Franca abre vantagem no primeiro tempo e vence Caxias

31/01/2018

O Franca se recuperou da derrota diante do Paulistano, há praticamente uma semana, ao vencer o Caxias do Sul, no Pedrocão, pelo placar de 82 a 74, em partida válida pela terceira rodada do segundo turno do Novo Basquete Brasil.

 

Para sair de quadra com o triunfo, Franca contou com a força do seu elenco para imprimir um ritmo forte no primeiro tempo, construindo uma vantagem próxima dos dez pontos, diferença que seria mantida até o final do jogo, apesar das investidas do rival, que não deixou de acreditar até o último minuto, dando dor de cabeça em Helinho.

 

Mas o duelo não marcou apenas o reencontro francano com a vitória, como também a estreia de Rafa Luz pela equipe paulista. Contratado durante a temporada, o armador vinha se recuperando de uma cirurgia no joelho que o tirou de combate por aproximadamente oito meses.

 

Ainda sem ritmo de jogo e confiança para infiltrar, evitando encontros mais fortes, Rafa deixou a quadra com seis pontos provenientes de duas bolas do perímetro, além de quatro rebotes e quatro assistências.

 

Voltando gradativamente ao basquete, Rafa Luz atuou por doze minutos (Newton Nogueira/Franca Basquete).

 

Com o triunfo, Franca chega agora a treze vitórias em dezessete partidas, campanha que o mantém na quarta posição, próximos dos clubes que vem à frente, mas seguido de perto pelo Bauru, que vem logo atrás. Para o Caxias, a derrota tem um peso ainda mais significante, já que o clube perdeu duas posições, caindo do sexto para o oitava lugar, com nove vitórias em dezesseis partidas, desempenho idêntico ao do Pinheiros e do Vitória, que levam a melhor no critérios de desempate.

 

O JOGO

 

O duelo entra Franca e Caxias começou equilibrado, com as equipes marcando com intensidade, só conseguindo romper a proteção do adversário através do trabalho das duplas de pivôs dentro do garrafão. Aos poucos os rivais foram encontrando outras maneiras de pontuar, principalmente na linha de três pontos, onde os rivais trocaram cestas através da artilharia pesada de Leo Meindl e Gruber, para os mandantes, e Alex e Marcão, para os visitantes. No final do quarto, Rafa Luz, que fazia sua estreia, anotou mais uma bola longa, dando vantagem ao clube paulista, 26 a 22.

 

O arremesso certeiro de Rafa não abalou o time sulista, que voltou mais ligado para o segundo período. Equilibrando as ações entre as infiltrações de seus armadores, com o arremesso de muito longe de Alex, o Caxias passou à frente no marcador. Mas não demorou muito para Franca reagir e voltar a ter o controle do jogo. Primeiro na individualidade de Jefferson, depois de Leandrinho, que infiltrava com facilidade, sendo parado apenas com falta. Cauê Borges, velho conhecido da torcida francana até tentou responder mas Gruber e Rafa Luz combinaram para três tiros longos, mantendo a folga na liderança à favor dos mandantes, 51 a 43.

 

Leandrinho veio para o segundo tempo com a mão quente. Anotando à média e longa distância, colocou a diferença próxima dos quinze pontos ainda no minuto inicial da etapa complementar. Mas dali para frente, o nível técnico da partida decaiu. Um pouco mais consciente, o Caxias foi descontando a desvantagem, até diminuir para sete pontos, em bolas de segurança de Marcão e Nandão, além de arremesso de Alex, na zona morta. Leo tentou recolocar Franca nos trilhos, mas foi Cipolini quem acabou com a seca francana em bonita enterrada. No final do período, Gruber interferiu em bola de três pontos de Pedro, mas a arbitragem não anotou a infração, 62 a 53.

 

Na volta para o último quarto, os mandantes pareciam liquidar o duelo, principalmente após os arremessos de três pontos de Leo e Pedro, que deram treze pontos de frente aos paulistas. Mas o Caxias não se entregou, contou com a mão certeira de Cafferata e Cauê Borges, que juntos anotaram oito pontos, para baixar a desvantagem para apenas seis pontos. Após a volta dos titulares, sobretudo de Cipolini, Franca voltou a apresentar um equilíbrio defensivo/ofensivo, imprimindo uma corrida de dez pontos que, mais uma vez, parecia sacramentar o triunfo, com dezesseis pontos de vantagem. Só que novamente, Caxias aprontou. Pressionando a articulação francana, recuperou bolas e foi pontuando no contragolpe, em uma sequência imponente, que obrigou Helinho parar para frear o ímpeto sulista. Após o tempo técnico, os mandantes contornaram a situação e confirmaram a vitória, 82 a 74.

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags