Definidos técnicos do Jogo das Estrelas

23/02/2017

   Com a proximidade do Jogo das Estrelas, que será disputado dia 19 de março, algumas nomes começam a ser definidos, coroados. Na tarde de ontem a Liga divulgou os comandantes dos times Brasil e Mundo, e as escolhas, que foram feitas por votos de jogadores, treinadores, imprensa especializada e personalidades do basquete, coroou os técnicos das equipes que figuram no G4 da competição.

 

   À frente do Time Brasil, estará Bruno Savignani, treinador do agora vice-líder Brasília. Com um elenco bem recheado, o jovem comandante conseguiu fazer com que as peças desempenhassem em quadra aquilo que delas se esperam, especialmente Fúlvio e Lucas Mariano. A dupla tem impulsionado o ataque candango, segundo melhor da competição, mas é importante ressaltar a melhora que Bruno imprimiu na defesa do tricampeão do NBB.

 

 Savignani vem fazendo um belo trabalho a frente do Brasília (Geremias Orlandi).

 

   Ele terá como auxiliar, José Neto, treinador do Flamengo. O tetracampeão do NBB à frente do rubronegro, sofreu ao final do primeiro turno com as lesões de peças fundamentais de seu elenco. As ausências de Fischer, Humberto e depois Marcelinho, fizeram com que a equipe sentisse dentro da quadra, acumulando três derrotas consecutivas, algo que há tempos os cariocas não provavam. Mas, mesmo assim, conseguiu-se manter nas primeiras colocações devido ao excelente começo de temporada (8-0), e bom trabalho com os jovens, como Lele.

 

   Do outro lado, caberá a Régis Marrelli a missão de comandar o Time Mundo. O treinador do Vitória é responsável por uma das campanhas mais surpreendentes desse campeonato. Com um orçamento inferior, conseguiu garimpar bons nomes, que encaixaram dentro do sistema de jogo. Assim, como uma defesa forte, e liderado por Dawkins, o Vitória desbancou equipes mais tradicionais e com até mais variações em seu elenco, ficando até agora dentro do G4 da competição.

 

Depois de uma experiencia como assistente, será a primeira vez como comandante no JDE (Reprodução).

 

   O experiente treinador terá como auxiliar um jovem muito qualificado, Demétrius Ferracciú. Depois de bater na trave e ficar com o vice do NBB logo no primeiro ano a frente do Bauru, Dema viu a equipe sofrer um desmanche decorrente da saída do patrocinador máster. Quando a equipe parecia estabilizada, Hettsheimeir, cestinha da equipe, foi para a Espanha. Sem muito tempo para assimilar o golpe, implantou um sistema defensivo muito forte, e sofrendo menos de 70 pontos nos últimos sete jogos, conseguiu sete resultados positivos, que colocaram o Bauru na cola dos líderes Flamengo e Brasília.

 

   Claro que outros nomes tem feito temporada de destaque à frente de seus esquadrões, como por exemplo Helinho, no Franca, e também Emerson, do caçula Campo Mourão, mas ao meu ver, os selecionados fizeram por merecer a vaga no Jogo das Estrelas. Talvez, com uma reformulação do evento (falarei mais disso na próxima semana), esses e outros nomes, pudessem aparecer, recebendo o destaque que também merecem.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags