Na prorrogação, Franca bate líder Flamengo

O Franca aprontou diante do líder do NBB9. Mesmo atuando na casa do Flamengo, a equipe fez um bom jogo e na prorrogação selou a vitória, por 83 a 80, após empate em 70 pontos na etapa regulamentar.


Para sair do Tijuca Tênis Clube com o triunfo, os comandados de Helinho apostaram nas dobras em cima dos homens de garrafão rubronegro, que perdeu força com o desfalque de Marcelinho, que se junta à Fischer e Humberto, no departamento médico.


O Flamengo tenta a recuperação já na terça, diante do Bauru, quarto colocado. O Franca segue na estrada para confrontar o Macaé, um dia antes, na segunda.

O JOGO

Em virtude dos desfalques do adversário, que perdeu força no perímetro, o Franca apostou nas dobras para conter o forte jogo interno da dupla Olivinha e JP Batista. Saindo em transição, conseguiu equilibrar as ações, com destaque para Antônio, internamente, e Dedé e Cipolini, que converteram bolas de fora. Nos instantes finais, Marquinhos, através de infiltrações e Rollins, com rebotes ofensivos, diminuíram o prejuízo parcial, 19 a 14.


Em sua estreia, Rollins se aproximou do duplo duplo: 10 pontos e 8 rebotes (Reprodução).

No primeiro minuto do segundo período, o Flamengo acelerou a partida, e com bolas longas de Ronald Ramon, chegou a empatar a partida, mas não demorou muito para os visitantes se encontrarem e retomarem as rédeas da partida. Capturando rebotes ofensivos, a equipe conseguiu, com seus homens de garrafão (Pedro e Antônio), recolocar a diferença na casa dos dígitos duplos. Já na reta final do primeiro tempo, os mandantes conseguiram descontar com Olivinha atuando próximo à cesta, 36 a 32.


O intervalo parece ter ascendido o Flamengo e esfriado o Franca. Dominando a área pintada, com sua dupla de pivôs, JP e Olivinha, o rubronegro passou a frente do marcador antes mesmo da metade do período. Aos poucos, a equipe de Helinho até conseguiu movimentar melhor a bola, mas sem confiança para arremessar, não conseguia agredir o adversário, que continuava a dominar o garrafão, mas agora com Rollins. Na base da individualidade, Coelho, tirando proveito da sua velocidade, conseguiu melhorar a produção ofensiva dos paulistas. Mas Marquinhos, que até então estava discreto, não deixou barato, e com belos chutes, tratou de confirmar o bom momento do Clube da Gávea, 57 a 47.


No começo da última parcial, o Franca conseguiu retomar o ritmo defensivo que vinha desempenhando na partida. Com ajuda do lado oposto e atenção aos rebotes, a equipe se aproveitou dos bloqueios ofensivos, para se colocar em situações de Miss Match, especialmente com Pedro. Mas o Flamengo, não é líder por acaso. Com boa contribuição de Marquinhos e Rollins, a equipe de Neto seguia com uma leve gordurinha no marcador. Em uma última blitz defensiva, que fechou o meio do garrafão, onde o americano vinha aparecendo bem, os paulistas saíram em velocidade, e com Pedro e Coelho, conseguiu levar a partida para a prorrogação, 70 a 70.


Assim como Pedro, Coelho cresceu de produção na reta final (Reprodução).

Qualquer detalhe pode ser decisivo, quando o jogo chega ao tempo extra. Até poderia ter sido o aproveitamento no lance livre, algo que ficou bem abaixo, mas na o que mais chamou a atenção foi o aspecto físico e psicológico do lado francano. Melhor fisicamente, a equipe de Helinho, contou com Pedro em grande momento, para desde o início liderar. Olivinha e Marquinhos até tentaram responder à altura, mas na última posse de bola, o camisa 12 converteu bola de três e definiu a partida, 83 a 80.

Postagens Recentes
Arquivo
Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados