Bauru volta a vencer o Brasília e avança à semifinal

01/05/2017

   O Novo Basquete Brasil conheceu hoje (30) seu primeiro semifinalista. Trata-se do Bauru Basket, que voltou a vencer o Brasília, dessa vez por 80 a 78, fechando a série em 3 a 1. Apesar do equilíbrio expresso no marcador ao longo de toda a partida, o Dragão se manteve à frente boa parte do jogo, demonstrando uma maior força, fator preponderante para a vitória.

 

   Outro ponto a destacar foram as variações ofensivas do Dragão. Com boa leitura de jogo, Bauru mesclava bem as ações internas com as bolas do perímetro, algo que faltou aos Lobos. No total, Bauru converteu onze bolas de três pontos, contra apenas cinco do adversário.

 

 Com duplo duplo, 20 pontos e 14 rebotes, Je foi decisivo no triunfo bauruense (Caio Casagrande).

 

   Mas, sem dúvida nenhuma, pesou a favor dos mandantes o apoio de sua torcida, que lotou o Ginásio Panela de Pressão. Demétrius Ferracciú, comandante da equipe, ressaltou a força dos torcedores, projetando inclusive o impacto que eles podem fazer. Vale ressaltar que se o adversário do Dragão for o Flamengo, o jogo será em Bauru, diferentemente dos anos anteriores, quando se encontraram em Marília na final, por determinação da Liga.

 

"Confiamos mas mantemos o pé no chão, porque foi um playoff difícil, onde tivemos de provar muita coisa e conseguimos. Isso nos dá credibilidade para chegar confiante. A torcida é nosso sexto jogador e hoje mostrou sua força, nos deixando a vontade. Queremos usar esse ponto a nossa favor para fazer uma grande semifinal."

 

   Ao final do duelo, os jogadores candangos ficaram muito emocionados, principalmente Giovannoni e Fúlvio, que fez uma leitura da série: "Estou muito triste porque não queria ser eliminado. Acho que foi uma temporada excelente, infelizmente a gente cruzou com um adversário que estava mais capacitado na série. Parabéns para eles, que cresceram na hora certa."

   Agora a equipe paulista aguarda o desfecho da série entre Flamengo e Pinheiros, para conhecer seu rival na semifinal. Até aqui a equipe carioca vai vencendo por 2 a 1, e pode sacramentar a vaga amanhã, às 19 horas, caso volte a bater Holloway e companhia. 

 

O JOGO

 

   A equipe da casa, impulsionada pela sua torcida que lotou o Panela de Pressão, começou a partida em um ritmo avassalador. Com muita velocidade na articulação, Bauru criava espaços com facilidade, principalmente no garrafão adversário, onde Leo Meindl brilhou. Aquela altura, o Brasília demonstrava claros sinais de nervosismo, desperdiçando bolas fáceis e lances livres, algo que não costuma acontecer. Aos poucos os candangos foram se encontrando, principalmente porque Giovannoni apareceu. Assumindo a responsabilidade, o camisa 12 causou muita dor de cabeça a defesa bauruense, que não conseguia neutralizá-lo. Assim, de ponto em ponto, os Lobos entraram no jogo, e até chegaram a virada, que veio em putback de Paulo, no último lance do primeiro quarto, 22 a 20.

 

Cestinha da partida com 21 pontos, Giovannoni foi a principal referência ofensiva dos Lobos (Ricardo Marchetti).

 

   Assim como no período anterior, Bauru iniciou a parcial mais ligado. Com a entrada de Gui e manutenção de Jaú, o Dragão passou a defender melhor, principalmente Guilherme Giovannoni, neutralizado com dobras. O ajuste permitiu que os mandantes saíssem em transição. Em velocidade, a equipe encontrou caminho livre para realizar bandejas, com Valtinho e Leo Meindl. A equipe da Capital Federal até tentou responder, mas esbarrava nas trocas ajustadas de Bauru e no nervosismo de Lucas Mariano, que embora tenha anotado algumas bolas importantes, não repetia o mesmo desempenho de outros jogos, principalmente na linha do lance livre. Bauru, que não tinha nada a ver com isso, aproveitou e foi para o intervalo na frente após bolas de três pontos de Jefferson e Jaú, 39 a 35.

 

   Os primeiros minutos do segundo tempo foram equilibrados. Priorizando o trabalho interno, Bauru e Brasília travaram um duelo acirrado dentro do garrafão, especialmente entre Jaú e Lucas Mariano. Cada rebote era disputado como se fosse um prato de comida. Isso fez com que o jogo ficasse amarrado, picado e recheado de faltas. Mas também ouve espaços para lances bonitos, como as bolas de três pontos de Gegê e Jefferson e o contragolpe puxado por Deryk Ramos. Mas a verdade mesmo é que o lance que marcou o período foi a trombada entre Alex e Paulo, que acabou perdendo o dente. O prejuízo foi grande para o jovem jogador candango, mas não foi nada comparado a vantagem que Bauru construiu na reta final do quarto, após infiltrações de Leo Meindl e Jefferson, 63 a 56.

 

 Leo deu versatilidade à equipe de Demétrius (Caio Casagrande).

 

   A vantagem dos mandantes, que já era confortável, ficou ainda maior no começo da etapa final. Agressivo dos dois lados da quadra, Alex recuperou bola e converteu bola de três, deixando a diferença em onze pontos, a maior da partida. Só que Brasília não se entregou e foi buscar a virada. Concentrando suas ações no trabalho interno de Giovannoni e bola longa de Fúlvio, os Lobos recuperaram a ponta. Se o Brasília não se abateu e foi buscar o jogo, não seria o Dragão, diante de sua torcida, que iria se entregar. Mesclando muito bem as infiltrações, com Gui e Jefferson, e os tiros longos de Leo e do Batman, Bauru encaminhou a vitória ao abrir cinco pontos a menos de um minuto para o final da partida. Sem outra alternativa, Brasília buscou os ataques rápidos do perímetro, e Fúlvio até acertou, mas Lucas Mariano desperdiçou a oportunidade e a vaga ficou mesmo com o Dragão, 80 a 78.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo