Pinheiros domina Bauru e garante vantagem nos playoffs

29/09/2017

  Quem acompanhou a semifinal do NBB9 e o confronto dessa noite entre Pinheiros e Bauru, certamente não gostou do que viu. Por mais que o planejamento feito esteja no começo, os rivais seguem devendo um basquete mais consistente, já que na semana que vem a competição entra na fase de mata-mata. 

 

  Se não conseguiu ser brilhante, o Pinheiros, ao menos, conquistou um importante resultado nessa noite (28). Na ponta desde o início do duelo, o time comandado por César Guidetti consolidou o triunfo por 78 a 70, garantindo a vantagem de atuar duas vezes em casa nos playoffs, diante do próprio Bauru, nas quartas-de-final do estadual.

 

Cestinha da partida com 19 pontos, Bennett foi fundamental no triunfo dos mandantes (Victor Lira/Bauru Basket).

 

  Um dos poucos destaques do Dragão na partida, Hettsheimeir foi preciso na avaliação da partida e na projeção dos próximos confrontos: “Foi uma partida muito difícil, eles jogaram muito bem e nós demoramos para entrar no jogo. Ainda sentimos falta de ritmo, mas temos que correr, pois os playoffs estão aí e vamos enfrentá-los novamente tendo que reverter a vantagem de mando”.

 

  Com a situação definida, Pinheiros e Bauru voltam a quadra dispostos a melhorarem o desempenho já visando os playoffs, que não permite as oscilações que ambos estão enfrentando ao longo das partidas. No sábado, o Bauru visita o Mogi, às 19 horas. O Pinheiros também enfrenta a equipe de Guerrinha, mas na terça-feira, às 20 horas.

 

O JOGO

 

  Os primeiros minutos da partida entre Pinheiros e Bauru ficaram marcados pelo equilíbrio, com os rivais concentrando as ações pela faixa central de ataque, em infiltrações de seus armadores, Holloway e Anthony. Mas não demorou muito para a equipe da casa se impor. Levando vantagem em jogadas de pick-and-roll, que o colocaram diante da marcação de Shilton, Bennett deitou e rolou.

 

  Mas essa não seria a grande diferença entre os adversários ao longo do confronto. Embora saísse em velocidade e buscasse a recuperação, Bauru estava muito mal postado na defesa e pouco movimentava a bola na frente, se tornando presa fácil do Pinheiros, que por meio dos contragolpes, foi vendo o quinteto pontuar e estabelecer vantagem que ultrapassou os dez pontos. No minuto final, os visitantes emplacaram três ataques consecutivos, com Alex e Gui Santos, e diminuíram o prejuízo parcial, 22 a 15.

 

  O início da segunda etapa ficou marcado por uma queda acentuada de rendimento das duas equipes, situação que evitou que ambas atingissem seus objetivos. Com uma defesa mais ajustada, sobretudo nas trocas, mais protegidas com Hettsheimeir, o Dragão chegou a se aproximar após lances livres de Renan, mas escolhas equivocadas em sequência, frearam a reação bauruense.

 

  Aos poucos, o Pinheiros foi se adaptando a nova configuração do rival, mas por mais que a defesa estivesse segura e Arthur e Gemerson tenham convertido bolas pelo lado direito, os comandados de Cesinha não conseguiam manter a consistência ofensiva e, consequentemente, desgarrar no marcador.

 

  Mas foi só o Pinheiros olhar com mais atenção para as laterais para recolocar a diferença na casa dos dígitos duplos, após bola de Gemerson na zona morta. Assim como no período anterior, Bauru cresceu de produção nos últimos minutos, com destaque para Hettsheimeir, impecável no lance livre, 42 a 31.

 

 Hettsheimeir saiu do banco para contribuir com 15 pontos (Victor Lira/Bauru Basket).

 

  Se o primeiro tempo do Bauru foi sonolento, o início da segunda etapa foi completamente diferente. Mais do que três armadores, o Dragão voltou para a etapa complementar com outra postura, bem mais agressiva. Atento na marcação e preciso nas jogadas de segurança, com Hettsheimeir dominando a área pintada e Alex se multiplicando em quadra, a equipe da Sem Limites chegou ao empate antes mesmo da metade da parcial.

  A intensidade aplicada começou a se tornar um problema para os visitantes, quando alguns jogadores começaram a ficar pendurados com faltas, casos de Anthony, Alex e Gui Santos. Mas, até então, o time vinha dando conta do recado, trocando cestas com os donos da casa. Foi então que Shilton perdeu a cabeça e acabou cometendo falta antidesportiva em Ruivo quando a jogada já estava parada. Com quatro lances livres do armador e bola de três pontos de Ansaloni, o Pinheiros voltou a se distanciar, 61 a 52.

 

  Ciente de suas condições de líderes dentro dos elencos, Bennett e Anthony chamaram a responsabilidade e travaram um duelo quase que particular na primeira metade do último quarto. Com infiltrações, assistências e bolas do perímetro, os gringos foram se enfrentando e com o passar do tempo e a diferença mantida no marcador, o Pinheiros foi levando a melhor, embora o duelo ainda seguisse aberto.

 

  Sem outra alternativa, Bauru apostou suas últimas fichas em um jogo veloz, que estava ancorado na proteção defensiva e transição. É bem verdade que o esquadrão bauruense neutralizou Bennett nos instantes finais, mas sem muita criatividade e precisão, não aproveitou as oportunidades que teve para buscar a recuperação nos minutos finais, 78 a 70.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags