Vitória domina o Campo Mourão e larga na frente

08/04/2017

   A série entre as surpresas do campeonato, Vitória e Campo Mourão, começou de uma forma bem diferente do que se imaginava. Com um desempenho defensivo muito forte, o rubro-negro neutralizou a equipe paranaense, que mesmo atuando em casa, ficou perdida com o sistema imposto por Régis Marrelli.

 

   O resultado do ajuste obtido pelos visitantes, foi uma vitória tranquila - praticamente de ponta a ponta -, que terminou com um placar pra lá de elástico, que não reflete o equilíbrio entre os clubes.

 

Com 100% de aproveitamento, Kurtz dominou o garrafão (LNB).

 

   Agora, a série vai para Salvador, onde o Vitória pode, com o apoio de seu torcedor, carimbar a vaga nas quartas, enquanto que o Campo Mourão precisará confirmar seu bom desempenho fora de casa para forçar, ao menos, o jogo quatro, em casa.

 

O JOGO

 

   Logo de cara, Campo Mourão e Vitória reforçaram a expectativa de um jogo equilibrado. No início às equipes contaram com boa colaboração de Douglas Nunes e Keyron, para concluir seus ataques. Aos poucos, outras peças foram aparecendo, dando mais variedade aos rivais. E foi justamente através dessas novas possibilidades, que os visitantes foram abrindo vantagem. Com liberdade, Dawkins mostrou todo seu potencial no perímetro, ao anotar duas bolas consecutivas. Brown tentou responder para o caçula do NBB, e até foi bastante efetivo quando buscou as infiltrações, mas no final do período, os visitantes, que não permitiram um rebote ofensivo ao adversário, conseguiram desgarrar um pouquinho no marcador, após bolas de Artur e Kurt, 22 a 17.


   Todo o equilíbrio esperado começou a desaparecer no início da segunda parcial. Com a defesa ajustada, saiu em transição, explorando bem a verticalidade de Dawkins, para colocar, pela primeira vez, a diferença na casa dos dígitos duplos. Tentando arrumar a casa, Emerson pediu para que o Campo Mourão tivesse tranquilidade, é ofensivamente, com Betinho calibrado, a equipe deu sinais de melhora, só que os visitantes estavam mais equilibrados. Devolvendo as bolas longas de Betinho, André  Goes, deu números finais ao primeiro tempo, 34 a 45.

 

Betinho se desdobrou em quadra, mas diante da desorganização da equipe, nada pode fazer (LNB).




   O cenário, que já não era bom para Campo Mourão, ficou muito pior no começo do segundo tempo. Com pouca movimentação ofensiva, se livrava da bola de maneira muito rápida. Assim, permitia que o Vitoria saíssem em transição, justamente o rubro-negro, que tem Dawkins e Keyron no quinteto titular. Com muita facilidade, a equipe de Régis Marrelli converteu sete bandeja, colocando a vantagem em 25 pontos. Aos poucos, os mandantes melhoraram sua defesa, dando mais espaço para atacar. Só que sem confiança, a equipe não aproveitou as oportunidades que teve, mesmo elas sendo claras. Refém da individualidade de Betinho, que anotou os dois únicos arremessos da equipe no período, Campo Mourão viu o Vitória fechar a parcial com o jogo nas mãos, 69 a 42.


   Com o jogo praticamente resolvido, as equipes atuaram sem muita responsabilidade no último quarto. Enquanto o Campo Mourão tentava acelerar o jogo, até para diminuir o placar elástico, o Vitória gastava mais o tempo para atacar. Isso fez com que a equipe local produzisse muito mais e tamanha produção, especialmente no perímetro, fez com que a equipe vencesse a parcial, embora a aquela altura, de nada valesse, 85 a 63. 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo