Bauru deslancha a partir do segundo quarto e acaba com a invencibilidade do Pinheiros

15/12/2017

Caiu o último invicto do NBB10. Jogando em casa, o Pinheiros não resistiu a força do Bauru e conheceu sua primeira derrota na competição, ao ser derrotado pelo placar de 93 a 77, em partida válida pela oitava rodada da competição.

 

Para acabar com a invencibilidade do Pinheiros, Bauru teve de colocar em quadra todas as credenciais da equipe, atual campeã do NBB. Depois de um primeiro quarto abaixo do esperado (29 a 20), os visitantes voltaram a apresentar uma defesa consistente, que lhe permitiu anular o oponente e sair no contragolpe, onde o time teve grande aproveitamento nas bolas de três pontos. Foram 16 bolas convertidas em 37 arremessadas, aproveitamento de 43%.

 

Assim, o Dragão foi tomando conta do jogo, chegando a abrir dezoito pontos no decorrer do terceiro período. Liderado pelos jovens Ruivo e Gui Bento, os mandantes chegaram a esboçar uma recuperação, mas a experiência e distribuição de jogo do time do interior falou mais alto ao final da partida.

 

Alex terminou a partida como cestinha da partida ao lado de Isaac, com 18 pontos (Victor Lyra/Bauru Basket).

 

Um dos melhores em quadra nessa noite, Isaac fez questão de reforçar a força do Pinheiros, para valorizar o tamanho do triunfo bauruense na capital paulista.

 

“Foi um jogo muito duro, como já esperávamos. Não seria diferente jogando fora de casa, contra o líder invicto, mas, soubemos ter uma defesa forte, criar as jogadas de ataque e ter eficiência. Fico feliz que pude ajudar o time."

 

Com o resultado positivo, Bauru (5º) encosta de vez no G4 da competição, com cinco vitórias em sete jogos disputados. Mesmo com a derrota, o Pinheiros segue na liderança do nacional, mas agora tem a companhia do Mogi, que possui os mesmos sete triunfos em oito rodadas.

 

O JOGO

 

O Pinheiros mostrou logo de cara que não é o líder do NBB10 por acaso. Movimentando a bola com velocidade, soube tirar proveito de cada peça do quinteto titular para abrir dez pontos de diferença após arremesso de três pontos de Ansaloni e bola de segurança de Bennett. Mas, o Bauru é o atual campeão nacional e tratou de responder à altura. Com uma sequência de quatro bolas do perímetro de Isaac e Alex, o Dragão não só equilibrou a parcial, como passou à frente. No entanto, nos minutos finais do período, o Pinheiros explorou a dificuldade do rival próximo à cesta, para emplacar bons ataques no setor, fechando o primeiro quarto em vantagem, 29 a 20.

 

O jogo, que já era bom, ficou ainda melhor no segundo período. Mais agressivo na defesa, os visitantes utilizaram o contragolpe nas primeiras ações do período, para se aproximar no marcador. Com a proximidade, os rivais tentavam acertar todo e qualquer posicionamento, mas a verdade é que a força dos conjuntos, bem como o talento individual dos jogadores, falaram mais alto que o trabalho defensivo. Assim, os adversários elevaram a qualidade técnica da partida com um festival de bolas de três por parte do Bauru, comandado pelo trio Alex, Osvaldas e Duda, mas sempre respondidas à altura pelas infiltrações de Bennett. Dessa maneira, os times se alternaram na liderança, até a equipe do interior encontrar alguns espaços na área pintada, com Jaú e Renan, indo para os vestiários à frente, 45 a 43.

 

Assim como no duelo diante da LSB, Jaú veio do banco e deu nova cara ao time bauruense (Victor Lyra/Bauru Basket).

 

Na volta para o segundo tempo, Bauru resgatou a marca fundamental na conquista do NBB9: a defesa. Pressionando o homem da posse de bola e também atento a troca de passes, anulou completamente o Pinheiros, abrindo dezoito pontos em jogadas de velocidade que terminavam quase sempre com Alex bem posicionado no perímetro. Sem espaços para infiltrar, os mandantes encontraram nos arremessos longos de Ruivo, uma saída para furar o sistema defensivo bauruense, mas a cada investida do armador, o Dragão trabalhava de maneira inteligente, pontuando em bolas de segurança de Isaac e lances livres decorrentes de faltas cometidas pelo adversário, 72 a 59.

 

A larga vantagem construída pelo Bauru no período acabou desaparecendo no início do último quarto. Com carta branca para arriscar jogadas individuais, Ruivo e Gui Bento encontraram liberdade na linha dos três pontos e diminuíram a desvantagem para apenas quatro pontos, recolocando fogo no jogo. Mas, com a volta de Alex e Jaú, os visitantes voltaram a defender melhor, tanto no perímetro quanto no garrafão. Assim, o Dragão teve a tranquilidade para resolver a partida na contraofensiva, com destaque para os contragolpes puxados por Duda e a segurança transmitida por Jaú, 93 a 77.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags