Com grande último quarto, Cearense vira sobre o Vasco e salta na tabela de classificação

06/12/2017

O Basquete Cearense conquistou uma vitória muito importante nessa noite (05). Atuando mais uma vez no Paulo Sarasate, o time comandado por Bial brilhou no último quarto (29 a 14) e virou a partida sobre o Vasco da Gama, vencendo o duelo por 85 a 76.

 

Para sair de quadra com o triunfo, a equipe nordestina soube aliar dois fundamentos importantes. Depois da vitória sobre o Botafogo, onde o time teve uma boa postura defensiva, mas deixou a desejar na frente, essa noite o time soube contrabalancear os dois lados da quadra, para resolver uma partida equilibrada, mas que vinha sendo controlada pelo cruz-maltino.

 

Os pilares de sustentação dessa sólida atuação ficam por conta do trio formado por Boracini, Rashaun e Betinho, responsáveis por 57 dos 85 pontos da equipe. Além deles, Davi apareceu de forma segura na pontuação, bem como Leozão e Fiorotto nos rebotes (capturaram 21 sobras).

 

 Com 27 pontos, Paulinho foi o grande destaque da partida (Stephan Eilert/Basquete Cearense).

 

Pelo lado dos visitantes, Lucas Mariano e Giovannoni foram bem dentro do garrafão, assim como Fúlvio e David Jackson na articulação e conclusão das jogadas, mas mais uma vez o time carioca sucumbiu nos minutos finais, panorama parecido com os das derrotas para Minas e Pinheiros.

 

Com o resultado positivo, o Carcará salta cinco posições na tabela de classificação, deixando o bloco inferior da tabela para assumir a nono lugar, com duas vitórias em cinco partidas. Já o Vasco segue na parte de baixo da tabela, com um triunfo em cinco jogos, a frente apenas do Botafogo.

 

O JOGO

 

Jogando ao lado de seu torcedor, o Cearense até saiu na frente, com Leal, mas quem começou melhor a partida, foi o Vasco. Escorado no desempenho de David Jackson na linha dos três pontos e de Guilherme Giovannoni no garrafão, o Gigante da Colina assumiu o controle de jogo. Com o decorrer do período, os times modificaram suas peças e quem respondeu melhor às modificações foram os mandantes. Priorizando as infiltrações e arremessos de curta distância, o Carcará foi cortando a diferença até alcançar a virada, com Paulinho Boracini e Betinho, 23 a 21.

 

Já nas primeiras ações do segundo período foi possível diagnosticar que a parcial seria extremamente equilibrada. Procurando atuar sempre em parceria com os pivôs, para conclusão das jogadas ou criação de espaços para infiltrações, os rivais trocaram cestas durante aproximadamente cinco minutos. Acelerando o ritmo da partida, o Cearense chegou a abrir sete pontos de vantagem, com Rashaun e Paulinho, mas o Vasco se recuperou e foi buscar o empate, com seus homens de garrafão, Lucas Mariano e Renato, 40 a 40.

 

Assim como no primeiro quarto, o Vasco voltou melhor para o segundo tempo. Explorando o vigor físico de Lucas Mariano dentro do garrafão, o cruz-maltino anotou bolas de segurança, recuperando o controle de jogo ainda nos primeiros minutos da etapa complementar. Enquanto isso, do outro lado, o Cearense, mesmo com dois armadores, cometia violações ofensivas que impediam que o time sequer concluísse as jogadas. Após a entrada de Betinho, o Carcará trabalhou melhor o manejo de bola, crescendo ofensivamente a ponto de encostar no marcador. Mas, nos instantes finais, Fúlvio e Giovannoni converteram bolas de três pontos, mantendo os visitantes a frente, 62 a 56.

 

Vivendo um bom momento dentro da partida, o Cearense seguia na cola do Vasco, com infiltrações de seus jogadores mais baixos, Rashaun, Paulinho e Davi. No entanto, a cada bandeja bem realizada pelo Carcará, o cruz-maltino contornava a situação através de sua dupla de armadores experientes, Nezinho e Fúlvio. A partida começou a mudar de figura quando o time da casa acertou o sistema defensivo. Anulando as principais peças do adversário, o Cearense beneficiou-se da pontaria afiada de Rashaun e Paulinho, bem como da liderança de Betinho, para não apenas se aproximar, como também assumir a liderança, a dois minutos para o final do jogo. Sem confiança para construir jogadas e finalizar os ataques, o Vasco ainda viu a diferença no marcador aumentar quando adotou a medida de colocar o adversário na linha do lance livre. Além de converter as infrações, Rashaun e Betinho levantaram a torcida com arremesso de três pontos e enterrada, 85 a 76.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags