Cearense vira sobre o Paulistano e fica a um triunfo das quartas

12/04/2017

   O Cearense deu um importante passo rumo às quartas de final do Novo Basquete Brasil. Jogando na capital paulista, o clube de Bial contou com um belo segundo tempo (45 a 30) para surpreender o Paulistano por 85 a 81, ficando, assim, a um triunfo da classificação.

 

   Para conseguir a recuperação dentro da partida, o Carcará contou com mudança de postura defensiva. Com mais movimentação, conseguiu tirar a velocidade do adversário e fechar muito bem os espaços dentro de seu garrafão. Com o ajuste, teve tranquilidade para atacar e trabalhar coletivamente. Com cinco atletas anotando dez ou mais pontos, a equipe nordestina foi assumindo o controle do jogo, que terminou com vitória apertada.

 

   O resultado ofensivo faz com que a vantagem dentro da série se inverta. Se o Paulistano tinha o direito de decidir em casa, agora é o Cearense que terá a chance de sacramentar a classificação diante de seu torcedor, no sábado (15). Para não dar adeus à competição, Gustavinho e companhia tentarão estragar os planos do Carcará, forçando um quinto jogo, que seria realizado novamente na capital paulista.

 

O JOGO

 

   No começo da partida, os rivais apostaram em estratégias diferentes. Enquanto o Paulistano concentrava seus ataques em bolas longas, especialmente da zona morta, o Cearense trabalhava mais internamente. Os visitantes até se aproveitaram da contribuição de Leozão, que levava vantagem no poste baixo, só que a matemática é clara. Com uma chuva de bolas de três pontos (Lucas Dias, Hure e Mogi), os mandantes foram tomando as rédeas da partida. Quando a equipe de Bial converteu bolas do perímetro, equilibrando seu ataque, conseguiu se aproximar no marcador. Mas, a equipe da casa não se abalou, e com bolas de Guilherme na área pintada, fez jus a maior regularidade, fechando o período em 25 a 19.

 

   Assim como no início do confronto, o Paulistano mostrou mão certeira do perímetro no início do segundo quarto, deixando a vantagem próxima dos dígitos duplos, após arremessos de Georginho e Hure. Mas o Carcará, mais atento na defesa e coletivo no ataque, foi articulando bons ataques, que lhe permitiram encostar no marcador após boa sequência de Duda e Davi. Depois de algumas trocas de cestas, quando a diferença no marcador era de apenas um ponto, os mandantes voltaram a explorar aquilo que tem de melhor para readquirir uma gordurinha no marcador. Com uma formação leve, impôs velocidade, e após assistências de Pecos, converteu arremessos de fora, com Jonathan e Mogi, fechando o primeiro tempo em 51 a 40.

 

Mudança defensiva fez com que o aproveitamento do Paulistano caísse de 61% para 26% (Filippo Ferrari).

 

   As equipes voltaram do intervalo mais dispostas à alcançar seus objetivos. Mas tamanha vontade, fez com que os primeiros minutos da segunda etapa ficassem marcados por muitos encontrões e faltas. Quando a bola finalmente rolou, Hure foi se destacando pelo lado dos mandantes, que chegaram a colocar treze pontos de frente. Só que, se no primeiro tempo foi a equipe de Gustavinho quem estava calibrada no perímetro, no terceiro quarto, quem estava com a mão boa era o Carcará. Com boa movimentação, a equipe de Bial emplacou três bolas consecutivas do perímetro (Audrei, Davi e Rashaun) que foram fundamentais para a equipe ir para o último período na frente, 67 a 66.

 

   O jogo parelho fez com que os treinadores olhassem com atenção para o trabalho defensivo na última parcial. Colocando em quadra jogadores com características de contenção, os clubes dificultaram as ações ofensivas doas ataques, que passaram a encontrar dificuldades para concluir suas jogadas, principalmente dentro do garrafão. Dessa forma, tanto Paulistano, quanto Cearense se viram obrigados a arriscar do perímetro. Com bom desempenho de Yago e Audrei, os clubes protagonizaram um quarto equilibrado, que chegou na reta final com possibilidades de triunfo de ambos os lados. No final, pesou, a favor dos visitantes, a solidez defensiva e a competência ofensivo, sobretudo no garrafão. Com Leozão protegendo os rebotes, e bolas de segurança de Davi e Audrei, o Cearense fechou o jogo em 85 a 81.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags