Nos braços da torcida, Bauru assegura vaga na final

24/05/2017

  Foi nos braços da torcida que jogadores e comissão técnica do Bauru Basket comemoraram sua vaga histórica à final. A vitória de hoje, por 66 a 60, representa a virada do Dragão, que fechou a série em 3 a 2 após ver o adversário abrir 2 a 0 no confronto. A reviravolta nunca havia acontecido nessa altura do campeonato.

 

  Se não bastasse esse feito, os comandados de Demétrius alcançaram outro feito expressivo nessa noite. Bauru se juntou à Flamengo e Brasília como únicas equipes à chegarem três vezes consecutivas à final. Para o torcedor mais supersticioso, os únicos campeões estão fora de disputa, logo Bauru pinta como grande favorito na finalíssima, embora seja notável a força do trabalho desenvolvido pelo rival, o Paulistano.

 

  Os feitos foram lembrados e justificados por Demétrius: "É uma vitória que premia todo o trabalho que é feito aqui em Bauru. Conseguimos manter o time em um alto nível e chegar a mais uma final. Todos os jogadores tiveram um empenho incrível e isso fez a diferença."

 

 Bauru de Demétrius deu outra aula defensiva essa noite (Caio Casagrande).

 

  Já Gui, que veio do banco, não esqueceu de agradecer à torcida, que lotou o Panela de Pressão, mais uma vez. Mas a verdade é que Bauru, que se reinventou defensivamente após a saída de Hettsheimeir, deu uma aula defensiva novamente, limitando o Pinheiros à apenas 60 pontos. Em nenhum dos quartos a equipe da capital chegou sequer aos 20 pontos.

 

  Agora Bauru concentrará suas energias no Paulistano, adversário da final. O primeiro jogo da série decisiva acontece no próximo sábado, no Ginásio Antônio Prado Jr, casa da equipe de Gustavinho. Depois a série vem para o interior paulista, onde o Dragão mandará suas partidas. No primeiro jogo como mandante, dia 02, Bauru mandará o duelo em sua caverna, o Panela de Pressão. Mas para a terceira partida da finalíssima, o torcedor deverá pegar estrada, já que Botucatu e Araraquara surgem como opções.

 

O JOGO

 

  O quinto e decisivo confronto da série entre Bauru e Pinheiros começou da forma que se esperava. Brigando por cada bola como se fosse a última, os rivais iniciaram a partida com uma intensidade e entrega defensiva admirável. Aliando domínio de rebotes com bom trabalho ofensivo na área pintada, Shilton fez com que a equipe da casa largasse na frente. Só que não demorou muito para o clube da capital responder e assumir o controle do jogo. Com Holloway agressivo no ataque, os pinheirenses apresentaram um equilíbrio maior, tanto que logo a diferença a favor dos visitantes foi aparecendo no marcador. Com dificuldades na conclusão das jogadas, especialmente no perímetro (0/8), Bauru só voltou a pontuar no última posse de bola, diminuindo a vantagem do rival, em infiltração de Jefferson, 17 a 11.

 

Depois de perder o primeiro período, Dragão contou com jogo coletivo para entrar na partida (Caio Casagrande).

 

  No início do segundo período, Bauru até conseguiu tirar a organização do rival, já que Holloway, espinha dorsal do Pinheiros, era bem fiscalizado por Gui Deodato. Mas insistindo em bolas de três que teimavam em não cair, o Dragão demorou a incomodar a equipe de César Guidetti. A recuperação só foi possível porque Alex começou a costurar boas tramas ofensivas. Priorizando as infiltrações, o camisa 10 foi incisivo com a bola em mãos. Pontuando e servindo seus companheiros, o Brabo foi o grande líder da equipe na remontada. Com a confiança restabelecida, Bauru finalmente pontuou no perímetro, e foi justamente por ali, com Valtinho e Jefferson, que os mandantes construíram uma gordura no marcador já na reta final do primeiro tempo, 34 a 26.

 

  Impulsionado pelos arremessos certeiros de Holloway e Gemerson na linha dos três pontos, o Pinheiros fazia de tudo para encostar no marcador, mas sempre que se aproximava, Bauru demonstrava tranquilidade e respondia em bolas de segurança de Jefferson e Gabriel Jaú, mantendo a parcial equilibrada. A situação, que já era boa, ficou ainda mais confortável quando Gui veio para a quadra. Conhecido pelo belo desempenho defensivo, o jovem brilhou mesmo no ataque. Rompendo a linha defensiva, o Batman finalizou uma de suas infiltrações com uma bela enterrada, freando o trabalho individual de Ansaloni e levantando o Ginásio Panela de Pressão, 49 a 42.

 

  Depois de muitas tentativas, César Guidetti encontrou no início do último período, uma alternativa interessante, que conseguiu castigar a bem postada defesa bauruense. Com um quinteto leve, a equipe da capital soube aproveitar os espaços criados através de infiltrações, para encostar no marcador, com Bennett e Neto. Aquela altura, o clima era de total tensão, já que a menos de três minutos para o fim, a partida estava aberta. Só que o Bauru soube lidar melhor com os ânimos para sair de quadra com a história classificação à final.

 

 Decisivo na partida, Jaú celebra a vitória com irmã mais nova (Caio Casagrande).

 

  Demonstrando muita tranquilidade e organização, o Dragão soube trabalhar muito bem em relação às dobras, tanto na defesa, quanto no ataque. Além de dobrar no momento certo sobre Holloway, dificultando a reação pinheirense, Bauru soube rodar bem a bola para superar a blitz do rival, finalizando o jogo em tiro certeiro de Gui Deodato, na linha dos três pontos, e bolas de segurança de Jaú e Valtinho, selando o jogo em 66 a 60.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags