Com tranquilidade, Bauru larga na frente na semifinal.

13/10/2016

      Jogando em casa, o Bauru não teve muitas dificuldades para bater o Franca, nessa quarta (12). A equipe de Demétrius soube administrar a larga vantagem obtida no primeiro quarto (22 a 11), para bater o tradicional rival por 89 a 71.

 

      Jefferson, comentou sobre o triunfo e a adaptação de Booker ao elenco: "Internamente temos um time muito melhor e conseguimos aproveitar isso para impor nosso ritmo. A equipe toda está de parabéns pelo bom jogo defensivo também. A entrada de Alex muda muito esse aspecto. A adaptação do Roy ta sendo boa. É um ótimo jogador, que busca muito o jogo e aos poucos vai crescendo."

 

       Além da bela primeira parcial, Bauru contou também com o forte jogo coletivo para confirmar o triunfo. Com cinco atletas alcançando dígitos duplos (Roy com 20, Hettsheimeir com 16, Alex e Jefferson com 15 e Meindl com 13) o Dragão dificultava a defesa francana. Pelo lado dos visitantes, destaque para o trio Coelho, Pedro e Cipolini, que anotaram 17, 16 e 14 tentos respectivamente.

 

       Os treinadores também falaram sobre como se portar na série após Bauru abrir 1 a 0. Demétrius alerta para uma nova partida, enquanto Helinho diagnosticou alguns erros de dobras, bloqueios e assumiu que a equipe precisa ver a partida para reparar os erros e buscar a recuperação.

 

     Agora a série vai pra Franca. Equipe de Helinho mede forças com Bauru no sábado para manter-se viva e forçar um eventual jogo 3, que seria realizado na segunda.

 

O JOGO

 

      Sabendo da responsabilidade que tinha de iniciar a série na frente, uma vez que o adversário terá vantagem do mando de quadra, o Bauru iniciou a partida com muita intensidade. Com Alex distribuindo tocos, foram três nos primeiros minutos, e trabalhando próximo à cesta, os mandantes abriram 6 a 0 com Meindl, Jefferson e Alex.

 

       Sem espaços no garrafão, que foi muito bem blindado por todo o quinteto bauruense, Franca teve de se readequar ofensivamente, e até foi bem no perímetro, com Pedro e Cipolini. Mas do outro lado, Je e Hettsheimeir também aproveitaram as oportunidades de fora, mantendo o Dragão à frente, 14 a 6.

 

 Pivôs do Bauru levaram ampla vantagem no garrafão. (Caio Casagrande)

 

    Mantendo a postura defensiva, a equipe da Cidade Sem Limites continuou impondo dificuldades ao ataque francano e explorando os contragolpes. Assim, após crossover de Meind em cima de Antonio, que resultou em cesta de Hettsheimeir e dois lances livres de Gabriel Jau, Bauru fechou a parcial com confortáveis 22 a 11.

 

       A equipe de Helinho voltou melhor para o segundo período. A entrada de Alexey, em parceria com Du Sommer nos bloqueios, permitiu que Franca encontrasse espaços na sólida defesa bauruense e após tiro de fora de Cipolini, seguido de infiltração de Pedro, Franca encostou, 25 a 20.

 

         Foi então que Roy Booker apareceu. Com fintas, e mão calibrada, o camisa 22, que tem um estilo de jogo muito parecido com Larry Taylor, ídolo bauruense, rompeu o sistema francano e com duas bolas do perímetro recolocou a margem bauruense na casa dos dígitos duplos, 31 a 20. Dali, até o final da parcial, as agremiações trocaram cestas, e Bauru fechou a primeira metade na dianteira, 37 a 26.

 

 Booker vem se adaptando rapidamente ao basquete brasileiro e ao Bauru. (Caio Casagrande)

 

     Diferentemente da parcial anterior, quando viu os visitantes cortarem a margem no marcador no início do período, os comandados de Demétrius voltaram calibrados. Com duas bolas de longa distância de Jefferson, após saída rápido do bloqueio, e bandeja de Alex, o Bauru dilatou a frente, 45 a 27.

 

      Franca se recuperou e até chegou a empatar a parcial após tiros certeiros de longa distância de Antônio e Coelho, 49 a 38. A melhora fez Bauru em alguns momentos subir a defesa, e os visitantes tiveram inteligência para encontrar os alas nas costas da defesa para pontuar em bolas de segurança, mas Bauru apresentava um leque maior no ataque.

 

        Capturando rebotes ofensivos e pontuando internamente com Hettsheimeir e Alex, e de fora, com Gui Santos e Booker, o Dragão foi para o último quarto vencendo por 66 a 52, em uma parcial de muitas alternativas ofensivas (29 a 26).

 

          Com o foco voltado para corrigir os erros defensivos do período anterior, as duas equipes voltaram extremamente preocupadas com o sistema defensivo. Assim, os primeiros minutos foram de baixa pontuação, provenientes de Roy Booker para os mandantes, e Coelho para os visitantes, 71 a 57.

 

       Jogando contra o relógio, Franca até tentou, por meio do jogo interno buscar a reação dentro da partida. Alexey e Pedro nas infiltrações e César, próximo ao semicírculo conseguiram ferir a defesa bauruense, mas do outro lado o Dragão tinha o controle da partida, e a definiu com a verticalidade de Leo Meindl e presença de garrafão de Hettsheimeir.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags