Imponente no segundo tempo, Flamengo vence Bauru com propriedade

22/12/2017

O Flamengo conquistou um grande resultado nessa quinta-feira (21), em São Carlos. O rubro-negro não só venceu o clássico diante do Bauru, mandante da partida, como também comprovou a força do elenco, impondo uma derrota pesada ao Dragão, 97 a 71.

 

O resultado elástico foi construído na etapa complementar da partida, quando a equipe de José Neto mostrou inteligência na leitura de jogo e agressividade nos rebotes, dominado o garrafão bauruense com bolas de segurança de todo o quinteto.

 

Ao final da partida, Marquinhos comentou sobre o bom momento vivido pelo Flamengo, recuperando-se do início conturbado de temporada, quando acabou eliminado da Liga Sulamericana, dentro do Tijuca.

 

"Ficamos contra a parede. Queríamos muito ter chegado à final, que era nosso grande objetivo, mas infelizmente tivemos uma semana ruim e não conseguimos alcançar. Só nos restou trabalhar, algumas vezes até duas vezes ao dia, exaustivamente. Aos poucos o time foi se conhecendo, embora tenha algumas peças que jogam junto há cinco, seis anos, é um time novo e isso requer tempo. Espero que continuemos nessa toada, de ganhar jogos, acumular confiança, que isso é importante para o campeonato."

 

Além de Marquinhos, autor de 21 pontos, outros quatro atletas pontuaram na casa dos dígitos duplos (Victor Lira/Bauru Basquete).

 

Apesar do Bauru ter muito a lamentar, principalmente no aspecto defensivo, fica a ressalva para o belo jogo de Hettsheimeir. Depois de um começo de temporada discreto, até em função de toda a expectativa criada desde seu retorno, o pivô voltou a apresentar o belo basquetebol que o colocou como referência no basquete brasileiro.

 

Jogando de costas para a cesta, dominou a área pintada na contra-ofensiva e terminou como cestinha da partida com 25 pontos. Além dele, Anthony apareceu bem, com 16 pontos, desperdiçando poucos arremessos no tempo que esteve em quadra.

 

Mas Bauru não teve muito mais mais para comemorar. Apático após a volta para o intervalo, não conseguiu manter o nível apresentado nos últimos compromissos, quando derrotou o até então líder invicto Pinheiros e diante do Mogi das Cruzes, ambos fora de casa.

 

Ciente da apresentação abaixo do esperado, Demétrius quer tomar o duelo como exemplo do que não pode mais voltar a acontecer daqui para frente.

 

“Esse é um daqueles jogos não para esquecer, pelo contrário, precisa ser lembrado para que não se repita. Ou você toma uma postura diferente e muda, ou aceita esse tipo de situação. E vamos buscar essa nova postura já para o jogo de sábado."

 

 

O JOGO

 

O clássico entre Bauru e Flamengo começou intenso e equilibrado, como já virou rotina nas últimas temporadas. Nos primeiros minutos, as equipes buscaram as jogadas de segurança, utilizando a força de seus pivôs no trabalho de pick and roll em progressão. Aos poucos, o Dragão foi tomando controle da partida, principalmente em infiltrações de Hettsheimeir, que levava vantagem no duelo pessoal com JP Batista. Além do brilho individual do pivô, Bauru também contou com grande colaboração de Anthony. Voltando ao time após se recuperar de uma amigdalite que o tirou de combate por três jogos, o armador abusou dos dribles curtos seguidos de arremessos à media distancia, para dar números finais ao primeiro quarto, 19 a 14.

 

O Flamengo voltou para o segundo período diferente, e não apenas pela entrada dos suplentes, mas também pela intensidade aplicada dos dois lados da quadra. Mais ágil, o rubro-negro encontrou espaços na defesa bauruense, explorando o vigor físico do jovem João Vitor e a artilharia pesada de Marquinhos para retomar a dianteira do marcador, em uma corrida de 13 a 3. O apagão bauruense só foi contornado após a longa paralisação por problemas nos relógios de 24 segundos. Quando a partida foi reiniciada, os mandantes recuperaram o volume ofensivo e a liderança com os arremessos de três pontos de Hettsheimeir e Anthony. Mas o Flamengo manteve a consistência, e o duelo ganhou um confronto particular entre Hetssheimier e Marquinhos, com direito também a participação dos irmãos Machado. No final das contas, melhor para o time da Gávea, que foi para o intervalo à frente, 44 a 39.

 

Hettsheimeir bem que tentou, mas sem muita companhia ofensiva, não foi páreo para o rubro-negro (Victor Lira/Bauru Basquete).

 

Os adversários vieram para o segundo tempo apostando em estratégias diferentes. Bauru conseguiu nos primeiros minutos atuar em transição, encontrando Isaac e Renan bem posicionados no perímetro. Do outro lado, o Flamengo infiltrava com certa facilidade, respondendo a altura com Marquinhos, Olivinha e Cubillan. A parcial, qu vinha sendo movimentada, mas também equilibrada, acabou mudando de figura. Agressivo no ataque, o rubro-negro capturou rebotes ofensivos e parou na linha do lance livre diversas vezes, machucando a defesa bauruense. Assim foi construindo vantagem que chegou a casa dos quinze pontos após arremesso de Humberto e sequência individual de Cubillan, 73 a 57.

 

A vantagem que já era confortável ficou ainda mais imponente no último período. Ainda nos primeiros minutos da parcial, o Flamengo abriu vinte pontos de diferença com a falta técnica cometida por Duda. Sem outra alternativa, Bauru passou a acelerar o ritmo de jogo em uma última tentativa de aproximação, mas sem sucesso nas bolas longas, viu o rival encontrar muita facilidade no trabalho próximo à cesta, com trocas de passes envolventes entre JP Batista e Olivinha. Dessa maneira, o rubro-negro não só evitou uma recuperação do rival, como sacramentou o triunfo de forma imponente, 97 a 71.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags