Franca atropela o Paulistano e leva decisão para o Pedrocão

03/05/2017

   O jogo não foi em casa, mas Franca se sentiu bem à vontade na Capital Paulista. Com incentivo de muitos torcedores que moram na capital, a equipe entrou em quadra motivada e não deu chances ao Paulistano. Depois de um primeiro quarto avassalador, 33 a 9, a equipe do interior paulista controlou o jogo com muita inteligência, fechando o duelo com um expressivo 105 a 87. 

 

Ex Paulistano, Pedro mostrou conhecer os atalhos da quadra: converteu as 4 bolas de três que tentou (Divulgação).

 

   Se a diferença imposta essa noite não garante uma vantagem técnica para o próximo jogo, faz com que, ao menos, a equipe entre com muita moral na partida decisiva, que será de fato ao lado de seu torcedor. Por falar nisso, o confronto acontecerá no sábado, ainda em horário indefinido, já que haverá a habitual transmissão da Band.

 

  Como a série entre Mogi e Vitória segue aberta, com a possibilidade de um quinto jogo, que também seria disputado no mesmo dia, Franca não sabe que horas irá à quadra. Caso a equipe do Alto Tietê sacramente a vaga ainda hoje, Franca e Paulistano se enfrentarão às 14 horas, na tela da Band. Agora, se o Leão vencer a equipe de Guerrinha, a emissora irá transmitir o quinto duelo da série, empurrando o confronto francano para mais tarde.

 

O JOGO

 

   Sem outra alternativa, se não batalhar por cada posse de bola para seguir vivo, o Franca veio para o jogo com agressividade na marcação, sobretudo de Coelho sobre Georginho. Levando o adversário ao erro, a equipe visitante soube explorar o bom início de jogo de Pedro, para iniciar o duelo em vantagem. O Paulistano bem que tentou responder em jogadas de pick and roll de Georginho e Guilherme, mas a verdade é que os comandados de Helinho davam uma aula defensiva. Usando bem o banco de reservas, conseguiu manter a intensidade dos dois lados da quadra. Neutralizando toda e qualquer investida do adversário, Franca selecionou bem seus arremessos, principalmente no perímetro, onde Cipolini, Pedro e Dedé foram certeiros, impondo assim um quarto avassalador, 33 a 9.

 

   No início do segundo período o Paulistano finalmente conseguiu trabalhar coletivamente no ataque, encontrando espaços no garrafão francano, em infiltrações de Pecos, mas sangrou muito para pontuar, enquanto que, do outro lado, a equipe do interior paulista pontuava com facilidade, em jogadas articuladas por Coelho e finalizadas por Dedé. Na reta final da parcial, a equipe de Gustavinho apostando em dobras, apresentou uma melhora defensiva que lhe rendeu alguns contragolpes. Saindo em superioridade numérica, os mandantes anotaram suas primeiras bolas de três pontos em arremessos de Hure, diminuindo um pouquinho a desvantagem no marcador. Só que Franca estava impossível, e logo se ajustou à essa situação, rodando mais rápido a bola para devolver as bolas longas, com Alexey, João Pedro e Antônio, dando números finais ao primeiro tempo, 59 a 33.
 

   Tentando encontrar um quinteto que respondesse melhor ao que pedia a partida, Gustavinho apostou em uma formação leve, com quatro jogadores baixos, mas a equipe seguia com os mesmos problemas. Defesa maleável e ataque individualista, refém quase sempre das boas jogadas de Pecos. Assim, a equipe seguia sendo uma presa fácil para o Franca, que usava e abusava das infiltrações, principalmente com Alexey. Fazendo a leitura de jogo correta, a equipe de Helinho valorizou bem a posse de bola, trabalhando dentro dos 24 segundos e buscando sempre os contatos, que ocasionou alguns lances livres. Isso fez com que os visitantes fossem para o último quarto com o jogo na mão, 79 a 52.

 

Bem municiado pela dupla de armadores, que somaram 18 assistências, Antônio apareceu bem no perímetro (Divulgação). 

 

   Com o jogo definido, os rivais usaram o último período para se preparar para o quinto e decisivo jogo. Fazendo testes em suas equipes, Helinho e Gustavinho deram mais tempo de quadra a jogadores da rotação, em busca de um crescimento individual que pudesse acrescentar algo para o jogo de sábado. E os dois comandantes colheram os frutos que plantaram nessa parcial. Isso porque Yago e Antonio brilharam. Com bom aproveitamento no perímetro, os jovens anotaram 17 e 10 pontos, respectivamente, mostrando que podem ser mais um peça nesse tabuleiro de xadrez que tem sido o confronto entre Franca e Paulistano. Por falar nisso, Franca fechou o duelo em 105 a 87.

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags