Consistente, Vitória elimina Campo Mourão

19/04/2017

 

   O Vitória confirmou na noite de hoje (18), a classificação para as quartas de final. A vaga pôs fim a recuperação do caçula Campo Mourão, que perdia a série por 2 a 0, e foi buscar o empate. Nessa noite, o rubro-negro foi muito mais consistente e mereceu avançar na competição.

 

   Depois de um primeiro quarto equilibrado (15 a 12), a equipe da casa foi se impondo e mostrou porque está um degrau acima da equipe paranaense. Com mais experiência, tirou proveito de um Dawkins inspirado e querendo jogo, para abrir frente e apenas controlar as reações do rival.

 

   O revés significa o adeus do caçula à competição, mas embora fique a sensação de que pudesse chegar mais longe, é preciso enaltecer a história que a equipe fez na competição. Depois de um belo começo de temporada, o melhor da história dos estreantes, a equipe alcançou os playoffs e representou muito bem todos os envolvidos com o projeto.

 

   Agora, Régis Marrelli e companhia terão pela frente o Mogi, pelo segundo ano consecutivo. Na temporada passada, a equipe do Alto Tietê varreu a equipe nordestina por 3 a 0. Nesta temporada, a equipe de Guerrinha venceu os dois jogos, mas por uma margem apertada, 75 a 72 e 63 a 60.

 

O JOGO

 

   Na volta para o segundo período, o Campo Mourão até chegar a empatar a partida, com o arremesso certeiro de Leandro, logo no início do quarto, mas o Vitória se recuperou rapidamente, e muito em função da liderança exercida por Dawkins. Com toco, infiltração e bola de três pontos, o armador colocou ordem na casa, que incendiaria logo em seguida. Tentando à todo custo conter o americano, Campo Mourão deixava muito espaço no lado oposto, e os mandantes, que não tinham nada com isso, castigaram nas bolas longas de Edu e Renato. No ataque, a equipe paranaense até movimentava bem a bola, mas pecando nos arremessos de três pontos, foi perdendo a confiança e o balanço defensivo. Assim, com muita facilidade, Renato se aproveitou de um garrafão desprotegido para dar números finais ao primeiro tempo, 42 a 28.

 

 Com experiência de sobra, Dawkins foi o líder rubro-negro na partida (Divulgação).

 

   Sem outra alternativa, o caçula do NBB voltou com outra postura. Mais agressivo na defesa, neutralizou as ações do Vitória e foi cortando a diferença, com Isaac. Com a diferença caindo para menos de dez pontos, Régis deu uma chamada de atenção em seus jogadores, e eles entenderam o recado. Com mais movimentação, a equipe da casa continha qualquer tentativa de reação do adversário, que voltava a descuidar dos rebotes e do lado oposto. Com liberdade, o rubro-negro foi convertendo uma bola atrás da outra, principalmente com a dupla Artur e André, fechando o período em 66 a 43.

 

   Quando o jogo parecia definido, um elemento surpresa apareceu e deu novos ares ao jogo. Sem muito tempo de quadra ao longo da série, Jordan ganhou uma chance e reacendeu a esperança dos visitantes. Com duas bolas de três pontos, o ala trouxe a diferença para "apenas" 14 pontos. Exatamente os 14 pontos que o Vitória reverteu no jogo 2 entre as equipes. Naquela ocasião, o Leão conseguiu a virada em apenas cinco minutos, enquanto o caçula tinha oito minutos para repetir o feito. Tentando se encontrar na parcial, o rubro-negro contou com a precipitação dos visitantes, que continham o adversário na defesa, mas pecava na frente. Assim, Key teve a tranquilidade para encontrar Coimbra bem posicionado no garrafão, para finalmente voltar a fazer o jogo dos mandantes fluírem. No final, as equipes foram trocando cestas e o jogo terminou em 73 a 60.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags