Crescendo dentro da partida, Bauru desbanca o Campo Mourão.

13/01/2017

   Mesmo atuando fora de casa, e diante de uma das sensações do campeonato, o Bauru Basket conseguiu conquistar vitória importante, diante do Campo Mourão, por 82 a 62. Na partida dessa noite, Alex, que não foi o cestinha, mas flertou com o triplo duplo, ao anotar 20 pontos, capturar 8 rebotes e distribuir 6 assistências, comentou (à Jornada Esportiva) sobre o resultado e a oscilação bauruense: "Ta difícil, estamos errando muita coisa, mas temos de botar isso na cabeça. Quando defendemos bem, atacamos bem. Ainda estou sem ritmo de jogo mas consegui ajudar a equipe, e é essa a função do capitão."

 

   O confronto que marcava o embate entre as equipes que tinham a mesma campanha até o início da partida, com 7 vitórias em 13 jogos, também reservava outras semelhanças. Embora há uma diferença técnica e orçamentária entre elas, há a peculiaridade de estarem localizadas em cidades universitárias, do interior, e a aposta na força de suas fanáticas torcidas para chegarem longe na temporada. Emerson de Souza, treinador Mourãoense, em entrevista ao Jornada Esportiva, falou sobre o fato:

 

"É uma honra para nós atuar diante do Bauru, que tem Alex Garcia, Hetssheimeir, e foi um dos nossos primeiros adversários, no início do projeto em 2008. Estamos com muitos desfalques, e isso faz com que a equipe tenha uma queda de rendimento durante a partida."

 

   No jogo, o Bauru, que vinha de uma partida muito aquém diante do Mogi, conseguiu atuar como equipe e de forma inteligente, já que os ataques foram mais equilibrados, distribuídos, e sem precipitações. Agora ambos terão uma semana livre para treinar e recuperar atletas lesionados, antes de pegarem estrada. A equipe paulista espera manter a postura nos próximos dois jogos, que serão fora de casa, diante do líder Flamengo e do Macaé. Já a paranaense, terá pela frente o Paulistano e a Liga Sorocabana.

 

O JOGO

 

   O Campo Mourão mostrou, logo de cara, porque tem sido uma das gratas surpresas desse Novo Basquete Brasil. Aplicando ritmo avassalador, conseguiu jogar em transição, selecionando bem os arremessos, chegando a incríveis 100% de aproveitamento nos primeiros minutos, onde Pastor foi a principal arma da equipe, que teve grande aproveitamento no perímetro e chegou a aplicar 15 a 2. Através dos selecionáveis Alex Garcia e Hettsheimeir, que emplacou duas bolas do perímetro, o Bauru foi se encontrando e reduzindo a diferença no marcador, 22 a 16.

 

   Guiados por Alex Garcia, a equipe paulista não deixou o ritmo cair na volta para o segundo quarto. Com uma formação leve e baixa, que privilegiava as infiltrações, o Bauru voltou melhor e até teve a chance de virar a partida, mas os mandantes, que já não tinha o mesmo aproveitamento no perímetro, conseguiram se recuperar dentro do período com Pastor, que em jogadas consecutivas no garrafão, equilibrou as ações no quarto. Foi então que os visitantes encaixaram um bom sistema defensivo - anulando o trabalho de pick and roll do adversário -, e agredindo a equipe da casa através de jogadas em velocidade, sempre puxadas pelo Brabo, que ainda calibrou a mão e guardou duas bolas de fora, dando a liderança à sua equipe, 42 a 35.

 

 Vindo do banco, Leo Meindl fez uma boa partida (Caio Casagrande)

 

   Na volta do intervalo, a equipe de Emerson acabou deixando de lado o excelente trabalho coletivo que vem desempenhando nesse primeiro turno, e concentrando suas ações na dupla de norteamericanos Brown e Jordan, acabou parando nas dobras bauruense. Com muito equilíbrio na distribuição, que sempre buscava um atleta melhor posicionado, o Dragão fluiu ofensivamente e após sequência de Leo Meindl, Jefferson e Hettsheimeir, colocou, com certa facilidade a diferença próxima dos vinte pontos. A bronca do treinador Emerson, aliada ao retorno do armador Brown e ingresso de Wesley, reacenderam o Campo Mourão, que voltou a defender bem e sair em velocidade, reduzindo a desvantagem no marcador, 64 a 49.

 

 Cestinha com 24 pontos, Hettsheimeir foi fundamental na última parcial (Caio Casagrande).

 

   Precisando cortar a diferença, o Campo Mourão, empurrado pela torcida, tratou de acelerar o ritmo de jogo e com boa contribuição de sua dupla principal, Douglas Nunes e Betinho, conseguiu ser efetivo no ataque. Mas Bauru mostrou inteligência e frieza para cuidar bem da bola, freando a reação mourãoense. Trabalhando sempre no limite dos 24 segundos, ora buscando Hettsheimeir, que dominou o garrafão, ora explorando as infiltrações de Leo Meindl, o Dragão não teve dificuldades para assegurar a vitória na casa do adversário, por 82 a 62.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags