A mudança na tabela do NBB e as expectativas nesse início de 2017!

06/01/2017

  O torcedor mais fanático, o mais entusiasta e o mais preocupado já deve ter aberto a tabela completa do NBB9 e ter reparado, mas pra grande maioria do público, isso deve ter passado despercebido. Estamos falando das longas sequências que as equipes enfrentaram e ainda vão enfrentar na competição.

 

   Nas primeiras edições do Novo Basquete Brasil era comum ver rodadas duplas, com as equipes alternando dois jogos em casa, e dois longe de seus domínios, sempre com adversários da mesma região. Entretanto, hoje, com o calendário cada vez mais apertado devido aos compromissos das equipes com outros campeonatos, tem sido frequente ver as agremiações disputarem quatro, cinco partidas dentro e depois passar pela mesma situação fora de casa. A única equipe que foge à regra é o Macaé, que não possui uma sequência de mais de três jogos como mandante ou visitante.

 

 Com a volta de atletas lesionados e sequência em casa, Cearense deve subir na tabela de classificação. (Moreira)

 

   A Liga Nacional, através de sua assessoria, nos atendeu e disse que não há um fator específico para a construção da tabela, já que com a quantidade de times e competições paralelas, que acaba alterando a datas de alguns embates, seria impossível organizar um calendários nos moldes das primeiras edições. Vale ressaltar que a situação poderia ser "agravada" caso as equipes brasileiras não estivessem suspensas das competições internacionais devido aos inúmeros problemas da CBB.

 

   Assim como em qualquer outra situação, ao colocarmos o caso na balança, é possível tirar aspectos positivos e negativos. Como tivemos um ano de 2016 difícil para muitas equipes, com fechamento de alguns polos tradicionais por falta de verba, não podemos deixar de lado o impacto financeiro. Com a proximidade dos jogos e essas sequências maiores, os clubes acabam gastando menos com viagens e despesas nelas inclusas, uma vez que acaba emendando uma na outra sem precisar retornar para casa para uma ou duas partidas antes de encarar novos compromissos fora de seus domínios.

 

 Líder Flamengo, tem o melhor aproveitamento como visitantes: 4 jogos, 4 triunfos. (Luiz Pires)

 

   Agora, voltando a discutir o basquete dentro de quadra, é preciso olhar com bastante atenção para o equilíbrio das equipes, especialmente as mais jovens. Se uma longa sequência em casa pode resultar no crescimento da equipe, seja recuperando jogadores lesionados, engatando vitórias na competição e ganhando confiança; uma série distante pode causar problemas e frear a ascensão do clube, fazendo com que o time entra numa gangorra, subindo e descendo na tabela de classificação.

 

Separamos algumas sequências interessantes que algumas equipes enfrentarão no NBB após a pausa para as festas de fim de ano:

 

Basquete Cearense: Fará quatro partida consecutivas em casa (Vitória, Paulistano, Sorocaba e Pinheiros), atuando assim todo o mês de janeiro diante de sua torcida. Depois, sai para enfrentar o o Minas e o Brasília, antes de retornar ao Paulo Sarasate aonde emplaca mais quatro jogos como mandante (Caxias, Vasco, Mogi e Campo Mourão). Portanto, dos 10 próximos jogos, 8 serão em casa (a equipe de Bial tem 50% de aproveitamento no Paulo Sarasate), e essa sequência pode sim embalar a equipe para um melhor posicionamento em busca dos playoffs.

 

Brasília: Outro que vai se aproveitar do fator casa nesse início de 2017. Sete dos próximos nove compromissos serão no Ginásio da Asceb (Minas, Macaé, Flamengo, Vitória, Cearense, Paulistano e Sorocaba). Apesar da dificuldade das partidas, o Brasília vem mostrando, ao longo desse NBB, que nenhum visitante terá vida fácil quando atuar na capital federal. Até agora, em cinco jogos, apenas o Campo Mourão voltou com a vitória na mala.

 

Mogi: Os comandados de Guerrinha até abrem o ano atuando fora de casa (logo mais contra o caçula Campo Mourão), mas depois do compromisso no Paraná, terá cinco jogos consecutivos no Hugão, aonde mantém 100% de aproveitamento até o momento, com três vitórias. Primeiro a equipe do Alto Tietê terá pela frente os rivais paulistas Bauru e Franca, depois Flamengo, Macaé e Vitória).

 

Franca: Por outro lado, quem vai passar o começo de ano longe de casa, é o Franca. A equipe de Helinho tem pela frente cinco confrontos como visitante (Bauru, Campo Mourão, Mogi, Flamengo e Macaé), e apesar das dificuldades, aposta no bom desempenho fora de casa, para subir na tabela. Até aqui foram 5 jogos longe do Pedrocão, com dois triunfos, desempenho muito bom se considerarmos os problemas de lesão que a equipe enfrentou e as dificuldades de atuar longe em um campeonato equilibrado.

 

Pinheiros: Assim como o Franca, a equipe da capital paulista terá pela frente uma maratona fora de São Paulo. Dos oito próximos jogos, seis serão jogos longe de casa, contra adversários fortes e/ou que exigem longa viagem (Caxias, Vasco, Cearense, Vitória, Bauru e Franca).

 

   Apesar dos cenários indicarem alguns apontamentos, o Novo Basquete Brasil mostra cada dia mais equilíbrio, contrariando alguns prognósticos e valorizando a disputa pelo título nacional. Para se ter uma ideia, nos 81 jogos realizados até aqui, os mandantes venceram apenas 44, chegando a um aproveitamento de 54,3%. Portanto, que venham os jogos, as confirmações, as rupturas, as prorrogações, bem vindo 2017!

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados