Paulistano quebra invencibilidade do Flamengo dentro de casa e assume a liderança

O Novo Basquete Brasil tem um novo líder. Atuando na Arena Carioca 1, o Paulistano venceu o confronto direto contra o Flamengo por 72 a 71, quebrando a invencibilidade do rubro-negro dentro de casa e assumindo a liderança da competição, que pertencia ao clube carioca desde o triunfo sobre o Mogi, dia 08 de janeiro.


Para conquistar a vitória diante do rival, dono do melhor ataque da competição com média de 84,9 pontos por jogo, o Paulistano teve de intensificar seu sistema de jogo, caracterizado pelas constantes constantes trocas, que permitem uma intensidade defensiva alta, fazendo com que a equipe tenha o jogo de transição à seu favor.


Elinho ditou o ritmo do Paulistano ao longo da partida, distribuindo oito assistências (Staff Images/Flamengo).

Essas características já ficaram claras no começo do confronto. Ciente do poderio do adversário, optou por intensificar a proteção ao garrafão, levando o Flamengo a jogar longe da cesta. Ainda assim, os mandantes conseguiram se manter à frente no marcador, graças a eficiência de Olivinha e Varejão, preciso nas únicas oportunidades que tiveram de trabalhar próximos à cesta.

Na cola do rival, o Paulistano conseguiu assumir a liderança e o controle de jogo no segundo quarto, quando manteve a compostura defensiva e teve mais felicidade na conclusão das jogadas em velocidade, distribuídas entre os arremessos longos de Deryk e as bolas de segurança de Nesbitt, fechando o primeiro tempo em 34 a 31.


Nem mesmo os quinze minutos de intervalo foram suficientes para dar o Flamengo, o fôlego necessário para confrontar à intensidade do Paulistano. Dominando os rebotes e movimentando rapidamente a bola, os paulistas apareciam em boas condições no ataque, quase sempre livres de marcação. Assim, entre a enxurrada de bolas de três pontos e infiltrações que renderam lances livres, o time de Gustavinho abriu larga vantagem, que só não foi ainda maior por conta de Marquinhos, agressivo em direção à cesta, 61 a 46.


Marquinhos anotou expressivos 37 pontos, mas sem grande ajuda dos companheiros, acabou sobrecarregado (Staff Images/Flamengo).

Empurrado por sua torcida, o Flamengo veio para o tudo ou nada no último período. A entrada de Pecos e Pilar deu uma nova cara ao time, que mostrou mais organização defensiva e velocidade no contragolpe, baixando a desvantagem para apenas oito pontos. Depois de alguns minutos, o Paulistano chegou a equilibrar a parcial com Du Sommer, através dos rebotes ofensivos. Mas àquela altura o momento era favorável ao rubro-negro, que mesmo estando em desvantagem, foi se aproximando com os arremessos longos de Marquinhos, principal referência ofensiva da equipe na partida.


Sentindo a pressão da torcida e do trauma recente da eliminação na Liga das Américas, quando havia dominado o confronto diante do Mogi e perdido nos instantes finais, o Paulistano não conseguia trabalhar coletivamente e, com isso, não voltou a pontuar mais nos minutos finais. No entanto, a boa defesa e a bandeja desperdiçada por Varejão, a três segundos do final do duelo, garantiram a vitória dos paulistas, 72 a 71.


Com o triunfo, o segundo diante do rival, o Paulistano chega a décima quinta vitória em dezoito jogos, assumindo a liderança que antes pertencia ao Flamengo, agora na segunda colocação com quatorze triunfos em dezessete partidas.


Postagens Recentes
Arquivo
Procurar por tags

LARANJA PULSANTE

Informações e análises dos principais campeonatos estaduais, nacionais e internacionais de basquete.

Laranja Pulsante © 2019 | Todos os direitos reservados