De ponta a ponta, Minas vence Vasco em Belo Horizonte

08/11/2017

O Minas segue dando claros sinais de que pode ir longe nessa temporada. Depois da bela participação na Copa Avianca, a equipe comandada por Flávio Espiga estreou no NBB10 com vitória sobre o próprio algoz na preparação, o Vasco da Gama, por 82 a 81.

O placar apertado não reflete a realidade da partida. Liderado por Gegê e Roquemore, o Minas ficou à frente do marcador durante toda a partida. O Vasco, disperso e individualista, buscava à todo custo entrar na partida, mas só foi se encontrar no último período, quando teve a oportunidade de dar o bote certeiro, mas falhou no último arremesso e acabou derrotado.

 

Além das tramas entre a dupla de armadores, o Minas apresentou mais consistência defensiva e distribuição coletiva. Muitas das vezes, obrigou o Vasco a sair de sua zona de conforto, isolando as principais armas do rival com dobras. Quando o Vasco esboçava algo parecido, o time da casa contava com a colaboração das peças de apoio, como Wesley, Jefferson Campos e Teichmann.

 

Agora as equipes voltam a quadra somente na semana que vem, dia 14. O Vasco faz sua estreia em casa, diante do Pinheiros. Já o Minas pega estrada para medir forças com o Campo Mourão, no interior paranaense.

 

O JOGO

 

Jogando em casa, o Minas iniciou melhor a partida. Com uma defesa bem postada e uma troca de bolas envolvente entre seu trio de armadores e alas, a equipe de Belo Horizonte abriu vantagem logo de cara e passou a controlar as ações. Com maior volume de jogo, proveniente dos rebotes capturados por Lucas Mariano, o Vasco precipitava arremessos e só conseguiu movimentar o placar e equilibrar a partida quando Gui Deodato partiu para as jogadas individuais, dentro do garrafão adversário. Mas não demorou muito para o Minas voltar a desgarrar no marcador. Mantendo a compostura defensiva, o time da casa contou com a força de Audrei na área pintada e as bolas de três de Roquemore e Gege, para fechar o primeiro quarto em vantagem, 20 a 11.

 

O Vasco voltou para o segundo período com uma formação diferente, atlética e mais defensiva. Assim, conseguiu neutralizar as infiltrações dos mandantes com roubadas de bola de Gustavo, para aproveitar a superioridade numérica do contragolpe, diminuindo a diferença para apenas uma posse de bola em bola de três pontos de Fúlvio. Por alguns minutos, o cruz-maltino conseguiu manter a intensidade defensiva, mas não soube aproveitar as oportunidades que teve no ataque para assumir a liderança. Os erros ofensivos permitiram que o Minas voltasse a colocar velocidade na partida, aumentando a vantagem com Jefferson Campos. No final, já com o cronômetro zerado, Lucas Mariano diminuiu para o Vasco, 35 a 31.

 

 Jefferson saiu do banco e contribuiu com 12 pontos (Divulgação/LNB).

 

Assim como em todo o primeiro tempo, o time da casa manteve a intensidade no início da etapa complementar, com destaque para as tramas entre Rush e Roquemore. Em um primeiro momento, Lucas Mariano até equilibrou a parcial, com grande aparição dentro do garrafão. Mas o Minas era nitidamente superior e conseguiu traduzir a superioridade no marcador. Muito mais colaborativo e intenso, o time de Flávio Espiga voltou a colocar a diferença na casa dos dígitos duplos após enterrada de Wesley e arremesso longo de Gege. Até então individualista e lento, o Vasco acordou para o jogo e trocou alguns passes que culminaram em bolas de três pontos de Gui e Gustavo (duas vezes). A sequência aproximou o Vasco no marcador, mas o Minas devolveu na mesma moeda, com Gege e Audrei, 62 a 55.

 

Quem voltou melhor para o último quarto foi o Vasco. É bem verdade que no primeiro ataque o Minas voltou a abrir dez pontos, mas logo a equipe visitante emplacou uma sequência interessante com Hayes, diminuindo a desvantagem para apenas quatro pontos, após bola certeira do camisa 99, na zona morta. Na sequência foi a vez de Teichmann aparecer e responder para sua equipe com seis pontos consecutivos dentro do garrafão. Dali em diante, o jogo esquentou ainda mais. Lutando não só contra o Minas, mas também contra os donos da casa, o Vasco tirava, aos poucos, a vantagem construída pelo adversário ao longo da partida. Assim, após infiltração de Fúlvio e bola de três pontos de Nezinho, o time carioca chegou ao empate, a menos de um minuto para o final de jogo.

 

O que aconteceu no último minuto merece uma atenção especial. Para começar, os rivais costuraram jogadas parecidas, que poderiam ser interpretadas como faltas de ataque, mas que a arbitragem mandou seguir, culminando em cestas de Wesley e Lucas Mariano. Quando Minas tinha a posse de bola, com 25 segundos por jogar, Renato cometeu falta antidesportiva, dando dois lances livres de graça aos mandantes. Roquemore converteu os dois, mas na sequência o time retribuiu o presente, errou o passe e tomou o empate, em bandeja de Fúlvio. Mas, o armador atrapalhou a reposição do Minas, foi punido com falta técnica e o jogo parecia resolvido. Gegê converteu o lance livre, mas os mandantes voltaram a se atrapalhar na reposição e o Vasco teve a oportunidade de virar a partida, no último lance do jogo. A jogada foi bem armada, assim como a finta de Fúlvio, mas a bola não caiu e o Minas venceu por 82 a 81.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags