A consolidação mogiana

01/12/2016

    A fria madrugada trouxe diante de uma escola clássica, fria, e aplicada escola argentina, o título da Liga Sulamericana. Na decisão, diante do Bahia Blanca, o Mogi, apesar das dificuldades, bateu por 3 a 0 o rival, com o jogo decisivo, ontem, sendo disputado em solo portenho, 84 a 81.

 

   É bem verdade que o placar final da série esconde o que de fato foi essa final. Com confrontos equilibrados, e decididos apenas no último minuto, a equipe do Alto Tietê mostrou estar mais preparada e madura, especialmente após ter tirado o peso das costas após o título paulista, para nos momentos de decisão controlar a jovem equipe argentina.

 

 Jogadores e comissão comemoram o título internacional. (FIBA Américas)

 

   Em todos os jogos, o adversário trouxe consigo as raízes da escola argentina, com uma defesa sólida e verticalidade no contragolpe. Além disso, tinha em seu quinteto titular jogadores interessantes, como é o caso de Redivo e Johnson. O armador do Bahia foi preciso nos dois primeiros confrontos disputado no Hugão. Com eficiência nos tiros do perímetro e na cabeça do garrafão, deu trabalho à Guerrinha. Mas, quem mais incomodou o treinador mogiano, foi o americano Johnson, que fez o que quis dentro do garrafão. Com rebotes ofensivos, e bolas de segurança, foi a principal arma dos argentinos.

 

   O que Mogi fez para superar essas adversidades foi apostar num jogo mais distante da cesta, especialmente quando Caio tirou o pivô de sua zona de conforto. Longe dela foi bem nas bolas de três, além de deixar a quadra mais aberta para que Shamell e Tyrone colocassem dúvida na cabeça de seus marcadores, que para conter infiltrações, pagaram para os dois, que de fora, foram decisivos na conquista mogiana.

 

   Com a triste mas justíssima punição da FIBA ao Brasil, o título ganha mais expressão. Claro que Mogi gostaria de estar na Liga das Américas, mas o troféu coloca mais pressão nos rivais da equipe, uma vez que o NBB é agora a única chance para todos soltarem o grito de campeão da garganta e frearem a, até agora, temporada perfeita de Shamell e companhia.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags