Mogi domina Bauru, que fica para trás na tabela de classificação.

11/01/2017

   Na primeira de uma série de cinco partidas que fará diante de seu torcedor, o Mogi não teve muitas dificuldades para bater o Bauru por 89 a 66, refazendo as pazes com a vitória após dois revés consecutivos. Com o resultado, a equipe ultrapassa o próprio adversário na tabela de classificação, e fica na torcida por um revés do Campo Mourão, para poder entrar no G4; enquanto que o Bauru cai para o oitavo lugar.

 

   O cestinha da partida foi Tyrone, com 21 pontos, e o ala pivô, em entrevista ao SporTV, comentou sobre a mudança de postura da equipe: "Bauru é uma equipe que ganhou quase tudo que disputou, então quando jogamos contra essas equipes, é normal que entremos mais motivados, com vontade de vencê-los."

 

   Mais do que a grande partida do americano, o Mogi foi muito mais inteligente na leitura de jogo. Sempre buscando o companheiro melhor posicionado, com ataques equilibrados (diferentemente do Bauru que chutou 42 de fora e apenas 19 no garrafão), a equipe do Alto Tietê esteve a frente do marcador durante quase toda a partida, e soube administrar os momentos de crescimento do adversário.

 

   E foi justamente esse o ponto que Bauru falhou, segundo o ala Alex Garcia: "O primeiro quarto nem pesou tanto, até porque conseguimos buscar, ficamos 4, 5 pontos atrás. Mas quando nos aproximamos falhamos, cometemos desatenções e acabamos tentando compensar no ataque, sem sucesso."

 

 

O JOGO

 

   Os primeiros minutos de jogo foram de muito equilíbrio e verticalidade. Com alto nível técnico mostrado pelas equipes, especialmente no perímetro - com  Tyrone e Shamell pelos mandantes, e com Jefferson,  Gui e Leo Meindl para os visitantes -, foi comum ver as agremiações se alternarem na dianteira do marcador, em uma primeira metade de parcial espetacular, ofensivamente falando. Porém, como era de se esperar, seria comum ver uma queda no aproveitamento dos arremessos longos, mas somente Mogi soube fazer a leitura correta, e explorando o jogo interno, com Caio e Tyrone, conseguiu manter o excelente aproveitamento nos tiros de quadra, emplacando uma sequência que fez com que a diferença disparasse aon final do primeiro quarto, 36 a 22.

 

   Sofrendo diante do forte garrafão mogiano, o Dragão continuava a insistir nas bolas de três pontos, e parando no aro, acabou permitindo contragolpes do adversário, que ainda contava com Tyrone em grande noite. Mas foi justamente através do perímetro que a equipe da Cidade Sem Limites se recuperou dentro do quarto para voltar à partida, após estar perdendo por dezenove pontos. Com um quinteto leve e com poder de fogo, conseguiu rotacionar bem a bola, encontrando Gege, por duas vezes, e Gui bem posicionados para descontar. Nos instantes finais do primeiro tempo, Jimmy e Alex chamaram o jogo para si, e protagonizando um belo duelo, deram números finais à primeira metade, 51 a 42.

 

 Tyrone novamente foi destaque diante do Bauru (Antonio Penedo).

 

   Na volta dos vestiários, o Bauru começou a apostar no poste baixo, com Hettsheimeir, e após ajustar a  defesa, conseguiu através dos contragolpes, encostar no marcador, em bandeja de Leo Meindl e tiro a média distância de Alex. Mas a rotação bauruense não soube agredir a defesa da equipe de Guerrinha, que já tinha estourado de falta e cometendo algumas precipitações, acabou permitindo o jogo de transição do adversário, que foi colocado muitas vezes no lance livre, principalmente com seu capitão Filipin, que não desperdiçou, recolocando a diferença na casa dos dígitos duplos. No final, os visitantes, após a entrada de Gui, melhoraram e diminuíram o prejuízo parcial, 69 a 59.

 

   Bauru sabia que estava vivo dentro da partida, mas também tinha conhecimento do que precisaria fazer para de fato lutar pela vitória: defender bem e atacar com inteligência. Porém a equipe pecou nos dois aspectos. Além de forçar bolas de fora, acabou cedendo rebotes ofensivos ao Mogi, que concentrava suas ações nas infiltrações de Shamell, e high low de Tyrone e Caio Torres. Dessa forma, os mandantes acabaram dilatando o marcador sem maiores dificuldades, fechando a partida em 89 a 66.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados