Paulistano domina o primeiro quarto e vence clássico contra o Pinheiros

12/08/2017

  O Paulistano tirou proveito do menor número de desfalques nesse início da temporada para impor seu ritmo de jogo e bater o Pinheiros, mesmo atuando na casa do rival, por 74 a 65. Com o resultado, as equipes terminam a segunda rodada com a mesma campanha, contabilizando um triunfo e um revés para cada lado.

  O resultado foi construído integralmente no primeiro quarto, quando a equipe de Gustavinho entrou no ritmo que a partida pedia e atropelou o rival, que demorou a se encontrar dentro de quadra. Dominando o garrafão, com Vitão e Guilherme, aplicou 24 a 8 no período, margem fundamental para o triunfo.

 

  Durante os outros período, o Pinheiros buscou à todo custo montar uma recuperação, mas esbarrou nas limitações de sua equipe - que além de seus norte-americanos, não contou com Gemerson -, e na noite discreta de seus homens de garrafão.

 

  Ainda sem grandes novidades, os rivais voltam à quadra na próxima semana, pela terceira rodada do estadual. Na quarta o Pinheiros recebe o Mogi das Cruzes, às 19:30. Já o Paulistano visita o América de Rio Preto no sábado, às 18 horas.

 

O JOGO

 

  Logo nos primeiros minutos ficou bem claro que as equipes explorariam o trabalho interno. Com inteligência, Elinho e Ruivo buscavam colocar os pivôs em situações favoráveis próximos à cesta, facilitando as ações ofensivas. Tirando proveito dessa situação, os ataques levaram ampla vantagem sobre as defesas, fazendo com que o placar seguisse parelho.

  Quando equilibrou o volume de jogo, evitando desperdícios e rebotes ofensivos do rival, o Paulistano desgarrou no marcador. Além da força dentro do garrafão, com Vitão e Guilherme, o clube visitante explorou a velocidade Yago para articular as jogadas, finalizadas por seus alas no perímetro, para construir uma larga vantagem já no primeiro quarto, 24 a 8.

 

Pinheiros não repetiu o mesmo desempenho interno que teve na estreia contra o Bauru (Bruna Moura).


  O Pinheiros voltou com outra postura para o segundo quarto. Com mais agressividade dos dois lados da quadra, os mandantes tiraram o rival de sua zona de conforto para sair em transição, muitas vezes com Ruivo. Assim, os comandados de Cortez foram cortando a diferença imposta pelos visitantes no primeiro quarto, reduzindo-a a apenas dez pontos.

 

  Depois do tempo pedido por Gustavinho, o vice-campeão acordou na parcial. Contando com boa participação de Guilherme, que apareceu tanto na pontuação, quanto no trabalho coletivo, ajudando com rebotes e assistências, a equipe voltou a concretizar suas jogadas com boa leitura de todo o quinteto. 

 

  Apesar da recuperação do rival dentro do período, o Pinheiros seguiu sendo efetivo no ataque, principalmente com seus pupilos, Danilo Sena e Ruivo, evitando que a diferença voltasse a crescer ao final do primeiro tempo, 40 a 29.

 

  O início da etapa complementar começou com certo equilíbrio, mas com uma diferença importante à favor do Paulistano. Dominante no garrafão, a equipe de Gustavinho direcionava o ataque dos mandantes para o perímetro, onde naturalmente o desempenho é menor. Assim, por mais que um ou outro arremesso fosse certeiro, o Pinheiros era castigado no contragolpe, evitando qualquer tentativa de aproximação.

 

  Quando Ansaloni e Toledo apareceram para o jogo, mesmo que ainda abaixo do que se espera deles, a equipe da casa conseguiu romper a barreira dos dígitos duplos no marcador, mas não demorou muito para os pupilos de Gustavinho contornarem a situação. Com paciência, Elinho e Yago encontraram espaços para infiltrar, recolocando a diferença acima dos dez pontos, 58 a 46.

 

 Elinho ditou o ritmo de jogo ao distribuir nove assistências (Gazeta Press).

 

  Na volta para o último quarto, o jogo ganhou intensidade mas seguiu com o mesmo roteiro. Embora acelerasse o ritmo em busca da recuperação, levantando a torcida com uma enterrada de Gui Bento, o Pinheiros seguia cometendo erros bobos que o impediam de se aproximar no marcador.

 

  Assim, o Paulistano, sem maiores dificuldades, atuou como manda a cartilha, com paciência e inteligência, evitando arremessos rápidos e forçados. Com a pontaria afiada de Yago, os visitantes administraram a vantagem construída ao longo da partida, fechando o confronto com vitória, 74 a 65.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados