Em jogo equilibrado, Mogi derruba invencibilidade francana

25/09/2017

  Caiu o último invicto do Campeonato Paulista. Depois de dez vitórias consecutivas, o Franca conheceu sua primeira derrota na competição, ao ser batido pelo Mogi das Cruzes, fora de casa, pelo placar de 85 a 81, nesse domingo (24).

 

  Assim como no primeiro turno, na abertura do estadual, os rivais protagonizaram um duelo emocionante, cheio de alternativas e que só foi decidido nos minutos finais, com a defesa mogiana garantindo o triunfo após a equipe ficar boa parte do confronto à frente no marcador.

  Mas, além da solidez defensiva dos mandantes, que vinham sofrendo justamente por falta de concentração na marcação, Mogi, surpreendentemente, levou a melhor no garrafão. Apesar do adversário ter capturado mais rebotes, foram os comandados de Guerrinha que souberam o que fazer com e sem a bola em mãos próximos à cesta.

 

 Pivôs do Mogi levaram a melhor na batalha travada nos dois lados da quadra (Antonio Penedo).


  Se não bastasse isso, Franca vem se destacando na temporada justamente pelo poderio na tábua, já que conta com diversas opções para a posição, condição decisiva para um maior revezamento e intensidade nas duas área pintadas, já que sempre terá jogadores descansados para o decorrer da partida.

 

  Além do aspecto psicológico que o resultado pode implicar nas equipes para a sequência do campeonato, a vitória mogiana embola de vez a briga pelas primeiras posições na tabela de classificação. Franca segue na liderança, mas sabe que Paulistano e o próprio Mogi estão na cola, de olho em um possível tropeço para tomar a ponta da tabela, nessa reta final da primeira fase.

 

O JOGO

 

  Ainda sonhando com a segunda, ou quem sabe a primeira colocação, Mogi iniciou a partida com uma postura defensiva agressiva. O bom posicionamento atrás, tirou os espaços da equipe de Franca, permitindo que os mandantes saíssem em velocidade e abrisse vantagem com destaque para a atuação individual de Tyrone e bolas três pontos de Jimmy e Shamell.

 

  Aos poucos, Franca foi entrando no ritmo que o duelo pedia, mas por mais que tenha encaixado a marcação no perímetro, ainda sofria dentro do garrafão, concedendo rebotes ofensivos ao adversário, que fechou a parcial na frente, 26 a 22.

 

  Logo no começo do segundo período, Franca teve a oportunidade de assumir a liderança pela primeira vez na partida. Depois da cesta de Gruber na cabeça do garrafão, o líder do campeonato puxou dois contragolpes em velocidade mas acabou parando na marcação mogiana, que emplacou tocos consecutivos. Após a saída de Alexey, que sofreu corte no rosto em tentativa de bandeja, Franca não teve a mesma qualidade na movimentação ofensiva e cometeu muitos erros.

 

Cestinha da partida com 22 pontos, Shamell foi, ao lado de Tyrone, o líder do Mogi dentro de quadra (Antonio Penedo).

 

  Aproveitando a oscilação francana, Mogi voltou a colocar a diferença acima dos dez pontos com infiltração de Tyrone e bola longa de Shamell. Mas quando o armador retornou à quadra, incendiou o jogo com suas bolas de três fundamentais para a recuperação de sua equipe, que buscou o empate ao final do primeiro tempo, 46 a 46.

 

  Depois de passar toda a primeira metade em busca da liderança, Franca conseguiu passar à frente logo na primeiro ataque do terceiro quarto, em bola de Mineiro. Ligado nos passes longos do rival, Larry Taylor recuperou bolas e recuperou a ponta para sua equipe, que via Franca seguir na cola em um começo de segundo tempo equilibrado.

 

  No decorrer da parcial, os adversários não conseguirem criar muitas oportunidades e a qualidade do duelo teve uma ligeira queda. A busca por jogadas de segurança e trabalho interno resultou em inúmeros lances livres. Com aproveitamento ligeiramente superior, Franca terminou o quarto com vantagem no placar, 65 a 64.

 

  Para recuperar o controle do jogo, o Mogi contou com infiltrações de seu trio norte-americano. Agressivos em direção à cesta, Larry, Shamell e Tyrone pontuaram em bolas de segurança que devolveram a dianteira no marcador. A resposta francana foi imediata e veio com arremessos precisos de Pedro e Jefferson no perímetro, igualando o placar.


  Com o duelo se encaminhando para o final, as defesas apertaram ainda mais a marcação e levaram a melhor sobre os ataques, deixando o duelo aberto. Mas, no minuto final, os mandantes conseguiram assegurar rebotes defensivos e explorar o contragolpe, com Larry e Shamell, definindo a vitória por 85 a 81.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo