Mesmo desfalcado, Bauru domina a Liga Sorocabana.

19/11/2016

   O Bauru Basket foi a Sorocaba enfrentar a equipe da casa que vinha embalada após duas vitórias na competição, e traz à Cidade Sem Limites, importante vitória na mala, por 84 a 70. O confronto marcou a primeira de uma série de partidas que o Dragão atuará sem o capitão Alex Garcia e o ala Leo Meindl, contundidos.

 

   Para sair de quadra com o resultado positivo, a equipe de Demétrius, que dominou a partida desde o começo, contou com boa pontaria na linha dos três pontos, onde obteve 50% de aproveitamento, convertendo 12 bolas. Na defesa, o Dragão que optou por uma defesa alta e por zona, conteve os tiros do adversário, mas pagou com os rebotes ofensivos capturados pela equipe de Rinaldo (14). Jefferson, com 22 pontos, e Gui Santos, com 20, foram os cestinhas da partida. Pelos mandantes, o destaque maior fica com Alexandre, que anotou 14 tentos e capturou 11 sobras, alcançando assim um duplo duplo.

 

   O ala-pivô bauruense, através da assessoria do Dragão, comentou sobre o triunfo, que veio após uma nebulosa quarta-feira em que Bauru perdeu não só a partida, como também dois titulares: "Foi a vitória da superação. Estamos sem dois jogadores importantes e nos adaptando ainda sem eles, mas tivemos um propósito de jogo e conseguimos executar. O time atuou muito bem e conseguimos uma vitória muito importante".

 

O JOGO

 

   O duelo paulista entre a Liga Sorocabana e Bauru começou equilibrado. Jogando em casa, os comandados de Rinaldo apostavam nos ataques próximos à cesta, e com todo o quinteto titular pontuando, conseguia furar a defesa por zona de Bauru. O Dragão, por sua vez, contou com boa distribuição de Gegê, que serviu Jefferson e Hettsheimeir, únicos a anotarem pelo lado bauruense nos primeiros minutos. O jogo seguiu parelho, e embora os mandantes tivessem mais volume, já que Maique conseguia capturar rebotes ofensivos que permitiam ataques consecutivos de Sorocaba, Bauru foi quem fechou a primeira parcial na frente após melhora na defesa que permitiu recuperações de bola e saída em velocidade que renderam lances livres, 19 a 18.

 

Gegê também esteve em grande noite, beirando duplo duplo, com 7 pontos e 9 assistências. (Caio Casagrande)

 

   Controlando os rebotes nas primeiras ações do segundo quarto, com Shilton, e utilizando a velocidade de Gui Santos, o Bauru deu sequência ao bom momento, ampliando sua margem no marcador. Mas, depois disso, o jogo teve queda de rendimento. Com muitos erros e ataques precipitados dos dois lados, o marcador ficou inalterado por alguns minutos. Aos poucos, o ritmo melhorou, e as equipes voltaram a pontuar, com Alexandre e Castellon se destacando para os donos da casa, enquanto Jefferson e Henrique pontuavam da linha dos três pontos para a equipe de Demétrius, que fechou a primeira metade na frente, 36 a 32.

 

   O Dragão voltou para a segunda etapa cuspindo fogo. Com Hettsheimeir doutrinando no garrafão, e Gegê convertendo bola de fora, a equipe de Demétrius chegou a colocar a vantagem na casa dos dois dígitos. Os mandantes se encontraram graças ao bom jogo da dupla Castellon e Alexandre, além de entrada de Maique. Enquanto a dupla infiltrava para pontuar, o pivô tinha o trabalho de conter Hettsheimeir, bem como pontuar junto à cesta, e o fez muito bem, mas os jovens bauruenses também se destacaram. Gui Santos, de fora, e Michael, capturando rebote ofensivo e pontuando em falta antidesportiva, deram importante folga bauruense ao final do terceiro período, 60 a 52.

 

 Vindo do banco, ala foi elemento surpresa na vitória bauruense. (Caio Casagrande)

 

    A Liga Sorocabana, que rotineiramente pressiona seus adversários quando atua no Gualberto Moreira, não teve tempo para sequer esboçá-la. Com ótimo início de parcial do trio de armadores bauruenses (Gegê, Valtinho e Gui Santos), que obtiveram 100% de aproveitamento nos arremessos na primeira metade do período, quando anotaram os primeiros quinze pontos da equipe bauruense, o Dragão minou ali todas as possibilidades de uma blitz sorocabana, que ainda viu Cafferata, que veio do Osasco, se destacar no período. Mas àquela altura já era tarde, e na troca de cestas, Bauru tirou a invencibilidade da equipe de Rinaldo, 84 a 70.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags