Com tranquilidade, Brasília bate o Vasco e mantém 100%.

12/11/2016

    O Brasília finalizou com primor a lição de casa. Após vitória sobre o Caxias, a equipe tinha a missão de bater o Vasco para fechar as duas rodadas com dois triunfos, mantendo assim os 100% de aproveitamento, que lhe garantem a liderança do NBB9, ao lado do rival Flamengo.

 

    Para sair com a vitória expressiva, 95 a 72, os candangos contaram três peças fundamentais. Primeiro a volta de Fulvio, que deu organização à equipe; depois a presença de garrafão de Lucas Mariano, que atingiu duplo duplo (19 pontos e 13 rebotes); e por fim, Deryk. O ala-armador terminou como cestinha como 29 pontos, sendo 24 deles em bolas de três. Do lado cruz-maltino, Murilo, com 23 pontos, e Gaúcho, vindo do banco, foram as exceções em uma tarde em que o Vasco não apresentou o belo trabalho que vinha fazendo.

 

 

O JOGO

 

     A partida começou de forma equilibrada, como esperado. Recuperando muitas bolas na defesa, o Vasco criou bastante, mas desde aquele momento dava sinais de que sofreria com o baixo aproveitamento. E mesmo, com menor volume de jogo, o Brasília se mantinha a frente, em decorrência do bom início de Deryk, 11 a 7. Nezinho, que conhece muito bem a casa candanga, distribuiu inúmeras bolas no pick and roll para Murilo, que colocou o cruz-maltino na frente. Mas do outro lado começou a aparecer Lucas Mariano. Fechando o garrafão na defesa, e castigando no ataque, o pivô guiou sua equipe à vitória parcial, 27 a 16.

 

Pivô candango apareceu como válvula no momento de maior dificuldade do Brasília na partida (Brito Jr)

 

   Sem conseguir equilibrar a disputa próximo à cesta, o Vasco precisaria encontrar uma outra forma de ser efetio, mas com aproveitamento baixo no perímetro, tornou-se presa fácil para os mandantes, que novamente com Deryk, preciso no perímetro, se aproveitou dos minutos sem pontuar dos cariocas. O ingresso de Gaúcho até melhorou a produção do novo integrante do NBB. O ala fez a diagonal muito bem, para nos pontos livres, tirar o Vasco da incômoda situação ofensiva, mas, em contrapartida, Lucas Mariano seguia dominando na área pintada, e dessa forma, após bola de fora de Deryk, o Brasília foi para o intervalo com larga vantagem, 46 a 31.

 

   O terceiro período começou com as duas equipes priorizando as jogadas de segurança, em infiltrações. Assim, após algum equilíbrio na parcial, o Time de Lobos contornou a melhora que a dupla Fiorotto e Murilo proporcionou aos visitantes, e saindo em velocidade, teve tranquilidade para armar com Fúlvio, jogadas de contragolpe que resultaram em bandejas convertidas por Jefferson e Pilar, dilatando ainda mais o marcador, 69 a 43.

 

   A alta vantagem construída pelos mandantes praticamente liquidou a partida. Somente uma grande desatenção, algo que ocorreu na Liga Sulamericana, poderia comprometer o belo trabalho feito nos quartos anteriores. Mas dessa vez, Brasília contava com Fúlvio, e o armador que converteu todos os arremessos que tentou nessa tarde, foi cirúrgico na organização e controle mental da partida. Ele ainda contou com boa parcial de Deryk, Lucas Mariano e Jefferson, que combinaram para 21 pontos no quarto, minando qualquer tentativa de recuperação do Vasco, que sentiu muita falta de David Jackson, 95 a 72.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags