Na estreia de Alex e Shilton, Bauru vence América com placar centenário

O Bauru Basket conquistou, sem maiores dificuldades, mais uma vitória no Campeonato Paulista. Na estreia de Alex e Shilton na temporada, Bauru bateu o América de Rio Preto pelo placar de 104 a 81. Havia a expectativa que Hettsheimeir também reencontrasse a torcida, mas uma indisposição, sentida momentos antes da partida, já no Ginásio Panela de Pressão, fez com que o Canela fosse cortado do jogo.


A partida, que marcou o retorno das estrelas bauruenses, também ficou marcada pelas marcas positivas. Além de estabelecer sua maior sequência na competição, dois triunfos, Bauru tornou-se detentor da maior pontuação até o momento, superando Mogi das Cruzes que, contra o mesmo América anotou 101 pontos.


Autor de 11 pontos e responsável por impor o ritmo de jogo a partir do segundo quarto, Alex comentou sobre a estreia na temporada e projetou o confronto diante do Franca, no domingo, novamente em casa, às 18 horas.


"A língua foi quase no chão, mas faz parte. Independentemente do tempo de treinamento, jogo é diferente. Mas esse ritmo ideal, só vamos conquistar com os jogos. Vamos trabalhar durante a semana, temos dois dias aí, para jogar pelo menos 1% melhor contra Franca."


Alex atuou por aproximadamente 20 minutos (Victor Lira/Bauru Basket).

Apesar das atenções estarem voltadas para a dupla campeã nacional pelo Dragão, quem roubou a cena foram os alas-pivôs Gabriel Jaú e Renan, cestinhas do confronto com 21 pontos cada. Ao final da partida, Renan comentou sobre a grande partida que fez e a variação tática que o mantém na quadra junto com Jaú e mais um pivô:

"Pra mim sobrou as bolas que tinham que sobrar, mas já consegui correr bem, as pernas estão voltando e esse foi o diferencial. Conseguimos impor um ritmo muito bom no jogo. Fica um time grande, difícil de se marcar. Além disso temos arremesso, agora que o Jaú está metendo bola também. Na defesa também, é um time maior, mais fácil de trocar, fazer ajustes."


Ciente da disparidade técnica entre o Bauru e sua equipe, Manellinha minimizou o revés e destacou que o foco segue sendo a preparação da equipe para a fase aguda da competição: "Sabemos que é um campeonato bem difícil, pelo nível das equipes. Mas estamos confiantes para ajustar a equipe para os playoffs, que é um outro campeonato. O bom de tropeçar agora, é que dá tempo de corrigir e chegar inteiro na fase decisiva."

O JOGO


Os primeiros minutos de partida ficaram marcados pelo equilíbrio. Embora tivesse mais qualidade e volume de jogo, provenientes de rebotes ofensivos, Bauru não conseguia traduzir as oportunidades em pontos. O América, mais limitado, dependia das jogadas individuais de sua dupla de armadores norte-americanos. Os gringos, por sinal, foram responsáveis por manter a equipe rio-pretense no comando das ações com bolas de três pontos. O Dragão, que vinha se mantendo próximo no marcador por conta da ação coletiva, pulou na frente ao final do primeiro quarto justamente no perímetro, com Jaú e Stefano, 25 a 21.

O equilíbrio seguiu até as primeiras investidas do segundo período. Dali em diante, sob articulação de Alex, Bauru começou a impor seu ritmo de jogo, caracterizado pela defesa forte e cadência no ataque. Com boa leitura de jogo, os mandantes foram aparecendo bem posicionados para concluir as tramas ofensivas com tranquilidade. Nem mesmo as infiltrações de Gabriel e Leandro evitaram que os donos da casa deslanchassem no marcador ao final do primeiro tempo com a pontaria certeira de Isaac, Gui Santos e Jaú, na linha dos três pontos, 52 a 36.


Isaac repetiu atuação segura no ataque, 17 pontos (Victor Lira/Bauru Basket).

A situação que já era favorável tornou-se confortável na etapa complementar. Sem dar chance para o inesperado, Bauru voltou à quadra com Alex e Renan, dois de seus principais jogadores. Equilibrando as investidas, entre bolas longas e jogo interno, foi castigando o adversário com sua precisão, refletida na diferença no marcador, que crescia a cada minuto. Mesmo demonstrando cansaço por correr atrás do adversário, o América teve uma pontuação alta na parcial. O problema é que Bauru atuava solto, e assim, com Renan dominante no garrafão, foi se aproximando do placar centenário ainda no terceiro período, 85 a 58.


Já de olho na preparação a longo prazo, Bauru deu descanso à seus principais jogadores, atuando com a garotada em grande parte do último quarto. Aproveitando mais uma oportunidade, Jaú guiou o quinteto bauruense perante um América sem tanta responsabilidade dentro da partida. Coube ao camisa 25, anotar o ponto de número 100 da equipe bauruense. Em meio a uma ou outra jogada plástica do esquadrão rio-pretense, especialmente as enterradas de Pelé e Ygor, o Dragão controlou a situação e fechou o jogo de forma segura, 104 a 81.


Postagens Recentes
Arquivo
Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados