Flamengo sofre mas vence na estreia da Sulamericana

04/10/2017

  O Flamengo sofreu, até mais do que devia, mas abriu a temporada e a sua participação na Liga Sulamericana com o pé direito. Depois de passar grande parte do confronto atrás, sendo dominado pelo San Martin, se recuperou na última parcial, virando o duelo e consolidando a vitória magra mas importante, 76 a 75.

 

  Se a equipe de Neto ainda precisa de tempo para se encontrar, já que chegaram quatro reforços, ao menos mostra que tem poder de decisão, principalmente Ronald Ramon, que acabou sendo sacrificado na temporada passada com as lesões e baixo rendimento dos armadores Fischer e Humberto.

 

 De volta a ala, dominicano foi preciso nas bolas de três pontos (Fiba Américas).

 

  A missão da equipe agora é assimilar as lições dessa noite, dentro do que a evolução natural permite, já que o rubro-negro volta a quadra amanhã, às 19:45, diante do Hebraica, equipe uruguaia de grande potencial.

 

 

O JOGO

 

 

  O San Martin iniciou a partida com um ritmo avassalador. Selecionando bem os arremessos, a equipe argentina castigava a defesa rubro-negra, que nada pôde fazer para conter a boa movimentação coletiva do adversário, que foi se desgarrando no marcador com a pontaria afiada de Faggiano e Mainoldi. Com a entrada de um quinteto mais leve, sobretudo no garrafão, formado por Rhett e João Vitor, o clube carioca se ajustou defensivamente, permitindo que Pecos usasse sua velocidade para contra-atacar. Assim, o camisa 23 conduziu o Flamengo à uma recuperação incrível, fechando o primeiro quarto na cola do San Martin, 30 a 27.

 

  O crescimento de produção da equipe de José Neto ao final do período anterior, permitiu que o time assumisse a liderança na volta para a segunda parcial, com tiros longos de Olivinha e Marcelinho. A partir daí os rivais aceleraram as jogadas e cometeram muitos erros, erros determinantes para que o placar não se alterasse por alguns minutos. Se não foram brilhantes, os argentinos, ao menos, foram eficientes. Diante da dificuldade em criar situações de conclusão, exploraram o miss match para colocar Keenan na linha do lance livre, recuperando a liderança. Na frente do marcador, tiveram tranquilidade para colocar em prática suas movimentações, voltando a abrir vantagem após boa sequência de Aguirre, Keenan e Wood, 46 a 37.

 

 Durante boa parte do duelo, Fla foi dominado e Marquinhos teve de se desdobrar para manter equipe próxima no marcador (Fiba Américas).

 

  Nem mesmo as orientações dadas no intervalo da partida, ascendeu o Flamengo. Desperdiçando inúmeros ataques por conta de erros de passe ou precipitação de arremessos, o clube da Gávea levava pouco perigo ao adversário, que aproveitava os contragolpes para elevar a diferença no placar, que voltou a casa dos dígitos duplos após bolas de segurança de Aguirre e Wood. A entrada de Pecos melhorou a organização rubro-negra, que chegou a encostar após jogadas de sua dupla de pivô, Olivinha e JP, na área pintada. Mas, o San Martin contava com um banco mas participativo e um dos seus suplentes, Salanas, apareceu para manter a situação sobre controle, 63 a 52.

 

  Depois de muito sofrer e persistir no erro, o Flamengo entrou na partida. Controlando a pose de bola e olhando com mais atenção para o trabalho interno de JP, se encontrou ofensivamente e tirou boa parte do volume de jogo do adversário, proveniente das jogadas em velocidade. Assim, o rubro-negro foi saindo de uma situação adversa até chegar ao empate em arremesso de Ronald Ramon. O San Martin tentava responder, com Wood sendo acionado para explorar a situação de JP, pendurado com quatro faltas. Mas o pivô brasileiro respondeu bem e a equipe portenha não soube o que fazer diante disso. Dessa forma, o Flamengo aproveitou a queda do rival e na linha dos três pontos, com Ronald e Olivinha, passou à frente e garantiu a vitória, 76 a 75.
 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags