Vasco vence o primeiro clássico e agrava mau momento rubronegro

28/01/2017

   O primeiro clássico entre Vasco e Flamengo, foi diferente, mas teve o brilho que se esperava. Isso porque, a partida, que deveria ser disputada dia 18 de dezembro, finalmente foi realizada, só que com portões fechados em decorrência da posição da polícia, que não garantia segurança aos torcedores. A decisão acabou frustando todos que amam o esporte, sejam eles vascaínos, flamenguistas, ou torcedores de outras agremiações.

 

   Mesmo sem a presença de seus torcedores, os rivais cariocas protagonizaram um grande jogo. Com muitas alternativas dentro da partida, os clubes se alternaram na liderança do marcador, e chegaram nos segundos finais vivos no duelo. No final, no primeiro embate entre ambos no NBB, deu Vasco, 78 a 77.

 

   Com o triunfo, o Vasco volta a vencer, se aproximando do G4 da competição, com nove vitórias em dezesseis jogos. Já o Flamengo, que tem inúmeros desfalques, conheceu sua terceira derrota consecutiva, permanecendo com doze triunfos, mas agora em dezessete duelos.

 

 

O JOGO

 

   Diante da lamentável postura tomada pela polícia, que alegou não ter condições de garantir segurança às torcidas, o clássico carioca foi disputado sem público. E isso afetou a produção das equipes no começo da partida. Buscando referências dentro de quadra, as equipes apostaram no jogo interno, e quem se encontrou primeiro foi o rubronegro, com JP Batista. Percebendo o domínio do adversário no garrafão, Dedé colocou Wagner em quadra, e o experiente pivô até 

equilibrou a briga pelas sobras. Só que Olivinha, o maior reboteiro dessa edição, entendeu o posicionamento do cruz maltino, e recuperando algumas bolas, permitiu que sua equipe voltasse a jogar em transição, finalizando o período na frente, após duas bolas longas de Marquinhos, 22 a 11.

 

Mesmo após as Olimpíadas, Vasco e Flamengo tiveram de jogar com portões fechados (André Durão).

   

   Na volta para o segundo quarto, porém, o cenário se inverteu. Com uma defesa agressiva - que levou o Flamengo a cometer quatro erros -, e velocidade para contra-atacar, o Vasco, conseguiu voltar à partida. Em virtude da força do adversário no jogo interno, e potencial de seus armadores e alas, a equipe cruzmaltina concentrou suas ações em bolas longas e após sequência de arremessos certeiros de Palacios e Hélio, que vieram bem do banco, e Nezinho, a equipe de Dedé chegou a empatar o duelo. Mas nos minutos finais, Marquinhos e Mineiro, mesmo com as dificuldades impostas pelo adversário, converteram arremessos importantes, que garantiram a manutenção da liderança, 38 a 35.

 

   No segundo tempo os times impuseram forte ritmo ofensivo, levando ampla vantagem sobre as defesas. Com muita movimentação e verticalidade, os pilares da equipe (Nezinho e Helio para os mandantes e Marquinhos e JP para os visitantes), em jogadas de infiltração, apareciam em condições de pontuar, fazendo com que houvesse muitas trocas de liderança. Nem mesmo algumas modificações diminuíram o ritmo da parcial, que terminou com vitória dos Gigantes da Colina, após boa prestação de Murilo em jogadas de pick and roll, 64 a 59.

 

   Com uma marcação mais forte no homem da bola, os comandados de Neto, logo de cara, conseguiram retomar a ponta, em jogadas puxadas por Marquinhos (foto). Embora trabalhassem de forma diferente no ataque, ambos seguiam enfrentando problemas com a forte marcação do rival. O Vasco explorava o miss match para colocar Ramon contra Olivinha, mas acabou falhando nas bolas de três, enquanto o Flamengo movimentava mais a bola, e tinha ajuda do lado contrário, só que também não conseguia finalizar o ataque. Assim, as equipes, que passaram a se alternar na dianteira do marcador, pontuavam mais na linha do lance livre do que em arremessos de quadra.

 

    

   Mas, na reta final, Marquinhos, que vinha sendo o principal jogador do Clube da Gávea, se descontrolou e, em duas jogadas consecutivas, cometeu falta técnica, sendo eliminado do jogo. A ausência do ala olímpico, somada as ausências que o rubronegro tinha por lesão ou situação de jogo, deixou o pentacampeão em situação complicada, e embora Pedrinho tenha pontuado na sequência, os dois erros consecutivos no final do jogo, aliado à bandeja de David Jackson, selaram a vitória vascaína, 78 a 77.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags