Bauru faz o dever de casa e larga na frente

04/10/2016

       Em uma partida pra lá de emocionante e cheia de reviravoltas, o Bauru fez valer o mando de quadra e bateu o Pinheiros por 83 a 80 abrindo 1 a 0 na série melhor de três das quartas de final do Campeonato Paulista. A segunda partida está marcada para a próxima sexta-feira (07), em São Paulo. Se necessário o terceiro confronto será no domingo (09) também na capital.

 

      Cestinha da partida com 25 pontos, Hettsheimeir falou sobre o equilibrado duelo: "A equipe mostrou-se unida desde o primeiro minuto da partida, e apesar de alguns erros diante do Pinheiros, que é uma grande equipe, fizemos um belo trabalho em casa e em playoff não importa por quanto se vence, e sim sair com a vitória."

 

        A visão foi reforçada pelo comandante Demétrius Ferracciú: "Foi um jogo de xadrez, tentamos nos ajustar várias vezes durante a partida, usando três homens mais altos, depois três mais baixos, mas foi muito importante largar na frente."

 

       Destaque do lado dos visitantes com 18 pontos, Neto também comentou sobre a série: "Playoff é duro. Nos apresentamos muito bem mas Bauru dentro de casa é muito forte e playoff é detalhe. Jogamos de igual pra igual, mas precisamos olhar o vídeo para analisar o que podemos fazer na próxima partida, já que não podemos nos sentir confortáveis por jogar dentro de casa, pois está 1 a 0 para Bauru."

 

 

O JOGO

 

       A partida começou muito nervosa e com muitos contatos. Para fugir do jogo físico, o Bauru apostou nas bolas de fora, mas acabou parando no aro, propiciando contragolpes ao adversário, e Holloway aproveitou muito bem para infiltrar três vezes colocando 8 a 2 a favor dos visitantes.

 

     A reação bauruense começou com a mudança defensiva. Mais agressivo e atento aos bloqueios, tirou a articulação dos americanos Holloway e Bennet para ferir o Pinheiros em velocidade. Primeiro, bola certeira de Leo Meindl do perímetro, seguida de enterrada de Eltink, e Hettsheimeir, além de outro arremesso de fora do camisa 30. Assim, assumiu a ponta pela primeira vez, colocando 18 a 12 no placar.

 

         Bauru manteve o plano de isolar Holloway da armação. Sobrecarregado na distribuição e com poucas opções, Bennett cometeu violações que permitiram Bauru, no ataque, sob comando de Valtinho encontrar espaços, especialmente com Hettsheimeir na área pintada, fechar a parcial com vantagem superior a dez pontos, 26 a 15.

 

          Com a rotação no início do segundo quarto, o torcedor bauruense pôde ver pela primeira vez Roy Booker em ação, mas o público não teve muito mais a comemorar. Diante de um Pinheiros com força máxima devido ao retorno de Neto, o clube da capital fez um começo de segundo período irretocável. O experiente ala soube infiltrar diversas vezes, e ainda contou com auxílio de Holoway, para não só cortar a vantagem do Dragão, como também recuperar a ponta 28 a 30.

 

       O regresso dos titulares, e sobretudo de Valtinho, melhorou as ações dos mandantes. Fazendo parceria com Booker, o armador fez com que a equipe de Demétrius tivesse mais movimentação e agressividade, se alternando na liderança da partida, 34 a 32.

 

 Roy Booker anotou 7 pontos e deu 2 assistências em sua estreia. (Caio Casagrande/Bauru Basket).

 

       Mas, nos últimos minutos da primeira etapa, o Pinheiros assegurando o domínio dos rebotes, desgarrou no marcador após bandeja reversa de Ansaloni e step back de Neto, dando números finais à primeira etapa, 38 a 44.

 

      A equipe da Cidade Sem Limites voltou com a mesma intensidade do primeiro quarto, e a mudança foi fundamental para que Bauru empatasse o confronto. Com defesa forte, e alto aproveitamento no perímetro, com a subida dos pivôs Jefferson e Hettsheimeir, a equipe chegou aos mesmos 47 pontos do rival.

 

       A partir de então, os dois times passaram a se alternar dianteira do placar, com os mandantes buscando o poste baixo; enquanto os visitantes respondiam na individualidade de Holloway e nos lances livres decorrentes dos contatos nas infiltrações, 53 a 54. Para conter o poste baixo com Jefferson, o Pinheiros dobrou a marcação, anulando assim o jogo interno bauruense. Na frente, contou com colaboração de Gemerson e Neto para abrir 53 a 61 . Nos instantes finais da parcial, Hettsheimeir em bola de fora e após rebote ofensivo, diminuiu, 60 a 64.

 

         O recomeço do último período foi favorável ao Bauru. Utilizando três armadores (Valtinho, Gui Santos e Booker), a equipe conteve a movimentação ofensiva do Pinheiros e com Leo Meindl e Booker, virou o jogo, 65 a 60.

 

      Porém, aos poucos, os visitantes fizeram a leitura de jogo se adequando à formação adversária, para, principalmente com Bennet, voltar a infiltrar, e só parar na linha do lance livre em jogadas de bonificação, chegando ao empate em 72 pontos.

 

          O jogo ficou parelho, com muitas trocas de liderança provenientes de lances livres de ambos os lados, uma vez que ambos tinham atingido o limite de faltas coletivas. Mas após uma sequência de rebotes ofensivos, o Bauru passou a frente com Jefferson, de longa distância, 76 a 75.

 

         O lance mexeu com a confiança bauruense, e foi então que Valtinho praticamente liquidou o embate. Com assistência para Leo Meindl converter bola de fora, rebote defensivo e segurança no lance livre, o armador deu importante vantagem para o Dragão, no minuto final, 81 a 76. Com pouco tempo no relógio, o Pinheiros tentou uma blitz final, e até teve a oportunidade de empatar na última bola, mas a vitória acabou mesmo com os mandantes.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags