Flamengo e Pinheiros perdem e agora vão se enfrentar pela sobrevivência

08/11/2017

A segunda fase da Liga Sulamericana não poderia começar pior para o basquete brasileiro. Mesmo com todo o favoritismo, Pinheiros e Flamengo perderam para Estudiantes e Olímpia, respectivamente, e agora vão se enfrentar pela sobrevivência na competição, contrariando as expectativas de um duelo que pudesse selar a classificação do time vencedor.

Para entender melhor o que aconteceu comas equipes brasileiras em pleno Tijuca Tênis Clube é preciso destrinchar cada jogo. Na partida de abertura do Grupo E, o Pinheiros vinha fazendo um duelo equilibrado com o Estudiantes, com destaque para o trio de armadores do clube paulista, responsáveis por 44 dos 68 pontos da equipe. 

 

Holloway se desdobrou dentro de quadra, mas a dificuldade da equipe em pontuar no perímetro custou caro (Fiba Américas). 

 

Além deles, Ansaloni era outro pilar importante do quinteto de César Guidetti. Brigando por cada bola dentro do garrafão, o jogador assegurava rebotes dos dois lados da quadra, permitindo que os companheiros saíssem em velocidade ou pontuassem em bolas de segunda chance.

 

O problema é que a equipe ficou refém dessas peças e não teve um bom aproveitamento nos arremessos de quadra, principalmente nas bolas de três pontos. O baixo desempenho ofensivo freou o crescimento do Pinheiros que não conseguia traduzir o maior volume de jogo em vantagem no marcador. O Estudiantes se manteve na partida e virou o placar praticamente no último segundo, com Vildoza, 71 a 68.

 

No jogo de fundo, entre o Flamengo, que atuava diante de sua torcida, e o Olímpia, que também teve o apoio de dezenas de torcedores, o cenário foi bem diferente. O Flamengo também ficou à frente do marcador durante grande parte da partida, mas muito em função do desempenho ofensivo, que cresce a cada partida.

 

Mostrando mais ambientação ao país e entrosamento com seus companheiros, Cubillan distribuiu bem o jogo rubro-negro, servindo Olivinha e JP Batista, principais nomes do clube da Gávea. Mas, apesar do desempenho ofensivo do trio, a equipe de José Neto enfrentava sérias dificuldades na defesa.

 

Em sua melhor partida com a camiseta rubro-negra, Cubillan foi preciso na construção das jogadas (Fiba Américas).


Liderados por Martinez, o time paraguaio foi cortando a vantagem rubro-negra (chegou a estar em 13 pontos), até conquistar a virada, já no último quarto, com participação decisiva de O’Louis McCullough e Freeman, que deitava e rolava no garrafão dos mandantes. O Flamengo até tentou se recuperar e chegou a ter a bola do jogo, mas Marcelinho não converteu arremesso de três pontos e Marquinhos levou toco no rebote, 78 a 76.

 

Com isso, os rivais, que protagonizaram um grande confronto nas quartas-de-final do NBB9, voltam a se enfrentar lutando pela sobrevivência na competição. Além de vencer o confronto nacional, o vencedor terá de torcer para o seu algoz de ontem a noite perder para seguir sonhando com a vaga na decisão da Liga Sulamericana.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags