Bauru faz a lição de casa e larga na frente diante do Pinheiros

06/10/2017

  Na liderança desde os primeiros minutos do jogo, o Bauru Basket fez valer o fator casa, e bateu, no Ginásio Panela de Pressão, o Pinheiros pelo placar de 76 a 71. Com a vitória, Bauru abre 1 a 0 na série, que agora vai ser disputada em São Paulo, no sábado. Caso a equipe da capital devolva o resultado, um terceiro confronto está agendado para domingo, também com mando da equipe pinheirense.

 

  Apesar dos mandantes ficarem à frente do marcador durante grande parte do confronto, o Pinheiros, que chegou a liderar o duelo nos dois minutos iniciais, manteve-se na cola, equilibrando a partida, que ficou marcada pelo bom nível técnico, que mostra a ligeira evolução dos rivais, após uma primeira fase discreta de ambos.

 

  Na articulação das jogadas, Anthony e Bennett travaram um grande duelo, mas Bauru contou com uma maior distribuição de jogo, com Alex e Jaú se destacando na pontuação, enquanto Isaac e Renan seguraram a contraofensiva do rival. Foi justamente esse aspecto que Anthony, cestinha da partida,  fez questão de valorizar:

 

"Foi um jogo muito duro, o Pinheiros é um grande time, mas acabamos vencendo a partida. Eu fiz um grande jogo, meus companheiros também fizeram um grande jogo, fizeram um belo trabalho. Estou entusiasmado por jogar nesse time, com Alex, Hettsheimeir, Shilton."

 

 Anthony mais uma vez assumiu a responsabilidade e definiu o duelo diante do Pinheiros (Victor Lira/Bauru Basket).

 

  Apesar do Pinheiros ter sentido e muito a falta de Holloway, que seguirá fora de combate por tempo indeterminado, Felipe Ruivo fez questão de ressaltar o equilíbrio da série e apontou o que precisa mudar para que o confronto tome um outro rumo, favorável ao clube da capital.

 

"Sabíamos que a partida aqui em Bauru seria complicada, a equipe deles é forte mas não tem nada decidido, temos dois jogos agora em São Paulo. Mesmo que tivéssemos ganhado, nada estaria resolvido também. Então agora é concentrar e manter a cabeça boa para a próxima partida. Nessa altura do campeonato não tem muito o que acertar, é mais nossa postura mesmo, a diferença no segundo quarto deixou um rastro muito grande."

 

O JOGO

 

  Bauru e Pinheiros iniciaram a partida com um ritmo ofensivo agradável e consistente. Trabalhando de forma inteligente, os rivais escolheram bem os arremessos, sempre priorizando as bolas de segurança de seus pivôs. Mas além do trabalho interno, os velhos conhecidos trocaram bola de três pontos com Anthony e Gemerson, mantendo o equilíbrio. Com uma defesa mais colaborativa e agressiva, o Dragão parou o ataque do rival com direito a toco de Renan em Toledo, e passou a ter o controle do jogo, graças aos contragolpes puxados por Anthony e Alex. Mas a equipe da capital se recuperou, com direito a enterrada de Toledo pra cima de Renan e bola de três pontos de Ruivo, decretando o empate no estouro do cronômetro, 18 a 18.

 

  Diante da marcação mais alta do Pinheiros, Bauru se viu obrigado a mudar a forma de atacar, mas tirou o desafio de letra com direito a um festival de bolas de três pontos de Jaú, Anthony e Gui Santos, que permitiram a Bauru abrir 13 pontos de vantagem. A ausência momentânea de Bennett, por opção de César Guidetti, desestabilizou o Pinheiros, que pouco movimentava a bola e o marcador, abusando das jogadas individuais, que não modificava em nada o panorama da equipe. Já nos minutos finais Gemerson apareceu de forma mais agressiva a frente, mas Bauru manteve a consistência e a vantagem no placar com bola de três pontos de Alex e jogada individual de Stefano, que costurou a defesa inteira do rival, dando números finais ao primeiro tempo, 40 a 30.

 

  A volta de Bennett ao jogo, no início da etapa complementar, deu uma nova cara ao Pinheiros, mudando o cenário do confronto. Com a companhia de Ruivo na armação, Bennett teve mais liberdade para partir em direção as cestas e, foi por meio das infiltrações do americano, que os visitantes voltaram ao jogo, diminuindo a diferença para apenas uma posse de bola, na metade da parcial. Em meio a algumas escolhas erradas no ataque, que foi anulado pela defesa do adversário, Bauru voltou a pontuar com Isaac, mas Bennett converteu outro arremesso do perímetro, incendiando o jogo, 53 a 51.

 

Pela primeira após seu retorno, Hettsheimeir entrou como titular e já mostrou um entrosamento e condicionamento melhor (Victor Lira/Bauru Basket). 

 

  Os donos da casa voltaram melhor para o último quarto, com Jaú aparecendo bem dos dois lados da quadra, computando dois pontos e um rebote defensivo que gerou contragolpe finalizado por Isaac. Mas não demorou para o Pinheiros explorar o talento de Bennett e crescimento de Ansaloni, que levaram ampla vantagem no duelo particular contra os homens de garrafão bauruense.

 

  Aquela altura, Bauru tinha o comando do jogo, com Anthony, demonstrando a liderança que já possui dentro da equipe, mas na medida que o armador dava as caras, infiltrando ou servindo seus companheiros, o adversário respondia, mantendo-se na cola. Quando o Dragão ajustou a defesa sobre Bennett e emplacou dois ataques consecutivos, em bola de três pontos de Jaú, seguida de infiltração de Anthony, liquidou o duelo, limitando-se apenas a administrar a liderança, 76 a 71.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags