Reconstrução: Uma palavra de ordem

27/03/2017

   Nunca é fácil digerir uma notícia ruim, um resultado adverso. O Caxias que o diga. Com a derrota em casa, por 67 a 59, para a Liga Sorocabana, adversário direto na briga contra o rebaixamento, o esquadrão sulista acabou caindo.

 

 

 Derrota no confronto direto foi decisiva para o descenso do Caxias (Geremias Orlandi).

 

   É fácil, nesse momento de dor, apontar os erros e buscar vilões, mas é justamente agora, na adversidade, que a equipe precisa de sabedoria para compreender o que aconteceu, se pretende voltar ainda mais forte ao NBB11.

 

   Claro que os resultados são obtidos em quadra, pelos atletas, mas a formação, muitas vezes passa desapercebida, justo ela, tão fundamental na busca dos objetivos dos clubes, sejam eles mais ousados, mais modestos.

 

   Nessa temporada, o clube do Rio Grande do Sul sofreu uma reformulação. Perdeu algumas peças importantes como Betinho, que brilha no Campo Mourão, e Gustavinho, que mesmo com números discretos, é uma boa alternativa à Davi, no Basquete Cearense. Os dois, junto de Marcão, compunham o tripé sulista na temporada passada.

 

   Com a ausência dos dois jogadores, a diretoria, rapidamente, tratou de renovar com Marcão. Depois, foi ao mercado e trouxe algumas peças que acabaram não correspondendo à altura. A exceção talvez seja Arthur, ala-pivô que veio do extinto São José. O jovem jogador, mesmo sem ajuda significativa de seus companheiros, acabou se redobrando dentro e fora do garrafão e foi o cestinha da equipe, com média de 14,4 e 5,2 pontos.

 

Com passagem pela base da seleção, Irigoyen chegou a realizar pré-temporada, mas acabou pedindo rescisão do contrato (Felipe Nyland). 

 

   Não podemos deixar de lado os bons jogos que a equipe fez, batendo equipes mais fortes, como na virada diante do Bauru, e no triunfo sobre o Vasco, na capital fluminense. Mas, esses lampejos não foram suficientes para salvar uma equipe que flertou com o rebaixamento desde o início.

 

   Agora, é hora da diretoria sentar e colocar na balança todo o planejamento traçado para essa temporada, observando os resultados de cada uma de suas investidas. Feito isso, terá que olhar para frente. Dar continuidade ao projeto, de forma responsável, com manutenção de patrocinadores e colaboradores será fundamental para que as coisas sejam diferentes no próximo ano. A manutenção, aliada a um trabalho mais qualificado na formação do grupo, fará a equipe entrar com boas chances na próxima edição da Liga Ouro, cada dia mais competitiva.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados