavam e muito a defesa, além de Lucas Mariano, algo que deve fazer com que a comissão se atente para o maior tempo de quadra de Caio e Gérson (que deve permanecer). Mas fora as três baixas, a equipe manteve a forte base, e ainda deve anunciar um ala para ajudar na rotação. Das equipes paulistas, hoje é a mais pronta para o início da temporada!

     Quem também foi rápido e eficiente nas contratações foi o Brasília. Diferentemente do Mogi, que tem antes do NBB9 um estadual com fortes equipes, apesar de algumas sinalizarem que disputarão com uma equipe alternativa, o Brasília teria mais tempo para formar seu elenco. Mas, sem dar brecha aos concorrentes, fisgou Alex Oliveira, Fab Melo e Lucas Mariano, além de acertar a renovação dos seus principais jogadores, Fúlvio e Deryk Ramos. Pilar, outra peça importante do sistema defensivo, também renovou, e a situação de Giovannoni está encaminhada, segundo Vidal.

     Essas duas equipes tem hoje, 90% do elenco montado, e largam na frente na preparação da temporada, uma vez que conseguiram acertar a vinda de importantes reforços para pontos carentes da equipe. Com os reforços pontuais, o Mogi passa a ter uma referência dentro do garrafão e também um ball winner, e o Brasília traz peças fundamentais para corrigir o sistema defensivo que apresentou fraqueza no NBB.

     Outra equipe que vem fazendo bons negócios é o Franca. Com um aporte financeiro menor, Helinho e companhia soube encontrar valores interessantes para o time. Trouxe Coelho para armação, Pedro para a escolta, Cipolini e Cesar para o garrafão. Desses me agrada a escolha por Coelho e Cipolini. O armador, ex Minas, ganhou bagagem ao comandar a equipe de Belo Horizonte nos dois últimos NBB's, e é bem agressivo em relação à cesta. Cipolini, por sua vez, mostra a mesma intensidade dentro do garrafão, com enterradas, tocos, e também versatilidade para, saindo do jogo interno, castigar a defesa adversária com bolas do perímetro. Porém a equipe da capital do basquete nacional não tem a mesma base mantida, até em função da fragilidade do elenco na temporada passada. Apenas Isaac e Antonio tiveram vínculo renovado.

 

      Lembrando que todas as movimentações do mercado do basquete você pode conferir aqui!

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags