Com ótimo último quarto, Caxias conquista vitória histórica diante do Bauru

24/02/2017

   O Bauru entrou no ultimo quarto com o jogo na mão. Dominando a partida desde os primeiros minutos, o Dragão foi para a última parcial vencendo por quinze pontos, mas errando muito, permitiu que o Caxias aplicasse uma virada inimaginável, por 76 a 74.

 

   O resultado torna-se ainda mais difícil de dirigir, não só pela forma com que escapou das mãos do elenco bauruense. Mas também pelo que significava um triunfo no sul do país. Vencer, significaria aproximar-se ainda mais dos líderes Flamengo e Brasília, que perderam nessa rodada para Paulistano e Pinheiros.

 

   Apesar dos vacilos, não se pode tirar os méritos do Caxias, que na sua luta diária contra o descenso, mostrou muita fibra. Com Stábile liderando a recuperação, o lanterna conseguiu desbancar uma equipe que vinha em ótima fase, com sete triunfos consecutivos.

 

   À título de curiosidade, se vencesse essa noite, o Dragão alcançaria sua segunda melhor sequência na história do NBB, ficando atrás apenas da obtida no NBB7, quando acumulou 26 resultados positivos em sequência, recorde do NBB.

 

O JOGO

 

   Imprimindo uma defesa forte, Bauru, desde o apito inicial, teve tranquilidade para buscar o arremesso equilibrado, e dessa forma, com artilharia pesada na linha dos três (Alex, Leo Meindl e Jaú), os paulistas abriram, logo de cara, vantagem na casa dos dígitos duplos. Quando o Caxias conseguiu se encontrar na partida, através das infiltrações de Diego e pontaria de Arthur, Jaú, substituindo Jefferson, com desconforto intestinal, seguia sendo efetivo no ataque. Só que o jovem bauruense tinha companhia, e após bolas do perímetro de Gui e Stefano, a equipe da Cidade Sem Limites, fechou o quarto em, 31 a 19.

 

   Diferentemente do período anterior, quando Bauru destoou do início ao fim, foi o Caxias quem começou melhor. Com Carioca, ex Bauru, assumindo as definições ofensivas, e convertendo duas bolas de três, os gaúchos conseguiram superar os sistema defensivo bauruense no início da segunda parcial. Com a volta de Gegê à armação, Bauru conseguiu movimentar melhor a bola, e assim, Maicão e Gui equilibraram a parcial. O cenário não se alterou, e com participações destacadas de Dida, para os mandantes, e Valtinho, para os mandantes, as equipes trocaram cestas, e a vantagem no marcador seguiu confortável para o Dragão, 49 a 36.

 

Jaú saiu como titular e foi bem, mas teve poucas oportunidades no segundo tempo (Geremias Orlandi).

 

   O terceiro quarto definitivamente ficou marcado pelo trabalho defensivos das equipes, que levaram vantagem sobre os ataques. Quem se adaptou melhor à situação foi o Bauru, que recuperando bolas com Alex, e capturando sobras ofensivas com Shilton, conseguiu, em bolas de segurança, aproveitar o maior volume. Nos instantes finais, o Caxias, usando bem Marcão, reduziu um pouco a desvantagem parcial, 62 a 47.

 

   A vantagem construída pela equipe de Demétrius acabou caindo rapidamente no início do último quarto. Com um ritmo acelerado, os mandantes conseguiram distribuir bem a pontuação entre os atletas e também entre o trabalho interno e as bolas de fora. A recuperação sulista, puxada por Stábile, fez com que Bauru ascendesse o sinal de alerta, mas nem mesmo o tempo pedido por Demétrius, e a liderança do Brabo, cestinha bauruense com 18 pontos, fez com que o Dragão despertasse.

 

   De bola em bola, o Caxias, conseguiu chegar ao empate, a menos de dois minutos para o final do jogo. Na sequência Shilton converteu bola importante, só que no lance seguinte, Vinícius calibrou a mão e em bola de três, deu a liderança ao Caxias. Gegê, converteu três lances livres, respondendo praticamente na mesma moeda, mas Bauru seguia perdido na parcial, e sem mostrar o mesmo desempenho defensivo, Bauru viu os mandantes retomarem a ponta e não perderem mais, 76 a 74.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags