Em duelo equilibrado, Paulistano vence a primeira na decisão

27/10/2017

A decisão do Campeonato Paulista de 2017 começou em grande estilo. Ainda que não tenha sido a melhor apresentação das equipes no estadual, Franca e Paulistano travaram um duelo equilibrado no Pedrocão. No final, mesmo jogando fora de casa, o Paulistano venceu os mandantes pelo placar de 85 a 83.

 

Como era de se esperar, o duelo foi decidido nos detalhes, se é que podemos assim dizer, dada a importância dos fatores dentro da partida. Desde o segundo quarto, o time da capital começou a mostrar suas principais virtudes, marcação agressiva e jogo coletivo (dez jogadores pontuaram para o Paulistano), e passou a ter o controle de jogo. 

 

Franca, por sua vez, parecia refém da individualidade de Coelho e Pedro. Sobrecarregados no ataque, não tinham outra opção se não forçar as jogadas individuais. Mesmo cansados, foram fundamentais para a recuperação francana no último período, quando outros nomes dividiram a responsabilidade das ações ofensivas. Mas, mesmo tirando quinze pontos de desvantagem, o esforço acabou se tornando insuficiente diante do crescimento tardio do jogo coletivo.

 

Paulistano lidou bem com o Pedrocão lotado e ficou no controle da partida a partir do segundo tempo (Newton Nogueira). 

 

Essas e outra lições serão postas à prova amanhã, na segunda partida da série, marcada para às 20:10, novamente no Pedrocão.

 

O JOGO

 

Os primeiros minutos de partida mostraram o que todos esperavam, um duelo equilibrado entre dois times repletos de recursos. Aos poucos, se aproveitando do fator quadra e dos arremessos de três pontos de Coelho e Jefferson, Franca foi assumindo o controle do jogo. Ciente do poderio do adversário, Gustavinho parou o jogo e colocou a casa em ordem.

 

Voltando a aplicar um trabalho defensivo forte, marca das equipes comandadas pelo jovem treinador, o Paulistano tirou o rival da zona de conforto e equilibrou as ações, com destaque para o bom início de jogo de Deryk. Da mesma forma, Franca encaixou boas marcações e voltou a abrir frente, com Pedro e Antônio, mas os visitantes descontaram e diminuíram o prejuízo ao final do primeiro quarto, 24 a 21.

 

Diferentemente do período anterior, os rivais cometeram inúmeros erros ofensivos no começo da segunda parcial. Quem se encontrou primeiro dentro do quarto foram os visitantes, que se aproveitaram de uma sequência de oito pontos para assumir a liderança do confronto pela primeira vez.

 

O jogo, então, ganhou intensidade e ficou movimentadíssimo. Liderado pelo trabalho das duplas de armadores, agressivos em direção à cesta, os finalistas trocaram cestas e se alternaram na liderança da partida até o final da etapa inicial, quando Elinho anotou quatro pontos consecutivos, 40 a 39.

 

Nem mesmo os 25 pontos de Coelho, cestinha da partida, evitaram o triunfo do Paulistano (Newton Nogueira).

 

Uma cena rara marcou o início do segundo tempo. Na primeira movimentação, Benito machucou o dedo quando ia anotar uma infração e teve de receber atendimento médico. Mesmo com o acompanhamento, o árbitro não conseguiu continuar na partida e teve de ficar nos vestiários. Quando a partida foi reiniciada, Franca acusou a paralisação, enquanto o Paulistano viveu seu melhor momento dentro da partida.

 

Com uma defesa agressiva, dificultava as trocas de passes do rival, pressionando o trabalho de Coelho, ainda próximo do meio de campo. Assim, recuperou bolas importantes e aproveitou os contragolpes puxados em velocidade para recuperar a liderança, com Du Sommer. Em um primeiro momento, Coelho apareceu e empatou o duelo, mas sem companhia, era presa fácil para o sistema defensivo dos visitantes. Movimentando bem a bola, o Paulistano anotou bolas de segurança e desgarrou no marcador ao final do período, 64 a 52.

 

Logo nos primeiros minutos da última parcial, Lucas Dias apareceu de forma incisiva no ataque, aumentando a vantagem para quinze pontos com relativa tranquilidade. Se não bastasse a diferença no marcador e a luta contra o relógio, Franca ainda perdeu o armador Coelho, que sofreu uma pancada no tornozelo direito. Ainda assim a equipe da casa começou a montar uma reação, escorada na liderança de Pedro e no embalo da torcida. Após arremessos de fora de Jefferson e Pedro, e de infiltrações do próprio armador, Franca foi entrando no jogo.

 

Em meio a sequência francana, Jhonatan anotou bola de três pontos e recolou a diferença em oito pontos. Com a volta de Coelho e infiltrações de Antonio, os mandantes reduziram a vantagem do Paulistano para apenas dois pontos. Na sequência, Franca recuperou a posse de bola e teve a chance de definir o duelo ou levá-lo para prorrogação, mas Coelho, pressionado pela boa marcação de Jhonatan, não converteu o arremesso, 85 a 83.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags