Vencer e torcer!

15/08/2016

     As coisas não saíram como o planejado para a seleção brasileira de basquete. Atuando em casa, a equipe qualificada, não correspondeu como esperado e agora chega a derradeira rodada dependendo de resultados para avançar, e cruzar com ninguém menos que os Estados Unidos.

 

     É bem verdade que o Grupo B é muito qualificado, e os jogos foram muito parelhos - exceto primeiro tempo diante da Lituânia -, mas alguns erros bobos na defesa, e pouca ajuda sem bola no ataque tem feito os anfitriões saírem de quadra derrotados em jogos que poderiam ter outro resultado.

 

     Faltas sem necessidade no começo dos períodos em jogadas onde o adversário se encontrava sem muitas opções a pouco tempo do estouro dos 24 segundos. Com o excesso de faltas rápidas, a equipe brasileira tem afrouxado a marcação, e quando aperta um pouco, tem colocado frequentemente os rivais no lance livre, dando pontos fáceis aos adversários.

 

     Outro aspecto que precisa ser corrigido é a ajuda do lado oposto para coibir o pick and roll dos adversários. Esse tem sido o calcanhar de aquiles de Magnano, que precisa se atentar ao quinteto titular, já que algumas peças que tem vindo do banco, tem correspondido melhor.

 

   A Nigéria, que ainda pode se classificar, não é o mais difícil dos adversários, mas tem surpreendido e feito bons jogos diante de equipes superiores e com rotação maior. Logo mais, o Brasil vai ter que controlar o jogo físico dos africanos, e atuar de forma mais cadenciada, com muita ajuda dos laterais que estiverem sem a bola, já que o adversário costuma dobrar a marcação dentro do garrafão.

 

 Dobras serão mais exploradas pelos africanos. Leandrinho, assim como toda a equipe precisa ser mais agressivo. / Mark Ralston

 

    Feita sua parte, o Brasil deixará a Arena Carioca sem saber sua situação. Precisará acompanhar a partida entre Argentina e Espanha, e torcer para uma vitória dos hermanos, que devem atuar com força máxima - exceto Laprovittola, que sente desconforto no tornozelo -, já que um resultado positivo de Ginobili e companhia somado à um triunfo da Croácia diante da Lituânia, dá a equipe sulamericana o primeiro lugar do Grupo B.

 

     A Espanha, que cresceu de produção (bateu a fortíssima Lituânia na reedição da final européia por 109 a 59!) dará a vida em quadra, já que, em caso de triunfo de Huertas e companhia, precisa vencer para seguir viva no Rio 2016.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo