Banco brilha, Franca elimina Bauru e avança à final

20/10/2017

  O Franca é o primeiro finalista do Campeonato Paulista de 2017. Para carimbar a vaga à decisão, equipe de Helinho precisou se superar, se reinventar dentro da partida, para enfim eliminar um rival que era pedra no seu sapato há alguns anos, voltando a decidir o estadual depois de um jejum de 09 anos.

 

  Depois de ficar muito perto de vencer a partida número 3, Franca viu o duelo dessa noite ganhar contornos dramáticos com a exclusão de Leo Meindl, ainda nos primeiros minutos da partida, após cotovelada do ala em cima do seu ex-companheiro Gabriel Jaú. Após a desqualificação de Leo, Bauru chegou a abrir 11 pontos de frente, mas os visitantes não se abateram e foram buscar o resultado.

 

  Com uma defesa bem posicionada e com grande participação do banco, foram 47 pontos de suplentes, Franca virou a partida ainda no segundo quarto. Dali em diante houve várias trocas de lideranças, mas no final a equipe calibrou a mão, converteu cinco bolas de três pontos e sacramentou a vitória na linha do lance livre, 77 a 68.

 

Anthony até anotou 17 pontos, mas diante da marcação francana não conseguiu ter muito espaço para dar maior volume de jogo ao Bauru (Victor Lira/Bauru Basket).

 

  Ao final da partida, Cipolini ressaltou o espírito de luta do grupo, fundamental na reconstrução de Franca dentro do jogo. Para o ala-pivô, essa é a grande marca da equipe nesse início de temporada:

 

"Foi assim durante a fase de classificação inteira. Jogadores como o Leo e Mineiro na seleção, o Jefferson chegando, alguns jogadores machucando. Jogamos pouco jogos com a equipe completa. Mas foi pra isso que o time foi montado, um plantel grande para suprir as ausências dentro dos jogos."

 

  Agora, com o passaporte carimbado, Franca aguarda o adversário da decisão enquanto aprimora a equipe durante alguns dias de treino. Além disso, Helinho e sua comissão terão a missão de encontrar um substituto para Leo Meindl. Como foi excluído da partida, o ala desfalcará a equipe na primeira partida da final.

 

  Após a eliminação, Dema mostrou tranquilidade ao analisar os pontos chaves da partida. Para o comandante, alguns detalhes custaram a vitória na noite dessa quinta-feira (19):

 

"O grande desafio do basquete são as decisões a serem tomadas. O jogador tem a liberdade de tomar a decisão, mas nós não conseguimos tomar as melhores decisões para aproveitar as oportunidades que tivemos. Também arremessamos algumas bolas livres e tivemos um aproveitamento baixo. Esses detalhes fazem diferença dentro do playoff, quando você joga contra uma grande equipe."

 

  Agora o Dragão só volta às quadras no dia 04 de novembro, na abertura do NBB10. Até lá, deve fazer uma espécie de pré-temporada, para aprimorar a equipe, que deve ganhar algum reforço para a disputa do próprio NBB e também da Liga das Américas.

 

O JOGO

 

  Meus amigos, o início de jogo entre Bauru e Franca foi de tirar o fôlego. Mantendo a intensidade alta, que marcou o final da partida de ontem, os rivais começaram demonstrando boa pontaria, com os mandantes usando e abusando do pick-and-roll entre Alex e Shilton, enquanto os visitantes contaram com bola de três pontos de Leo Meindl. Foi então que Leo cometeu uma besteira sem tamanho. Fora do lance, o ex-jogador do Bauru agrediu Jaú e foi desqualificado imediatamente. O Dragão aproveitou a ausência do ala, colocando a vantagem acima dos dez pontos com os lances livres de Jaú, bola de segurança de Shilton e arremesso de Alex, no perímetro. Vilão na noite de ontem, Coelho colocou a bola embaixo do braço e comandou a reação francana, 20 a 16.

 

Shilton, ao fundo, protegeu o garrafão bauruense, mas a equipe acabou sendo castigada no perímetro (Victor Lira/Bauru Basket).

 

  Com boa organização de Stefano e volume de jogo de Isaac, Bauru voltou melhor para o segundo quarto. Mas não demorou muito para a equipe da casa abusar dos erros de passe e Franca se encontrar. Dominando os rebotes, os visitantes aproveitaram os contragolpes puxados por Pedro e as bolas de segunda chance de Cipolini para encostar no marcador. O bom posicionamento da defesa francana seguiu tirando o ritmo de jogo bauruense, que ficou inoperante e acabou pagando o preço. Sem muita criação, viu o rival passar a frente com a liderança de Pedro e arremessos certeiros de Mineiro. Com a volta da base titular, o Dragão voltou a pontuar, empatando a partida após boas tramas finalizadas por Renan. Mas na ultima investida do primeiro tempo, Franca manteve a frente com bola longa de Pedro, 37 a 34.

 

  Na volta para o segundo tempo, Bauru até saiu na frente, com linda jogada entre Shilton e Renan, finalizada com enterrada do camisa 12. Mas, assim como no período anterior, a equipe tinha dificuldades em movimentar a bola, não aproveitando o trabalho defensivo. Mais inteligente, Franca explorou a força de seu garrafão, mantendo a vantagem em duas jogadas de Mineiro. Os mandantes até voltaram a encostar, em duas jogadas individuais de Anthony, mas abusando dos arremessos de três pontos, não conseguia concretizar a virada. Pior. Como uma espécie de castigo, Franca emplacou três bolas de fora, com Pedro e Gruber (2 vezes) e abriu a maior vantagem do jogo, de onze pontos. Mas, nos minutos finais da parcial, Bauru encaixou boas ações defensivas e voltou ao jogo com arremessos de Gui Santos, Alex e Anthony, 55 a 52.

 

  O início do último quarto foi um verdadeiro toma lá, da cá. Logo na primeira jogada, Renan decretou o empate em bola da zona morta, mas Franca começou a trilhar um caminho interessante no perímetro, mantendo-se a frente com arremessos sequenciais de Cipolini  e Coelho. Bauru respondia e seguia na cola francana, até Antonio tirar outra bola de fora e colocar a diferença em nove pontos. Após o tempo pedido por Dema, Alex usou todo o repertório que tem e baixou a vantagem francana para apenas quatro pontos. A defesa seguia encaixada, mas os vacilos cometidos na frente dificultava a missão bauruense, que não se aproximava e via o tempo passar. Dessa maneira, os papéis se inverteram e Bauru passou a trocar ataques rápidos por faltas que colocaram o rival na linha do lance livre. Certeiro, Franca foi consolidando o resultado na medida que o Dragão não convertia seus arremessos na linha dos três pontos, 77 a 68.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags