Mais consistente, América conquista primeira vitória diante do Bauru

17/08/2017

  Os holofotes estavam virados para Kendall Anthony, norte-americano que fazia sua estreia pelo Dragão, mas foi outro conterrâneo que roubou a cena. Com grande atração de Darnell Artis, o América superou o Bauru por 77 a 71 , alcançando a primeira vitória na competição.

 

  Reforço do América para essa temporada, Darnell veio do banco para decidir o jogo. Com precisão nas bolas de três pontos (5 em 9 tentadas) e inteligência nas infiltrações, o camisa 5 levou a melhor no duelo com seu compatriota, terminando como cestinha com 38 pontos.

 

  A vitória premia a equipe que apresentou mais consistência ao longo da partida. Com maior volume de jogo, decorrente do maior número de rebotes e roubadas de bola, os mandantes estiveram à frente do marcador durante toda a partida.

  Bauru, que em nenhum momento chegou a liderar o duelo, ficou refém do trabalho de Anthony (maior pontuador da equipe com 22 pontos) e Maikão, que novamente chegou ao duplo duplo, ao anotar 14 pontos e capturar 15 rebotes. O jovem pivô bauruense ainda distribuiu 8 tocos, se aproximando de um triplo duplo.

  Após a partida, o novo reforço do Dragão comentou sobre sua primeira partida pela equipe bauruense: "Foi meu primeiro jogo, ainda não tenho o entrosamento com o time. Mas foi só a primeira partida. Estou feliz por estar aqui e tenho certeza que tanto eu, quanto o time vamos evoluir muito."

  O resultado faz com que as equipes dividam, junto com o Pinheiros, a quinta colocação da competição, com uma vitória em três jogos na competição. Em busca de um melhor posicionamento, visando já os playoffs da competição, América e Bauru voltam à quadra já no sábado, quando recebem o Paulistano e o Osaco, respectivamente.

 

O JOGO

 

  Os primeiros minutos da partida ficaram marcados muito mais pela vontade e velocidade das equipes, do que que propriamente pela organização e produtividade. Mas, passada a afobação inicial de ambos os lados, o jogo ganhou um contorno inesperado.

 

  Jogando ao lado de seu torcedor, o América aplicou muita intensidade na marcação, desestabilizando os meninos do Bauru. Explorando o erro do adversário, a equipe de Rio Preto foi concretizando seus contragolpes, até colocar expressivos 10 a 0 no placar, após bola de três de Darnell.

 

  Sentindo o desconforto de seus pupilos, Demétrius promoveu a estreia de Anthony e entrada de Jau. A dupla, ciente de sua responsabilidade, assumiu o comando das ações ofensivas e aos poucos foi colocando o Dragão na partida. Mas sempre que os visitantes se aproximavam do marcador, Darnell aparecia de forma precisa no perímetro, mantendo sua equipe no controle do jogo, 21 a 10.

 

  Diferentemente do período anterior, o segundo quarto começou em um bom ritmo. Entre um contragolpe aqui e outro ali, os rivais se atacavam de forma sadia e interessante, causando dificuldades nos sistemas defensivos.

  Após duas recuperações de bola na defesa, o América colocou velocidade na articulação, encontrando Lucas e Kleiton na linha dos três pontos. Com a mão calibrada, a dupla foi responsável por desequilibrar a parcial, colocando 15 pontos de diferença no marcador.

 

  Assim como no início do jogo, coube ao americano Anthony guiar o Bauru à recuperação. O estreante mostrou toda sua agressividade em direção à cesta para servir seus companheiros e ir pontuando, muita das vezes na linha do lance livre, trazendo a diferença para apenas quatro pontos.

 

 Com o placar apertado, os treinadores tentavam encontrar uma maneira de conter o volume de jogo dos armadores rivais. As dobras, assim como o trabalho defensivo dos pivôs, surtiram o efeito esperado, e as equipes foram para o vestiário com o jogo totalmente aberto, 38 a 33.

 

  O intervalo não esfriou o bom momento vivido pelo Bauru dentro da partida. Com um quinteto mais leve, os visitantes neutralizaram a ação ofensiva do rival, para explorar a velocidade de Anthony, fundamental nos contragolpes que deram a igualdade ao Dragão.

 

Armador justificou todo o esforço que a diretoria teve para conseguir a liberação do visto ao anotar 22 pontos (Victor Lira).

 

  Só que se Bauru conta com o talento de Anthony, o América tem Darnell. Abusando de seu repertório, que conta com pontaria afiada nas bolas de longa distância e infiltrações, o gringo recolocou a equipe da casa à frente do marcador.

 

  Àquela altura o jogo era quente, e não só pela troca de cestas frequente entre as equipes. Entre uma jogada e outra, muitos choques na área pintada, envolvendo William e Maikão. Mas, voltando ao jogo, depois dessas variantes, a equipe riopretense aproveitou melhor as oportunidades na reta final do quarto, fechando o período em 59 a 53.

 

  Os dois times sentiram o momento decisivo da partida, na volta para o último quarto. Com pouca movimentação, os ataques precipitavam arremessos em jogadas individuais, mesmo com muito tempo de posse de bola. Mais maduro, o América se sobressaiu e colocou a diferença na casa dos dígitos duplos com bola importante de Kleiton.

 

  Jogando contra o tempo e contra o relógio, Bauru tentava à todo custo reduzir a diferença, mas insistindo nas bolas de três, não só não tinha êxito, como via Dornell brilhar do outro lado da quadra. Com infiltrações precisas, o armador definiu a partida à favor dos mandantes.

  No final o Dragão, trocando cestas por faltas, até esboçou uma reação com Jaú e Anthony, mas diante da margem construída pelo rival ao longo do período, a reação tornou-se tardia, 77 a 71.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados