Em jogo de reviravoltas, Bauru vence o Vasco e chega a quinta vitória consecutiva

18/01/2018

O Bauru Basket penou mas conseguiu emplacar a quinta vitória consecutiva no Novo Basquete Brasil. Em partida disputada na Arena Carioca 1, que marcava o final do primeiro turno da competição, o Dragão superou o Vasco da Gama, pelo placar de 87 a 86.

 

O placar já entrega, mas apenas reforçando, o jogo foi recheado de alternativas e de altos e baixos, comprovando o enorme potencial que os dois clubes tem, embora ainda convivam com certa oscilação (maior por parte dos cruz-maltinos).

 

Dessa maneira, Bauru começou a partida melhor, abrindo larga vantagem ainda nos minutos iniciais, com Renan e Anthony. O Vasco não se abateu, ajustou a defesa e passou a dominar o confronto, com destaque para Giovannoni. Mas a partir do segundo tempo, os rivais mostraram um equilíbrio maior, principalmente por conta do crescimento de produção de seus armadores, Nezinho e Alex.

 

Depois de uma grande troca de cestas e lideranças, os visitantes abriram vantagem com a parceria entre Brabo e Hettsheimeir, sacramentando a vitória na linha do lance livre, mesmo após o arremesso longo de Renato, no estouro do cronômetro.

 

Com todos esses ingredientes, é possível imaginar que o duelo tenha ficado marcado pela coletividade das equipes. Atual campeão brasileiro, Bauru contou com cinco atletas pontuando acima dos dez pontos, enquanto que o Gigante da Colina teve três nomes aparecendo na casa dos dígitos duplos.

 

Demétrius mexeu bastante na equipe em busca de uma recuperação, que veio no segundo tempo (Thiago Moreira/Vasco).

 

Se o triunfo não lhe garante o ingresso no G4, ao menos consolida a perseguição do Dragão ao grupo que avança direto às semifinais do NBB. Com 10 vitórias em 14 jogos, ocupa a quinta posição, logo atrás de Franca, Paulistano e Mogi das Cruzes. Já o Vasco não perde nenhuma posição, mas segue na risca do grupo que se classificaria à próxima fase, na décima primeira colocação, com apenas 4 resultados positivos em 14 duelos.

 

O JOGO

 

O jogo era fora de casa mas foi o Bauru quem iniciou a partida melhor. Preciso na movimentação e na conclusão das jogadas, o Dragão contou com a pontaria calibrada de Renan e Anthony, tanto no perímetro, quanto na área pintada, para abrir dez pontos de vantagem logo de cara. Após o tempo técnico pedido por Dedé Barbosa, o Vasco melhorou a postura defensiva e deu uma nova cara ao duelo.

 

Mais agressivo, recuperou algumas bolas e chegou a se aproximar nos contragolpes puxados por Gustavo. Os visitantes até voltaram a abrir, com mais dois arremessos de três pontos de Renan e de Anthony, mas o momento positivo era dos mandantes. Escorado no grande desempenho do trio formado por Lucas Mariano, Hayes e Giovannoni, o cruz-maltino reagiu e diminuiu o prejuízo parcial, 22 a 19.

 

Diante da queda brusca de rendimento do seu time, Duda até tentou chamar a responsabilidade e colocar a casa em ordem, mas sem a mesma criatividade de outros e a ajuda dos companheiros, pouco pôde fazer. Mantendo a pegada dos últimos minutos do primeiro quarto, o Vasco conseguiu a virada rapidinho, em bolas de segurança de Renato e Dedé. 

 

Incomodado com o desempenho de seus pupilos, Demétrius modificou bastante seu quinteto, mas de nada adiantou. Embora o ataque tenha voltado a pontuar, a ineficiência defensiva custou caro e os mandantes foram para o intervalo com uma vantagem considerável, após sequência positiva de Giovannoni, autor de doze pontos no período, 45 a 38.

 

Nem mesmo os 27 pontos de Giovannoni, cestinha, evitaram mais um revés cruz-maltino (Thiago Moreira/Vasco).

 

Apagado na partida até então, Hettsheimeir reacendeu o poder de fogo do Dragão na volta para o segundo tempo. Pouco acionado na primeira metade, o pivô lançou mão de seu vigor físico e de todo seu repertório para dominar a área pintada, baixando a diferença para apenas um ponto, recolocando o Bauru na cola do Vasco.

 

Experiente, Nezinho tentou tranquilizar o crescimento bauruense com leitura correta na organização de jogo, tanto para servir Giovannoni, quanto para pontuar, em arremesso de longa distância. No entanto, o visitante começou a dividir a responsabilidade ofensiva. Assim, manteve a eficiência ofensiva, aproveitando o acréscimo de Isaac, para manter-se vivo na partida, 64 a 63.

 

Ainda no começo do último período, Nezinho fez valer toda a experiência que acumulou ao longo de sua carreira para costurar tramas com Renato, recolocando a vantagem cruz-maltina em sete pontos. Apesar do balde de água fria, Bauru não se abateu. Liderado por Alex, foi pontuando através da linha do lance livre, equilibrando a parcial, até recuperar a dianteira, em chute certeiro de três pontos do Brabo.

 

 

Dali em diante, o jogo ficou extremamente concentrado na dupla de armadores. Nezinho e Alex souberam explorar muito bem os bloqueios dos pivôs, para infiltrar e parar na linha do lance livre. Por ali, os rivais foram se alternando na liderança do marcador, deixando a partida totalmente aberta, a dois minutos do final do jogo.

 

Mas, com a volta de Hettsheimeir, o Dragão ganhou velocidade para proteger melhor seu garrafão das investidas dos cruz-maltinos. Assim, encaixou duas defesas seguras, abriu vantagem com o próprio Hettsheimeir e com Alex, restando ao Vasco e ao Renato, apenas o consolo pelo arremesso certeiro convertido já no estouro do cronômetro, que nada mudou o rumo do embate, 87 a 86.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados