Mogi deslancha a partir do segundo quarto e vence Minas

16/12/2016

   O Mogi não teve muitas dificuldades para vencer o Minas, mesmo longe do Hugão, por 104 a 84, e se reabilitar da derrota sofrida para o Brasília, na última terça feira. O resultado mantém a equipe no G4 da competição, com cinco vitórias em sete jogos, mesma campanha do Vitória, que na sequência sofreu seu primeiro revés em casa, para o Bauru.

 

   Após um primeiro quarto equilibrado, os comandados de Guerrinha isolaram Danilo, que vinha sendo o jogador mais efetivo dos mandantes. Sem auxílio do ala, a equipe se perdeu em quadra, e só causou algum incômodo ao Mogi quando o jogo era concentrado no poste baixo, já que a ausência de Caio Torres fez com que os paulistas sofressem com o rebote defensivo. A medida então foi apostar na defesa alta, nos contragolpes e artilharia no perímetro, com Tyrone e Filipin, que terminaram com 25 e 24 pontos respectivamente.

 

O JOGO

 

  Embalado pela vitória diante do Campo Mourão, o Minas começou a partida on fire. Com arremessos certeiros de Mosso e Danilo, da linha dos tres pontos, a equipe largou na frente. Aos poucos, o Mogi subiu a marcação, tirando o tiro longo, e graças ao trio norte-americano, o Mogi foi equilibrando a partida. A partir de então as equipes mudaram a forma de jogar. Os mandantes apostavam nas infiltrações de Paulinho e nos rebotes ofensivos, enquanto que a equipe paulista viu as peças do banco (Elinho e Fabricio) funcionarem, dando a vitória parcial, 24 a 22.

 

  Diferentemente do período anterior, quem iniciou a parcial melhor foi Mogi. Sufocando defensivamente as peças que vieram do banco mineiro, a equipe saiu em transição, e contou com boa contribuição de Tyrone para aplicar 12 a 0 e assim colocar a vantagem na casa dos dígitos duplos. A volta dos titulares foi imediada, e logo Danilo converteu os primeiros pontos dos mandantes no período, mas a defesa mogiana seguia implacável, e explorando a velocidade de Filipin, seguiu ampliando a liderança. Para fugir dos erros que cometia ao tentar infiltrar, o Minas passou a apostar nos arremessos a média e longa distância, com Paulinho e Panunzio, mas os comandados de Guerrinha emplacaram três bolas de fora, com Tyrone, Filipin e Fabricio, fechando o primeiro tempo com larga vantagem, 38 a 55.

 

 Dominante dos dois lados da quadra, Tyrone foi o nome do jogo. (Orlando Bento)

 

  Na volta para a segunda etapa, as agremiações apostaram no jogo interno, e tiveram desempenho semelhante, com três bolas convertidas de cada lado junto à cesta, e uma de perímetro, sendo anotada por Mosso, para o Minas, e Shamell, para o Mogi. Do meio da parcial em diante, os trabalhos defensivos dificultaram as ações do oponente, que por muitas vezes cometeram violações. Melhor para os mandantes, que com Danilo recuperando bolas, Mosso capturando rebotes, e Xande distribuindo assistências, diminuíram um pouco o prejuízo no marcador, embora a equipe do Alto Tietê ainda estivesse confortável na partida, 62 a 77.

 

   No início do último quarto, os paulistas mostraram frieza para frear qualquer reação dos mandantes. Com forte marcação que isolava Danilo, e bom aproveitamento do perímetro, foram duas bolas de Tyrone, uma de Jimmy, e outra de Vithinho, a equipe alcançou sua maior vantagem dentro da partida, 68 a 95. Assim, não teve problemas para deixar o tempo correr, e assegurar a vitória, que alcançou placar centenário, 104 a 84.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados