Na ponta do lápis

29/03/2017

   O final de semana se aproxima, e com ele a primeira definição do NBB. Isso porque, sábado, ao final da tarde, será encerrada a primeira fase dessa que é a edição mais disputada da história do campeonato. Com apenas duas rodadas por jogar, muita coisa segue indefinida. Independentemente dos objetivos (G4, G8 ou G12), a certeza é de muita emoção! Para deixar você por dentro do que cada uma das equipes precisam, fizemos um resumo e te entregamos de bandeja!

 

 

Imagem ilustrativa

 

Flamengo: Única equipe assegurada no G4, é também a única a depender de seus próprios resultados para terminar na liderança da competição. Para isso basta vencer seus dois últimos compromissos, diante do Minas e do Brasília, em casa. Outra possibilidade seria vencer a equipe de Belo Horizonte e contar com o revés dos Lobos, que mede forças com o Macaé. Assim, não seria alcançado nem por Mogi, que leva desvantagem no confronto direto, nem para a própria equipe da Capital Federal, que não igualaria a campanha rubro-negra. 

 

Mogi: A equipe de Guerrinha não está garantida no G4, mas dificilmente perderá a vaga. Com uma gordurinha boa em relação ao quinto colocado Franca, Mogi está, nessa altura, mais preocupado com a briga pelas primeiras colocações. Isso porque, só perde a vaga no G4 se perder, por uma margem grande, o confronto para Bauru e Franca, que por sua vez deverão vencer os outros compromissos, formando assim um tríplice empate, que privilegiaria quem possuísse melhor saldo de cestas. Para terminar na ponta, precisa vencer seus jogos e torcer para o Flamengo não vencer nenhum de seus compromissos. Como leva vantagem sobre Brasília no confronto direto, precisa de uma vitória para sacramentar, ao menos a segunda colocação.

 

Brasília: Podendo terminar na liderança, ou até mesmo fora do G4, o Brasília chega para os últimos jogos com um olho no peixe e outro no gato. Para terminar com a melhor campanha, precisa vencer os dois jogos (Macaé e Flamengo), e torcer para que Flamengo e Mogi, não acumulem mais vitórias. A medida para terminar em segundo exige "apenas" que Fúlvio e companhia deem o triunfo aos Lobos, e a equipe paulista saia derrotada nos dois jogos. Mas é bom ficar atento, porque Bauru e Franca estão colados, e os francanos ainda levam a melhor no confronto direto.

 

Bauru: Outro que segue com a vida indefinida é Bauru. O Dragão não pode mais sonhar com a primeira colocação, mas ainda tem possibilidades de terminar em segundo, embora esteja pressionado pelo Franca, que quer entrar no G4. Duas vitórias (Mogi e Campo Mourão), com direito à diferença de 24 pontos sobre Mogi, aliado a duas derrotas de Brasília, garantem a vice liderança. Como não leva vantagem no desempate com os Lobos, precisa torcer contra os candangos para ao menos assegurar o terceiro lugar, se vencer seus jogos. Caso faça sua parte, mas não conte com bons resultados paralelos, termina em quarto. Se perder um, ou dois jogos, precisará contar com uma campanha semelhante do Franca, para manter-se dentro dos quatro primeiros.

 

Franca: Com campanha semelhante a de Bauru, mas fora do G4 em virtude do confronto direto, o Franca chega para as duas últimas rodadas com condições semelhantes ao do rival paulista. Com a tabela invertida em relação ao Dragão (Campo e Mogi), a equipe de Helinho precisa dos dois triunfos, sendo o diante do Mogi por 20 pontos, para sonhar a vice liderança, que viria em um eventual tríplice empate. Para beliscar uma vaga no G4, mais palpável, precisa vencer e torcer por uma derrota do Brasília , já que possui vantagem nos critérios de desempate, ou do Bauru, que passaria a ter uma vitória a menos. 

 

Pinheiros: Sem chances de G4, já que na melhor das hipóteses igualaria a campanha dos arquirrivais Bauru e Franca, ficando atrás no critério de desempate (Bauru levaria a melhor no saldo de cestas +8), o Pinheiros recebe o Caxias e o Vasco buscando solidificar a sexta colocação. Com campanha semelhante ao do Vitória, o clube da capital precisa de apenas dois triunfos. Mas, qualquer deslize pode custar caro, já que não só o rubro-negro, como também o Paulistano e o Campo Mourão estão na cola. Tamanha proximidade na tabela, dá a possibilidade de diferentes combinações de posições, em situações que podem envolver até o quádruplo empate!

 

Vitória: Uma das surpresas do campeonato, o Vitória chega nas duas últimas rodadas em uma condição bem diferente da esperada, embora o saldo ainda seja positivo. Depois de figurar boa parte da competição nas primeiras colocações, a equipe não tem mais chance de avançar direto às quartas. Para terminar em sexto, melhor colocação possível, o Vitória precisará vencer seus dois jogos fora de casa, contra Liga Sorocabana e Paulistano, e torcer por um tropeço do Pinheiros. Outra possibilidade é uma vitória aliada a dois revés do clube paulista, desde que seu tropeço não seja para o Paulistano, por mais de sete pontos.

 

Paulistano: Fechando o G8, grupo de equipes que decidem em casa as oitavas, o Paulistano, busca, nos dois jogos em casa diante do Cearense e do Vitória, confirmar a oitava colação, e se possível um emparelhamento melhor. Como possui vantagem sobre o Campo Mourão, vencer uma partida diante de seu torcedor garante, ao menos, o primeiro objetivo. Agora, se vencer o Cearense, e depois bater o Vitória por nove ou mais pontos de diferença, ultrapassa a equipe de Régis Marrelli.

 

Campo Mourão: Caçula de campanha empolgante, o Campo Mourão vive uma situação de indefinição. Podendo subir, como também descer na tabela, a equipe de Emerson deve manter um olho na quadra e outro nos resultados. Como perde nos critérios de desempate para Pinheiros e Vitória, a equipe paranaense pode no máximo roubar a oitava colocação, invertendo, assim, o mando de quadra nas oitavas. Para isso, precisa vencer os dois confrontos e contar com duas derrotas do Paulistano. Para não ser ultrapassado, basta uma vitória simples, diante do Franca, ou do Bauru. Em caso de dois resultados negativos, teria de torcer pelo mesmo desempenho do Vasco, e que o Cearense não vença os dois jogos que tem por fazer.

 

Vasco: O Vasco chega para a última rodada em uma situação abaixo da esperada. Com uma campanha de altos e baixos, a equipe cruz-maltina não leva vantagem sobre nenhum adversário direto na briga por um emparelhamento melhor. Assim, pode alcançar, no máximo, o nono lugar. Para roubar a posição dos mourãoenses, terá de vencer o Pinheiros e secar o rival nos dois jogos. Caso não vença o jogo na capital paulista, poderá ser ultrapassado pelo Basquete Cearense, caso a equipe de Bial vença os dois confrontos.

 

Cearense: O Cearense aterriza no estado de São Paulo sabendo bem do que precisa dentro da competição. Desde quando a classificação foi obtida, a equipe busca uma recuperação, visando não só uma melhor colocação, mas também os playoffs. Caso faça um tour com dois triunfos, aliado a resultados negativos de Campo e Vasco, terminará um décimo. Qualquer resultado diferente dessa combinação, não altera a posição dos comandados de Bial.

 

Minas: No limite da zona de classificação, o Minas não terá moleza nessa reta final. O equilíbrio e a vantagem obtida até aqui, deixam o clube de Belo Horizonte na frente dos concorrentes. Podendo até se classificar sem vencer nenhum confronto, o Minas, se não quiser dar sopa para o azar, pode selar a vaga vencendo o Flamengo, desde que o Macaé não bata o Brasília. Se chegarem com a mesma diferença na última rodada, assegura a classificação desde que não perca por mais de sete pontos e a Liga Sorocabana não consiga a dobradinha em cima das equipes nordestinas.

 

Macaé: Na busca pelo G12, pode atingir o objetivo de duas formas. Se entrar em condição semelhante na última rodada (uma vitória a menos que o Minas), precisa vencer o rival direto por 9 pontos. Se conseguir igualar a campanha já nessa rodada, basta uma simples vitória sobre a equipe de Belo Horizonte para ficar com a vaga.

 

Liga Sorocabana: Livre de qualquer risco de rebaixamento após o confronto direto contra o Caxias, a Liga Sorocabana volta a olhar para cima na tabela de classificação. A missão é dura, pois não basta apenas vencer o Vitória e o Basquete Cearense, tem de contar com uma combinação de resultados de Minas e Macaé. Os mineiros não podem vencer mais, enquanto que a equipe de Kendall não pode bater o Brasília, vencendo assim, apenas o confronto contra o próprio Minas, em casa.

 

Lembrando que ainda nem chegamos nos playoffs, ein...

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo