Irretocável no primeiro tempo, Flamengo vence o Caxias fora de casa

09/02/2018

O Flamengo foi a Caxias do Sul encarar os donos da casa em um duelo que prometia muito. De um lado, o maior vencedor do Novo Basquete Brasil, com cinco conquistas, do outro, a grande sensação da temporada, que se reinventou após fraca campanha na temporada passada, e agora figura na pelotão de frente do NBB10.

 

Mas quem esperava um duelo equilibrado, decidido apenas nos minutos finais, foi surpreendido. Irretocável no primeiro tempo (55 a 28), o rubro-negro apenas administrou a situação na etapa complementar, fechando a partida com uma vitória tranquila, de ponta a ponta, 98 a 75.

 

Para conseguir tal feito, os visitantes tiveram de se impor, marcar forte, quebrando o estilo de jogo do adversário, marcado por uma defesa segura e saída em velocidade, situações que não ocorreram essa noite, dificultando a vida do técnico Rodrigo Barbosa. Ainda assim, a torcida reconheceu o esforço dos donos da casa, aplaudindo a equipe a cada trama bem executada, sabendo da qualidade do adversário.

 

Com o triunfo, o Flamengo iguala a campanha do líder Paulistano, conquistando a décima sexta vitória em dezenove jogos. Como leva desvantagem nos critérios de desempate, permanece na segunda colocação. A derrota não fez o Caxias perder posições na tabela de classificação (8º), mas evitou que o clube ultrapassasse o Vitória, que caiu perante ao Botafogo.

 

O JOGO

 

Para superar a surpreendente equipe do Caxias, o Flamengo precisava desempenhar um basquete e envolvente, além de contar com a liderança de seus principais jogadores. E foi assim que o rubro-negro iniciou a partida. Seguro na defesa, explorou o belo momento de JP e Marquinhos, para assumir o controle do jogo.

 

A resposta dos mandantes passou pela mudança na formação do quinteto, que com jogadores mais baixos e leves, conseguiu realizar trocas e dobras mais rápidas, anulando o ataque do rival e equilibrando a parcial em jogadas de transição puxadas por Cauê Verzola. Mas, na reta final do período, os donos da casa cometeram alguns desperdícios e acabaram castigados em contragolpes finalizados por Ramon e Marcelinho na linha dos três pontos, 23 a 11.

 

O início do segundo quarto foi extremamente movimentado. Em um primeiro momento, o Caxias conseguiu responder às investidas do Flamengo, mas aos poucos, os visitantes foram imprimindo um ritmo forte na defesa e na saída para o ataque, distribuindo as ações entre os arremessos de fora de Cubillan e as bolas de segurança de Varejão, abrindo vinte e dois pontos de frente.

 

 Com quinze pontos e seis rebotes, Varejão teve mais uma atuação segura (Divulgação/Caxias).

 

Nem mesmo as instruções e as modificações de Rodrigo Barbosa deram jeito na equipe da casa. Sem a mesma organização defensiva, apresentou dificuldades de criar situações frente a forte marcação do Mais Querido. Com superioridade numérica, Pecos teve a paciência e leitura necessária para articular as jogadas, que muitas das vezes acabavam no perímetro, sempre com algum atleta livre e equilibrado para pontuar, 55 a 28.

 

Na volta para o segundo tempo, um duelo ganhou um contorno mais equilibrado. Ainda em alto nível, Caxias e Flamengo trocaram cestas, com destaque para o crescimento de produção de Paranhos, para os mandantes, e Ramon, para os visitantes, ambos discretos até então na partida. 

 

Aos poucos, outros personagens foram aparecendo, ou melhor, voltaram a se tornar um dos pilares das equipes no confronto. Atuando em parceria com Paranhos, Cauê Borges causou problemas a defesa adversária com assistências e arremessos precisos. Sem a mesma liberdade e segurança necessária para infiltrar, Marquinhos lançou mão da habilidade para servir Rhett e Pecos e conter a crescente do rival, 73 a 47.

 

O equilíbrio seguiu dando as caras no último período, embora os adversários tenham encontrado maneiras diferentes de enfrentarem as defesas. À frente no marcador, o rubro-negro mantinha a gordura no marcador através do trabalho interno, envolvendo sua dupla de pivôs, formada por Rhett e Varejão. Em contra-partida, o Caxias apostava em bolas de três pontos de Alex e Cafferata para não deixar a diferença aumentar.

 

Apesar do duelo se encaminhar para o final com o triunfo do Flamengo assegurado, os donos da casa não diminuíram a intensidade, até para deixar uma boa impressão à sua torcida. Agressivo nos dois lados da quadra, venceu a parcial com grande contribuição de Cafferata, embora não tenha evitado o revés, 98 a 75.

 

 

Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags